Fides News Portuguêshttp://fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usÁSIA/PAQUISTÃO - Cônjuges cristãos queimados vivos: se move o Supremo Tribunalhttp://fides.org/pt/news/38813-ASIA_PAQUISTAO_Conjuges_cristaos_queimados_vivos_se_move_o_Supremo_Tribunalhttp://fides.org/pt/news/38813-ASIA_PAQUISTAO_Conjuges_cristaos_queimados_vivos_se_move_o_Supremo_TribunalIslamabad – O Supremo Tribunal do Paquistão pediu ao governo para apresentar com urgência um relatório sobre a investigação relativa ao caso ocorrido em 4 de novembro no distrito de Kasur, onde dois cônjuges cristãos Shahzad Masih e Shama Bibi foram linchados e queimados vivos sob a acusação de blasfêmia, por suposta profanação de páginas do Alcorão. O Tribunal solicitou também o executivo a apresentar um relatório sobre as medidas tomadas para cumprir a ordem emitida em junho de 2014, quando o órgão supremo do juízo havia ordenado ao governo federal de instituir o "Conselho Nacional dos direitos das minorias" e formar uma especial "task force" para proteger os locais de culto das minorias religiosas.<br />A etapa foi bem recebida pela comunidade cristã e pela sociedade civil, em nome da defesa do Estado de Direito. Entrevistado por Fides, Pe. James Channan OP, Diretor do "Peace Center" em Lahore, disse: "Estamos felizes por essa etapa. Parece um resultado positivo de nossa luta comum: o pedido de intervenção ao Supremo Tribunal foi feito por líderes religiosos cristãos e muçulmanos, representantes de organizações como o Peace Center, URI, Minjahul Quran, Conselho dos Ulamás do Paquistão, comprometidas com a justiça, a paz e a harmonia religiosa. Esperamos que em breve cheguem medidas concretas para restituir o sentido de segurança a todos os cidadãos, especialmente os cristãos e outras minorias perseguidas no Paquistão".<br />No entanto, segundo informações obtidas por Fides de fontes locais, os familiares do casal assassinado estão sofrendo pressões e ameaças para que abandonem o caminho do processo penal. Até mesmo os cristãos dos povoados circunstantes, de onde vem as principais suspeitas de linchamento, foram ameaçados. Um cristão do povoado de Bhail contou que a tensão na área é forte e que se desenvolveu uma grande hostilidade dos muçulmanos contra os cristãos, depois do ataque e prisões feitas pela polícia nas casas de muçulmanos.<br />O advogado cristão Mushtaq Gill disse à Fides: "Há uma mentalidade generalizada entre os fiéis muçulmanos que consideram os cristãos como ‘infiéis’, inferiores e merecedores de abuso. Às vezes até mesmo os líderes políticos repetem isso nas telas de televisão. Num país 97% muçulmano, os cristãos são vítimas de ameaças e ataques, e vivem sob uma nuvem de discriminação e ódio". Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/ÁFRICA DO SUL – Nomeações do Bispo de Klerksdorphttp://fides.org/pt/news/38812-AFRICA_AFRICA_DO_SUL_Nomeacoes_do_Bispo_de_Klerksdorphttp://fides.org/pt/news/38812-AFRICA_AFRICA_DO_SUL_Nomeacoes_do_Bispo_de_KlerksdorpCidade do Vaticano – O Santo Padre Francisco, em 24 de novembro de 2014, nomeou Bispo da Diocesi de Klerksdorp, na África do Sul, o Rev. Victor Hlolo Phalana, Vigário Geral da Arquidiocese de Pretória.<br />O Rev. Victor Hlolo Phalana, nasceu em 3 de abril de 1961 em Erasmus, Odi, na Província North West, Arquidiocese de Pretória. Estudou filosofia e teologia no Seminário Maior St. John Vianney de Pretória. Obteve o mestrado em Espiritualidade na Pontificia Universidade Gregoriana de Roma ; desenvolveu estudos em African Culture na Universidade Católica da África Oriental em Nairóbi . Foi ordenado sacerdote em 14 de maio de 1988, e incardinado na Arquidiocese de Pretória.