Fides News Portuguêshttp://fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usÁSIA/JAPÃO – Renúncia do Bispo de Nagoya e nomeação do Sucessorhttp://fides.org/pt/news/39633-ASIA_JAPAO_Renuncia_do_Bispo_de_Nagoya_e_nomeacao_do_Sucessorhttp://fides.org/pt/news/39633-ASIA_JAPAO_Renuncia_do_Bispo_de_Nagoya_e_nomeacao_do_SucessorCidade do Vaticano – Em 29 de março de 2015, o Santo Padre Francisco aceitou a renúncia ao governo pastoral da Diocese de Nagoya, no Japão, apresentada por Dom Augustinus Jun-ichi Nomura, em conformidade com o cân. 401 § 1 do Código de Direito Canônico. O Santo Padre nomeou como Bispo de Nagoya , Dom Michael Gor. Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200ÁFRICA/NIGÉRIA – Renúncia do Bispo de Makurdi e sucessãohttp://fides.org/pt/news/39632-AFRICA_NIGERIA_Renuncia_do_Bispo_de_Makurdi_e_sucessaohttp://fides.org/pt/news/39632-AFRICA_NIGERIA_Renuncia_do_Bispo_de_Makurdi_e_sucessaoCidade do Vaticano – Em 28 de março de 2015, o Santo Padre Francisco aceitou a renúncia ao governo pastoral da diocese de Makurdi ,apresentada por Dom Athanasius Atule Usuh, em conformidade com o cân. 401 § 2 do Código de Direito Canônico. É substituído por Dom Wilfred Chikpa Anagbe, C.M.F., Coadjutor da mesma diocese. Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS – Apresentado um projeto de lei para facilitar a imigração dos cristãos perseguidos do Oriente Médiohttp://fides.org/pt/news/39631-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Apresentado_um_projeto_de_lei_para_facilitar_a_imigracao_dos_cristaos_perseguidos_do_Oriente_Mediohttp://fides.org/pt/news/39631-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Apresentado_um_projeto_de_lei_para_facilitar_a_imigracao_dos_cristaos_perseguidos_do_Oriente_MedioWashington – Dois membros do Congresso EUA eleitos na Califórnia apresentaram um projeto de lei que visa favorecer a imigração nos Estados Unidos de membros das minorias religiosas ameaçadas de violência por parte dos jihadistas do Estado Islâmico na Síria e no Iraque. Como sublinham fontes informativas estadunidenses, o projeto de lei quer principalmente facilitar a imigração nos EUA de cristãos sírios e iraquianos que tiveram que abandonar suas casas por causa do ataque dos jihadistas e desejam se unir às já grandes comunidades da diáspora caldeia, síria e assíria presentes no território estadunidense. <br />Duncan Hunter e Juan Vargas estão patrocinando o projeto de lei. A iniciativa, apresentada na semana passada, é apoiada por parlamentares de diferentes alas, a partir do democrático John Conyers, que, apresentando o texto do projeto de lei, explicou que este tem o objetivo de enfrentar “a urgente necessidade para os EUA de fornecer um refúgio seguro para as pessoas perseguidas”. As mais numerosas comunidades de imigrantes cristãos médio-orientais nos Estados Unidos estão no leste de Detroit e na região de San Diego . <br />Enquanto nos EUA as políticas de imigração continuam no centro dos debates, o projeto de lei daria prioridade a iraquianos e sírios pertencentes a uma comunidade religiosa perseguida e que querem se transferir aos EUA beneficiando-se do Programa de admissão de refugiados. .Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS – Última missa na casa de Cleveland para as Pequenas Irmãs dos Pobreshttp://fides.org/pt/news/39630-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Ultima_missa_na_casa_de_Cleveland_para_as_Pequenas_Irmas_dos_Pobreshttp://fides.org/pt/news/39630-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Ultima_missa_na_casa_de_Cleveland_para_as_Pequenas_Irmas_dos_PobresShaker Heights – No domingo de Ramos foi celebrada a última função religiosa na antiga casa das Pequenas Irmãs dos Pobres na periferia de Cleveland, estado de Ohio. As irmãs são obrigadas a deixar a casa porque não há vocações suficientes para assegurar a atividade desta estrutura de Warrensville Heights, na qual fornecem assistência aos pobres e idosos desde 1960. A estrutura foi vendida para uma clínica particular que assiste os idosos. Em declarações à emissora televisiva local WOIO-TV de Cleveland, Irmã Robert Francis Marie declarou que considera a decisão justa, mesmo que seja difícil deixar os residentes que assistiram ao longo dos anos. As religiosas continuarão a trabalhar em outras casas de seu instituto em Ohio, próximo de Toledo e Cincinnati. Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200AMÉRICA/BOLÍVIA – Menores são uma faixa esquecida da populaçãohttp://fides.org/pt/news/39629-AMERICA_BOLIVIA_Menores_sao_uma_faixa_esquecida_da_populacaohttp://fides.org/pt/news/39629-AMERICA_BOLIVIA_Menores_sao_uma_faixa_esquecida_da_populacaoCochabamba - Na Bolívia há mais de 4 milhões de crianças e adolescentes, que representam 44% da população. Não obstante a consistência, por muitos fatores o setor dos menores continua a ser um dos mais vulneráveis. Dentre estes, a falta de políticas que garantam seus direitos, estruturas médicas inadequadas ou totalmente inexistentes, e a instrução escolar. Em Cochabamba, por exemplo, o único hospital pediátrico existente é muito precário e não consegue realizar 180 consultas por dia e oferecer socorro a 350 casos de emergência durante a semana. Não existem serviços de otorrino, oftalmologista, dentista, psicologia, cardiologia e psiquiatria. <br />Há vários anos, o índice de mortalidade neonatal continua sendo uma das principais causas de morte dos pequenos menores de um ano. Segundo as autoridades de saúde locais, as crianças nascem prematuras porque muitas gestantes não fazem exames pré-natais e chegam despreparadas ao momento do parto. O fenômeno é agravado pelo fato que os partos são feitos em casa e as gestações são precoces. Na Bolívia, com efeito, 18% das adolescentes de 15 a 18 anos são mães. Em relação ao ensino, a Direção didática departamental declarou que estão se realizando mudanças nos programas para tentar adaptá-los à situação sócio comunitária. Resulta que em 2014, 54.572 crianças foram matriculadas pela primeira vez e a evasão escolar foi de apenas 802 estudantes. Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200AMÉRICA/CHILE – Inundações e desabamentos: 12 mortos e milhares de desalojados. Caritas ao trabalhohttp://fides.org/pt/news/39628-AMERICA_CHILE_Inundacoes_e_desabamentos_12_mortos_e_milhares_de_desalojados_Caritas_ao_trabalhohttp://fides.org/pt/news/39628-AMERICA_CHILE_Inundacoes_e_desabamentos_12_mortos_e_milhares_de_desalojados_Caritas_ao_trabalhoCopiapò – Liderado por Dom Celestino Aós Braco, O.F.M. Cap., Bispo de Copiapó, um grupo de especialistas da Caritas e da diocese chegou às áreas atingidas pelos desabamentos e inundações para verificar a situação das comunidades e ajudá-las nestes momentos difíceis. <br />Segundo dados coletados pela Fides, depois das fortes chuvas, alagamentos e desabamentos na área, 12 pessoas morreram e vinte estão dispersas. O ministério do interior informa que pelo menos 748 estão sem-casa e mais de 5 mil tiveram que deixar suas casas por causa dos desabamentos. Segundo a nota enviada à Fides por uma fonte local, na cidade de El Salado foram improvisadas tendas em diversos campos e áreas mais seguras, para acolher de modo especial crianças e idosos. <br />Dom Aós, após a visita a diversos grupos de sem-casa, denunciou saques e aumentos nos preços por parte de algumas lojas. A este respeito, disse: “Não consigo entender como possa existir pessoas que, em meio à tragédia, querem aproveitar a situação e pedem preços exorbitantes por artigos fundamentais. Este é um comportamento horrível. Como sociedade, devemos ser muito severos e considerar a honestidade como primeira coisa. Temos que ser unidos e honestos, sem privar os mais carentes de bens materiais, porque se o fizermos, lhes roubamos a esperança, o que é muito pior”. <br />Ao que parece, as áreas mais atingidas são Antofagasta e Atacama, onde em muitas aldeias ainda faltam água potável e luz. O Santo Padre Francisco, através da Secretaria de Estado, expressou sua proximidade a estes povos e pediu ajudas urgentes às instituições.<br /> Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - Alegria no sofrimento: Sincelejo acolhe o novo Bispo lembrando o pároco mortohttp://fides.org/pt/news/39627-AMERICA_COLOMBIA_Alegria_no_sofrimento_Sincelejo_acolhe_o_novo_Bispo_lembrando_o_paroco_mortohttp://fides.org/pt/news/39627-AMERICA_COLOMBIA_Alegria_no_sofrimento_Sincelejo_acolhe_o_novo_Bispo_lembrando_o_paroco_mortoSincelejo - O Núncio Apostólico na Colômbia, o Arcebispo Ettore Balestrero, pediu à comunidade diocesana de Sincelejo para rezar pelo padre Fernando Meza Luna, brutalmente assassinado por ladrões em 21 de março e também por seus assassinos. Dom Balestrero pediu também para não ter medo da verdade nem desejo de vingança, e o fez durante a celebração de posse do novo Bispo da Diocese de Sincelejo, Dom José Crispiano Clavijo Méndez.