ÁFRICA/BURUNDI - Sacerdote sequestrado em abril morre em consequência dos maus-tratos sofridos

Sexta, 12 Maio 2017 sequestros  

Pe. Adolphe Ntahondereye abatido logo após a libertação

Bujumbura (Agência Fides) – Pe. Adolphe Ntahondereye, Vigário paroquial de São Francisco Xavier, em Gatumba (oeste de Burundi, no confim com a RDC), morreu ontem, 11 de maio, duas semanas após sua libertação, em consequência do estresse acumulado durante o cativeiro.
Segundo o Arcebispo de Bujumbura, Dom Ngoyagoye Evariste, “o padre, que não deixou o leito do hospital onde foi internado depois de sua libertação, morreu por causa dos maus-tratos a que foi submetido e que agravaram seu precário estado de saúde.
Em 9 de abril, pe. Ntahondereye foi sequestrado com outras três pessoas depois de ser alvo de um atentado na estrada, obra de um grupo de homens armados contra um ônibus, na altura da ponte Concorde, no rio Ruzizi, que separa Gatumba do bairro de Kajaga. Os três homens foram soltos depois de 17 dias de cativeiro.
Segundo outro prisioneiro, Mathias Mijuriro, músico da orquestra nacional Nakaranga, pe. Ntahondereye terminou o cativeiro muito abatido. O companheiro de desventura do sacerdote afirma que os sequestradores obrigaram os prisioneiros a percorrer a pé longas distâncias nas montanhas próximas da cidade de Uvira, na vizinha República Democrática do Congo. “Por causa do estresse acumulado, o sacerdote não conseguia mais caminhar. Nossos sequestradores tinham que ajudá-lo. Se eu não estivesse acostumado a caminhar a pé todos os dias o trajeto Gatumba-Bujumbura, eu também não teria resistido”, disse. (L.M.) (Agência Fides 12/5/2017)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network