<br />Depois da ordenação, desempenhou os seguintes cargos: 1988-1989: Vigário paroquial de St. Camillus, em Hammanskraal; 1989-1992: Pároco de Christ the King, Mabopane; 1992-1993: Professor no Seminário Propedêutico de Hammanskraal e de Cidade do Cabo; 1993-1995: Estudos para o mestrado em Teologia Espiritual na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, hóspede do Pontifício Colégio São Pedo Apóstolo; 1995-1999: Diretor Espiritual do Seminário filosófico St. Peter e docente no Seminário Maior de St. John Vianney; 1999-2004: Docente no Instituto Pastoral Lumuko; 2004-2008: Pároco de Good Shepherd e St. Peter em Winterveldt; desde 2007: Administrador da Catedral de Pretória; desde 2011: Vigário Geral da Arquidiocese de Pretória. Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/BRASIL - São mais de 500 mil as assinaturas para pedir a Reforma política democráticahttp://fides.org/pt/news/38811-AMERICA_BRASIL_Sao_mais_de_500_mil_as_assinaturas_para_pedir_a_Reforma_politica_democraticahttp://fides.org/pt/news/38811-AMERICA_BRASIL_Sao_mais_de_500_mil_as_assinaturas_para_pedir_a_Reforma_politica_democraticaBrasília – O projeto de lei de inciativa popular, "Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela Reforma Política Democrática", preparado pela Coalizão para a Reforma política democrática e eleições limpas, precisa de um milhão e meio de assinaturas até 2015 para poder ser apresentado ao Congresso. Um dos principais objetivos da iniciativa é empreender uma profunda reforma política, proibindo o financiamento das campanhas eleitorais por parte das empresas. Conforme a nota enviada por Adital à Agência Fides, foram recolhidas 500 mil assinaturas. A coalizão lançou a campanha "Reforma política democrática já!", que prevê três fases: em novembro e dezembro, encontros nas principais cidades do país; em janeiro e fevereiro de 2015, campanha para a coleta de assinaturas e uma conferência no Rio de Janeiro; a celebração de uma semana para a reforma política e a entrega das assinaturas obtidas no congresso, em Brasília. A Igreja Católica está engajada no apoio à formaçao política da comunidade e o primeiro membro da coalizão para a reforma política e democrática é a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/NICARÁGUA - Temores pela construção do Canal: “Não os abandonaremos”, garante o Bispo de Granadahttp://fides.org/pt/news/38810-AMERICA_NICARAGUA_Temores_pela_construcao_do_Canal_Nao_os_abandonaremos_garante_o_Bispo_de_Granadahttp://fides.org/pt/news/38810-AMERICA_NICARAGUA_Temores_pela_construcao_do_Canal_Nao_os_abandonaremos_garante_o_Bispo_de_GranadaGranada – Cresce a preocupação com o início da construção do canal interoceânico, entre o Pacífico e o Atlântico, fixada para 22 de dezembro, que afastará de suas terras milhares de camponeses, provocando graves consequência no meio ambiente . Os líderes das várias comunidades do departamento de Rivas se encontraram com o Bispo de Granada e Secretário da Conferência Episcopal da Nicarágua, Dom Jorge Solórzano Pérez, enquanto em Masaya quase toda a população se reuniu para enfrentar a questão.<br />“Desejamos esclarecer a situação, que alguns manipulam dizendo que queremos um preço melhor: não é verdade, ninguém de nós quer vender as suas propriedades”, afirmou Roger Guido, de Santo Domingo Piche, um dos participantes da reunião com Dom Solorzano. Alberto Lopez, vindo de Esquipulas, Moyogalpa , descreveu para o Bispo a situação na ilha: "Muitas pessoas estão chegando aos centros de saúde e aos hospitais com os nervos destruídos, com problemas de pressão e de coração desde que viram os funcionários da sociedade chinesa encarregada das obras tomar as medidas de suas propriedades. O que preocupa é que as pessoas comecem a pensar em como defender a própria terra, até mesmo com a própria vida. Eis o motivo pelo qual é importante que a Igreja se expresse a favor dos mais abandonados e nos dê uma esperança", disse Lopez.