<br />Dom Clavijo Méndez foi nomeado Bispo de Sincelejo em 19 de fevereiro de 2015, e sábado 28 de março, com a celebração realizada na Catedral de São Francisco de Assis, com a participação de Bispos, sacerdotes e muitos fiéis provenientes das Dioceses de Cartagena, Valledupar, Monteria e Barranquilla, fez o seu ingresso oficial.<br />O Núncio apostólico disse que a chegada do novo Bispo de Sincelejo é um momento de alegria no sofrimento que ainda abala a comunidade devido ao assassinato do padre Fernando e pediu às autoridades que aprofundem os fatos para encontrar a verdade. Depois, concluiu sua homilia dizendo que “a paz é um desafio e uma necessidade para todos, principalmente nas regiões aonde se sofre mais”. <br /> Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200ÁSIA/IRAQUE - A Igreja caldeia participa do luto pela morte do Patriarca assírio Mar Dinkha IVhttp://fides.org/pt/news/39626-ASIA_IRAQUE_A_Igreja_caldeia_participa_do_luto_pela_morte_do_Patriarca_assirio_Mar_Dinkha_IVhttp://fides.org/pt/news/39626-ASIA_IRAQUE_A_Igreja_caldeia_participa_do_luto_pela_morte_do_Patriarca_assirio_Mar_Dinkha_IVBagdá - A Igreja caldeia, como sinal de solidariedade e proximidade com a Igreja Assíria do Oriente, participa do luto pela morte do Patriarca assírio Mar Dinkha IV. Por esta razão, deu ordens para suspender os tradicionais encontros de convívio para a troca de saudações de Páscoa em que o patriarca, os bispos e os párocos, recebem a visita de representantes políticos e institucionais e de comunidades religiosas, disseram as fontes do Patriarcado de Babilônia dos Caldeus, consultadas pela Agência Fides. Nas liturgias da Semana Santa as comunidades caldeias também rezarão pela alma do patriarca assírio e pela escolha de um sucessor animado pelo genuíno zelo pastoral.<br />Em setembro de 2013, o Patriarca caldeu Louis Raphael I endereçou ao Patriarca Mar Dinkha um convite oficial para começar juntos um caminho do diálogo para restabelecer a plena comunhão eclesial entre a comunidade cristã caldeia – unida ao Bispo de Roma - e a assíria. "Aproveito esta ocasião", escreveu então o patriarca caldeu ao Patriarca assírio, "para expressar o desejo da Igreja Caldeia sobre a ativação de um diálogo pela unidade, que é o desejo de Jesus. O início deste diálogo é hoje urgente diante dos grandes desafios que ameaçam a nossa sobrevivência. Sem unidade, não há futuro para nós. A unidade pode ajudar a manter a nossa presença". No início de outubro de 2013, o Patriarca Mar Dinkha respondeu positivamente ao apelo do patriarca caldeu, sugerindo a criação de um "Comitê conjunto", como instrumento para enfrentar juntos as urgências partilhadas pelas duas Igrejas irmãs, que têm em comum o mesmo patrimônio litúrgico, teológico e espiritual. .Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - São vinte as vítimas dos atentados às igrejas de Youhanabadhttp://fides.org/pt/news/39625-ASIA_PAQUISTAO_Sao_vinte_as_vitimas_dos_atentados_as_igrejas_de_Youhanabadhttp://fides.org/pt/news/39625-ASIA_PAQUISTAO_Sao_vinte_as_vitimas_dos_atentados_as_igrejas_de_YouhanabadLahore – São vinte as vítimas dos atentados às igrejas de Youhanabad ocorridos em 15 de março: Ontem, a comunidade cristã celebrou o funeral de outro ferido, Shamim Bhatti. Enquanto isso, na comunidade de Youhanabad circula grande decepção pela notícia de que Sohail Johnson e seu irmão Yousaf, comprometidos com a Ong “Sharing Life Minister Pakistan”, são acusados de serem os autores do linchamento de dois muçulmanos após os atentados. A Ong paquistanesa faz parceria com grupos internacionais como "Open Doors" e "Barnabas Funds". A polícia emitiu mandados de prisão graças à ajuda de imagens filmadas naqueles momentos trágicos por algumas testemunhas.<br />"Por causa deste ato bárbaro e ilegal, hoje as Ongs que trabalham com cristãos paquistaneses estão sofrendo", disse à Fides o advogado cristão Sarda Mushtaq Gill. "O trabalho das Ongs e dos defensores dos direitos humanos é constitutivamente não-violento e pacífico: promovemos a paz, amor, verdade e paciência", lembra o advogado Gill, que trabalha na Ong LEAD .<br />Segundo fontes oficiais da Polícia, os cristãos presos como suspeitos de linchamento são 106. Com as investigações em curso, lentamente alguns são libertados. Numa nota enviada à Fides, Ataurehman Saman, coordenador das publicações da Comissão Nacional "Justiça e Paz" dos Bispos paquistaneses , afirma: "A nação pagou um tributo de 60 mil vidas por terrorismo e extremismo. No mundo consideram o Paquistão um covil de terroristas. O único caminho de salvação é garantir a segurança das pessoas inocentes e pôr fim a uma política de negação ou cobertura dos males do país". Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200ÁFRICA/TUNÍSIA - “Os tunisianos estão orgulhosos da manifestação contra o terrorismo”http://fides.org/pt/news/39624-AFRICA_TUNISIA_Os_tunisianos_estao_orgulhosos_da_manifestacao_contra_o_terrorismohttp://fides.org/pt/news/39624-AFRICA_TUNISIA_Os_tunisianos_estao_orgulhosos_da_manifestacao_contra_o_terrorismoTúnis - “A manifestação de ontem uniu os tunisianos no combate ao terrorismo; fato reconhecido quase por todos”, comentou à Agência Fides pe. Jawad Alamat, Diretor Nacional das Pontifícias Obras Missionárias da Tunísia, onde no domingo, 29 de março, mais de 70 mil pessoas, entre as quais dezenas de líderes políticos vindos de todo o mundo, participaram de uma marcha contra o terrorismo. A manifestação se realizou em Túnis, 11 dias depois do atentado ao Museu de Bardo, que provocou mais de 20 mortos, a maior parte dos quais turistas estrangeiros .<br />“Também quem não participou fisicamente da marcha se sentiu envolvido de alguma maneira – destacou pe. Jawad -. Domingo eu estava em Sousse, a 150 km da capital, e tentei entender as reações da população local. Devo dizer que os tunisianos estão orgulhosos pelo fato de o país ter organizado uma manifestação corajosa contra o terrorismo”.<br />“As pessoas com quem falei expressaram a esperança de que esta se torne uma marcha cotidiana, que não seja somente um espetáculo obrigatório depois do atentado ao Museu de Bardo, mas se torne compromisso político cotidiano de todos para enfrentar este perigo”, conclui o Diretor Nacional das POM. Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200ÁFRICA/NIGÉRIA - “Boko Haram não conseguiu impedir a realização das eleições”, afirma o Bispo de Maidugurihttp://fides.org/pt/news/39623-AFRICA_NIGERIA_Boko_Haram_nao_conseguiu_impedir_a_realizacao_das_eleicoes_afirma_o_Bispo_de_Maidugurihttp://fides.org/pt/news/39623-AFRICA_NIGERIA_Boko_Haram_nao_conseguiu_impedir_a_realizacao_das_eleicoes_afirma_o_Bispo_de_MaiduguriAbuja - “As eleições em Maiduguri se realizaram na calma, sem violências ou crises provocadas por Boko Haram”, afirma à Agência Fides Dom Oliver Dashe Doeme, Bispo de Maiduguri, capital do Estado de Borno, uma das áreas no norte da Nigéria mais atingidas pelas violências de Boko Haram, a seita islamista que nasceu justamente naquela cidade, descrevendo o clima com o qual se realizaram as eleições presidenciais e parlamentares em 28 de março. <br />“Apesar dos ataques conduzidos por Boko Haram em várias localidades, sobretudo rurais, no norte da Nigéria, que causaram infelizmente várias vítimas, a seita islamista não conseguiu impedir a realização das eleições em grande parte da Nigéria”, destaca o Bispo.<br />Segundo o que foi veiculado pela imprensa nigeriana, dezenas de pessoas foram assassinadas em atentados cometidos pela seita islamista, enquanto o exército nigeriano continuou a combater Boko Haram, inclusive com bombardeios aéreos.<br /> “O único problema sério foi derivado do sistema de reconhecimento eletrônico das impressões digitais dos eleitores, não perfeitamente eficaz, que obrigou alguns deles a voltar mais vezes às urnas para poder votar”, comenta Dom Doeme. Um problema que foi verificado em quase todo o território nacional, a ponto que em algumas áreas o voto se prolongou até domingo, 29 de março, para permitir que os eleitores votassem. <br />Apesar desses problemas, Dom Doeme conclui com otimismo: “Falando em linhas gerais, pode-se considerar o resultado satisfatório, porque as eleições foram livres e não foram condicionadas pela violência de Boko Haram. Este já é um bom resultado” . Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200VATICANO - Papa: “Pensemos nos nossos irmãos e irmãs perseguidos por serem cristãos, os mártires de hoje”http://fides.org/pt/news/39622-VATICANO_Papa_Pensemos_nos_nossos_irmaos_e_irmas_perseguidos_por_serem_cristaos_os_martires_de_hojehttp://fides.org/pt/news/39622-VATICANO_Papa_Pensemos_nos_nossos_irmaos_e_irmas_perseguidos_por_serem_cristaos_os_martires_de_hojeCidade do Vaticano – Na homilia da Missa de Domingo de Ramos, 29 de março, celebrada na Praça S. Pedro, o Papa Francisco dedicou um pensamento especial aos cristãos perseguidos. Recordando que na Semana Santa, que nos conduz à Páscoa, “nós iremos neste caminho da humilhação de Jesus”, disse: “Pensemos também na humilhação das pessoas que, pela sua conduta fiel ao Evangelho, são discriminadas e pagam na própria pele. E pensemos ainda nos nossos irmãos e irmãs perseguidos porque são cristãos, os mártires de hoje : não renegam Jesus e suportam, com dignidade, insultos e ultrajes. Seguem-No pelo seu caminho. Verdadeiramente, podemos falar duma ‘nuvem de testemunhas’: os mártires de hoje”. Mon, 30 Mar 2015 00:00:00 +0200AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - "Por que prender os mais vulneráveis?": a denúncia dos Bispos após a visita no Texashttp://fides.org/pt/news/39621-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Por_que_prender_os_mais_vulneraveis_a_denuncia_dos_Bispos_apos_a_visita_no_Texashttp://fides.org/pt/news/39621-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Por_que_prender_os_mais_vulneraveis_a_denuncia_dos_Bispos_apos_a_visita_no_TexasSan Antonio - "Depois desta visita, a minha pergunta principal é: por que? Por que prender essas pessoas vulneráveis, jovens mães e traumatizadas, com seus filhos, que fugiram da perseguição em seus países de origem?" disse Dom Garcia-Siller, Bispo de San Antonio , depois que em 27 de março um grupo de bispos católicos e outros líderes religiosos visitou o centro de detenção Dilley, na cidade de mesmo nome, no Texas .<br />"Uma grande nação como a nossa não precisa prender os mais vulneráveis como forma de dissuasão. O caráter moral de uma sociedade é julgado pela forma como trata os mais vulneráveis. A nossa política de detenção de famílias é vergonhosa e peço as instituições para acabar com essa prática", acrescentou.<br />Dom Elizondo, Presidente da Comissão para as Migrações da Conferência Episcopal dos Estados Unidos , disse após a visita: "A detenção de famílias não faz sentido e enfraquece. É particularmente prejudicial para as crianças, que sofrem danos emocionais e psicológicos depois da prisão. Esta política é uma mancha na história do governo norte-americano sobre a imigração".<br />Segundo Dom James Tamayo, Bispo de Laredo, Texas, existem alternativas à detenção: ações humanitárias que podem ser usadas em favor das pessoas envolvidas.<br />Desde o verão passado, o Departamento de Segurança Nacional prendeu centenas de famílias, levando-as para os centros de detenção no Novo México, Texas e Pensilvânia, como resultado da nova política de detenção para aqueles que fogem da América Central e atravessam ilegalmente a fronteira com os Estados Unidos. Sat, 28 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/PAQUISTÃO – Os líderes cristãos: uma Comissão para investigar o massacre de Youhanabadhttp://fides.org/pt/news/39620-ASIA_PAQUISTAO_Os_lideres_cristaos_uma_Comissao_para_investigar_o_massacre_de_Youhanabadhttp://fides.org/pt/news/39620-ASIA_PAQUISTAO_Os_lideres_cristaos_uma_Comissao_para_investigar_o_massacre_de_YouhanabadLahore – Líderes políticos e religiosos pedem ao governo de Punjab que institua uma Comissão especial de investigação sobre o massacre de Youhanabad, que se ocupe seja do atentado terrorista de 15 de março contra duas igrejas cristãs , seja de identificar os responsáveis do linchamento ocorrido depois do crime, quando uma multidão de cristãos matou duas pessoas acusadas de terrorismo. Segundo Fides, um grupo de líderes cristãos comenta a negligência na prevenção da violência terrorista e tumultos seguidos. Raiva e frustração cresceram por causa da impunidade que existe em um número de casos de violência contra os cristãos, observaram. Nos últimos dias, a polícia prendeu mais de 150 suspeitos do linchamento, muitos dos quais "acusados injustamente".<br />Os líderes cristãos criticaram o primeiro-ministro do Punjab, Shahbaz Sharif, por não ter visitado as famílias cristãs após o ataque. Nos dias seguintes, muitos moradores cristãos abandonaram suas casas em Youhanabad por medo de represálias, instigadas nas mesquitas vizinhas em vingança pelo linchamento. "O governo deve cuidar mais dos cristãos e das minorias religiosas", disseram.<br />"As pessoas estão gradualmente voltando ao Youhanabad", disse à Fides Joseph Nadeem, cristão residente no subúrbio chefe da “Renaissance Education Foundation”, que cuida da educação das famílias pobres. "A polícia está liberando muitos presos. A situação agora está calma. Desejamos viver uma Páscoa serena e pacífica". Sat, 28 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/FILIPINAS - Crise humanitária em Mindanao, enquanto o Congresso debate a Lei sobre a região muçulmanahttp://fides.org/pt/news/39619-ASIA_FILIPINAS_Crise_humanitaria_em_Mindanao_enquanto_o_Congresso_debate_a_Lei_sobre_a_regiao_muculmanahttp://fides.org/pt/news/39619-ASIA_FILIPINAS_Crise_humanitaria_em_Mindanao_enquanto_o_Congresso_debate_a_Lei_sobre_a_regiao_muculmanaCotabato Há uma crise humanitária em andamento na ilha de Mindanao, no sul das Filipinas. Por isso, é urgente um cessar-fogo: é o que pede um fórum de organizações não-governamentais e associações locais que, numa nota enviada a Fides, conta de que modo prossegue a ofensiva do exército filipino na província de Maguindanao e Cotabato contra os militantes do grupo “Bangsamoro Islamic Freedom Fighters” . O alerta foi feito um ano depois do acordo de paz assinado pelo governo com o “Moro Islamic Liberation Front”, em 27 de março de 2014, que agora está sendo analisado pelo Congresso para a ratificação política. A ofensiva do exército é a resposta ao massacre de 25 de janeiro em Mamasapano, ocasião em que 44 policiais foram mortos.<br />Em cerca de um mês de combates, 139 militantes do BIFF foram assassinados. Mas há graves consequências também para os civis: os deslocados são mais de 125.000, muitos deles sem qualquer assistência humanitária, enquanto 63 escolas foram diretamente atingidas.<br />A crise influencia ainda as relações políticas. A opinião pública atualmente está dividida. Segundo o presidente Benigno Aquino, “o país está numa encruzilhada”. A Lei fundamental que institui a nova região autônoma muçulmana “é o resultado de 17 anos de intensas negociações” e “o sacrifício dos que deram a vida pela paz será inútil se o Congresso não o aprovar”. Recentemente, também o Cardeal Orlando Quevedo publicou uma carta aberta aos senadores e membros da Câmara dos Representantes para encorajá-los a votar “sim” ao projeto de lei, definido “a esperança mais significativa para alcançar uma paz justa e duradoura em Mindanao”. Sat, 28 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/IRAQUE - Patriarca caldeu na ONU: “Primaveras árabes” fizeram mal aos cristãoshttp://fides.org/pt/news/39618-ASIA_IRAQUE_Patriarca_caldeu_na_ONU_Primaveras_arabes_fizeram_mal_aos_cristaoshttp://fides.org/pt/news/39618-ASIA_IRAQUE_Patriarca_caldeu_na_ONU_Primaveras_arabes_fizeram_mal_aos_cristaosNova York – As chamadas “Primaveras árabes” tiveram um “impacto negativo” na condição das comunidades cristãs médio-orientais, provocando êxodos de massa semelhantes aos causados 100 anos atrás pelos massacres de cristãos iniciados em 1915 no território otomano. Esta é uma das considerações mais fortes e dolorosas contidas no discurso que o Patriarca de Babilônia dos Caldeus Louis Raphael I proferiu ontem em Nova York, durante a sessão dedicada ao drama dos cristãos no Oriente Médio que se realizou junto ao Conselho de Segurança da ONU, sob iniciativa da França. “Com toda sinceridade”, disse o Primaz da Igreja caldeia, “a chamada Primavera árabe teve efeito negativo para nós. Se tivéssemos tido a possibilidade de trabalhar em harmonia com o mosaico de religiões e grupos étnicos que compõem a nossa região, teríamos visto o desenvolvimento de uma força capaz de conduzir a região rumo à paz, a estabilidade e o progresso”.<br />Referindo-se à situação do Iraque, o Patriarca Louis Raphael I pediu “pleno apoio ao governo central e ao governo regional curdo na libertação de todas as cidades iraquianas, inclusive Mosul e todas as aldeias e vilarejos da Planície de Nínive aonde vivem as minorias cristãs, yazidis, shabaks e outras. Segundo o Primaz da Igreja caldeia, “é necessário garantir uma proteção internacional para seus habitantes, obrigados à força a deixar suas casas” e “aprovar uma Lei sobre a propriedade imobiliária que assegure seus direitos em sua terra, permitindo-lhes retornar às suas casas e retomar suas vidas em condições de normalidade”. Em relação ao fenômeno jihadista, o Patriarca repetiu com firmeza que “estes atos terroristas não podem ser generalizados e associados a todos os muçulmanos”, porque a maioria dos fiéis islâmicos “rechaça a politização da religião e’ aceita viver uma vida normal com os outros, no âmbito do estado civil e seguindo as regras do direito”. Além disso, segundo Sua Beatitude Louis Raphael I, “a paz e a estabilidade não podem ser alcançadas somente por meio de intervenções militares; sozinhas, de fato, elas não podem desarraigar este modo totalizante de pensar” que destrói os seres humanos e a civilização. <br />Entre as medidas concretas a adotar para controlar os conflitos que dilaceram o Oriente Médio, o Patriarca invocou também a adoção de leis internacionais capazes de condenar “nações e indivíduos que apoiam grupos terroristas economicamente, intelectualmente ou com armas”, para que suas ações sejam consideradas crimes contra a paz social .Sat, 28 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/EGITO - A Igreja copta ao lado do governo no combate ao analfabetismohttp://fides.org/pt/news/39617-AFRICA_EGITO_A_Igreja_copta_ao_lado_do_governo_no_combate_ao_analfabetismohttp://fides.org/pt/news/39617-AFRICA_EGITO_A_Igreja_copta_ao_lado_do_governo_no_combate_ao_analfabetismoCairo – O departamento da Igreja copta-ortodoxa encarregado dos serviços e atividades sociais assinou sexta-feira, 27 de março, o protocolo do projeto nacional de combate ao analfabetismo predisposto pelo governo egípcio. É o que referem fontes egípcias consultadas pela Agência Fides. O protocolo foi assinado na residência patriarcal, diante do Patriarca copta Tawadros II e do Bispo Yoannis, responsável pelas iniciativas sociais e assistenciais da Igreja copta ortodoxa. Presenciaram a assinatura também representantes políticos e acadêmicos diretamente envolvidos nos programas de instrução da população adulta analfabeta. .Sat, 28 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/NIGÉRIA - Caritas: “Existe esperança de que os refugiados voltem a suas casas, mas a destruição é enorme”http://fides.org/pt/news/39616-AFRICA_NIGERIA_Caritas_Existe_esperanca_de_que_os_refugiados_voltem_a_suas_casas_mas_a_destruicao_e_enormehttp://fides.org/pt/news/39616-AFRICA_NIGERIA_Caritas_Existe_esperanca_de_que_os_refugiados_voltem_a_suas_casas_mas_a_destruicao_e_enormeRoma - “Foi uma emoção ver a felicidade com que os refugiados acolheram seus Bispos quando vieram visitá-los”, diz à Agência Fides pe. Evaristus Bassey, Diretor Executivo da Caritas Nigéria, que se encontra em Roma para a reunião promovida pela Caritas Internacional sobre o drama de milhões de refugiados e desalojados devido às violências de Boko Haram . Pe. Evaristus fazia parte da delegação de Bispos nigerianos que no início de março visitou cerca de 40.000 refugiados acolhidos no campo de Maroua e em outras partes do norte dos Camarões . <br />“Fomos recebidos com cantos e danças de alegria – conta o sacerdote -. As mesmas cenas de alegria que vimos quando visitamos os refugiados em Yola, Abuja e outras partes da Nigéria”. “Muitos refugiados e desabrigados estão hospedados em estruturas da Igreja – ressalta pe. Evaristus -. Por exemplo, a Catedral de Santa Teresa em Yola recebe cerca de 270 pessoas na casa do Bispo, no oratório e na escola. Em outras áreas, os desalojados são hóspedes em igrejas e famílias que abriram suas casas, apesar do peso econômico que isto comporta”.<br />“Boko Haram é uma seita que combate todos, inclusive muçulmanos, que não aderem à sua ideologia” explica o sacerdote, notando que “cerca de 20% dos refugiados são muçulmanos, mais de 40% cristãos e os outros, da religião tradicional africana”. “Para evitar tensões e principalmente, pelo medo da presença de infiltrados de Boko Haram, os responsáveis dos campos de acolhida não permitem realizar iniciativas de caráter religioso dentro destras estruturas”.<br />O responsável da Caritas Nigéria conta que “colheu testemunhos terríveis sobre as violências de Boko Haram, como a de uma mulher que viu seu marido ser brutalmente assassinado e ficou traumatizada, ou daqueles que viram cortar a cabeça de seus irmãos ou de pessoas que tiveram que caminhar muitos quilômetros para se refugiarem nos Camarões. Há ainda o drama das crianças separadas de seus pais durante fugas caóticas. Colhemos testemunhos de recrutamentos forçados nas tropas de Boko Haram, por vezes com o uso de drogas para fazer os jovens cristãos se sentirem mais fracos e se recrutarem. Muitos destes, na primeira chance, tentam fugir”.<br />“Agora que o exército nigeriano está liberando as áreas ocupadas por Boko Haram existe esperança de que os desalojados retornem às suas casas, mas será preciso tempo porque a destruição é enorme”, conclui pe. Evaristus. Sat, 28 Mar 2015 00:00:00 +0100OCEANIA/PAPUA NOVA GUINÉ - “WeCare!”: atenção pelos pobres junto ao cultohttp://fides.org/pt/news/39615-OCEANIA_PAPUA_NOVA_GUINE_WeCare_atencao_pelos_pobres_junto_ao_cultohttp://fides.org/pt/news/39615-OCEANIA_PAPUA_NOVA_GUINE_WeCare_atencao_pelos_pobres_junto_ao_cultoPort Moresby – “Tradicionalmente nas paróquias de Port Moresby, a ênfase primária é dada ao culto, aos sacramentos e às práticas de devoção. Presume-se que a partir daí, nasça o amor ao próximo”, diz, em nota enviada à Agência Fides, pe. John M. Glynn, responsável da Fundação “WeCare!” in Papua Nova Guiné. “A primeira comunidade apostólica, fundada por Jesus, apesar de ser uma Igreja nascente, já se dedicava ao amor ao próximo, nutrindo os famintos, curando os doentes, vestindo os desnudos, acolhendo os estrangeiros”, nota pe. Glynn. <br />“Se fossemos a comunidades remotas e perguntássemos as pessoas: aonde procurar ajuda para doentes, pobres, idosos, deficientes, abandonados e abusados? Antigamente, a resposta era: na Igreja. Espero de coração que as palavras do Papa Francisco possam ser assimiladas na Papua Nova Guiné, encorajando as paróquias a atuarem na caridade e nos serviços sociais”, ressalta. A Fundação “WeCare!” oferece apoio gratuito às mulheres vulneráveis e marginalizadas, crianças e jovens, através da obra de voluntários e inserindo-os em famílias ou “grupos de cura”. As raízes de “WeCare!” nasceram em 2002, quando pe. John Glynn, padre católico irlandês, iniciou a assistir órfãos, deficientes e pessoas abandonadas nas ruas e nos subúrbios de Port Moresby na Papua Nova Guiné. Em 2007, a Fundação recebeu o reconhecimento oficial. Hoje, o trabalho se concentra na assistência e na instrução de crianças e jovens, com a intenção de ajuda-los a se reinserir no tecido social. Fri, 27 Mar 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/NICARÁGUA - Grupo de voluntários católicos espanhóis defende as crianças nicaraguenseshttp://fides.org/pt/news/39614-AMERICA_NICARAGUA_Grupo_de_voluntarios_catolicos_espanhois_defende_as_criancas_nicaraguenseshttp://fides.org/pt/news/39614-AMERICA_NICARAGUA_Grupo_de_voluntarios_catolicos_espanhois_defende_as_criancas_nicaraguensesLeón – Cerca de 10 anos atrás, um grupo de fiéis de uma paróquia espanhola de Madri visitou a cidade de León, na Nicarágua. Encontraram crianças desnutridas, famílias rompidas com problemas de álcool e litígios contínuos. Diante desta situação, iniciaram a ajudar o sacerdote local e dois colaboradores leigos nas iniciativas pastorais e dar comida aos menores mais carentes. Uma vez de volta à Espanha, decidiram criar a Associação “Pan de Vida para Nicaragüa” formada por 100 sócios que com pequenos mercados, encenações teatrais e pequenas iniciativas, coletam verbas para as crianças da Nicarágua e mensalmente as enviam à missão no bairro de León. Atualmente, 180 pequenos comem diariamente no refeitório de León; 25 frequentam uma escola diurna de apoio para as mães trabalhadoras e outras 110 frequentam um instituto de ensino secundário. Fri, 27 Mar 2015 00:00:00 +0100