<br />Dom Solórzano garantiu em seu pronunciamento: "Estamos com vocês e não os deixaremos sós". E declarou que preparará um comunicado depois de se encontrar com todos os sacerdotes e os párocos de sua diocese. A reunião popular realizada em Masaya, segundo a nota enviada a Fides por um fonte local, evidenciou que o governo não informa as pessoas sobre a situação real, temendo reações, e que as obras do canal não garantirão emprego às populações locais, enquanto administradas pelos chineses. Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/NEPAL – Os pobres obrigados ao tráfico ilegal de órgãos para ter uma vida dignahttp://fides.org/pt/news/38809-ASIA_NEPAL_Os_pobres_obrigados_ao_trafico_ilegal_de_orgaos_para_ter_uma_vida_dignahttp://fides.org/pt/news/38809-ASIA_NEPAL_Os_pobres_obrigados_ao_trafico_ilegal_de_orgaos_para_ter_uma_vida_dignaKatmandu – O tráfico ilegal de órgãos humanos continua a ser praticado em todo o mundo. O rim é o órgão mais vendido, porque pode ser retirado de pessoas vivas. Há quem venda os próprios órgãos para comprar uma casa e oferecer uma vida digna à própria família, e quem o faz para pagar tratamentos médicos. O vilarejo de Hokshe, no Nepal, é tristemente conhecido por este trágico fenômeno. Os traficantes atuam impunemente e quase todos os habitantes conhecem alguém que vendeu um rim ao mercado ilegal. <br />Trata-se de um vilarejo de pequenas empresas agrícolas e casas de barro, há décadas no centro do tráfico ilegal de órgãos. Dos quatro mil habitantes, 121 venderam pelo menos um rim, mesmo que as estimativas não oficiais declarem que o número sejam muito superior. No decorrer dos anos, a localidade ganhou o nome de “banco do rim”. De fato, durante décadas os traficantes procuraram trabalhadores braçais e agricultores pobres entre as montanhas fora de Kathmandu, e muitos, analfabetos, cederam. Com a promessa de um lucro de centenas de milhares de dólares, os doadores são obrigados a ir para a Índia para as operações cirúrgicas. <br />Até 2008, a operação era ilegal; depois, foram autorizados a doar os órgãos somente aos parentes mais próximos, após atenta supervisão por parte do Governo. Anos de campanhas, com um controle mais apurado por parte da polícia, frearam o tráfico de modo significativo. No ano passado, a polícia prendeu dez traficantes. Três deles estão na prisão. Os outros saíram pagando fiança e estão a espera do julgamento. Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/JORDÂNIA - Congresso sobre cristãos e “Primaveras árabes”. Padre Bader: uma fase histórica à qual seguiram apenas efeitos negativoshttp://fides.org/pt/news/38808-ASIA_JORDANIA_Congresso_sobre_cristaos_e_Primaveras_arabes_Padre_Bader_uma_fase_historica_a_qual_seguiram_apenas_efeitos_negativoshttp://fides.org/pt/news/38808-ASIA_JORDANIA_Congresso_sobre_cristaos_e_Primaveras_arabes_Padre_Bader_uma_fase_historica_a_qual_seguiram_apenas_efeitos_negativosAmã – Intitula-se “Declaração de Amã” o documento final aprovado na conclusão do Congresso sobre cristãos e “Primaveras árabes”, promovido nos dias 22 e 23 de novembro em Amã pela Fundação Konrad Adenauer e o al-Quds Center for Political Studies. Participaram do encontro parlamentares e políticos de várias nações médio-orientais, com representantes de Igrejas e comunidades cristãs, como o Arcebispo caldeu de Kirkuk, Dom Yousif Thomas Mirkis. “O documento conclusivo – refere à Agência Fides o sacerdote jordaniano Rifat Bader, diretor do Catholic Center for Studies and Media – representa uma ‘road map’ para tentar delinear um futuro melhor para os cristãos do Oriente Médio, em que sejam detidas as violências e os crimes sectários, se coloque um limite nos abusos de tiranias políticas e religiosas e se reforce um verdadeiro Estado de direito”. <br />Em seu pronunciamento, pe. Bader evocou a urgência de intervir nas graves carências dos currículos escolares, que ignoram a presença e a história dos cristãos nos países médio-orientais, e desta forma, desfavorecem nas novas gerações o conhecimento recíproco, indispensável para alimentar a convivência colaborativa e colaborativa. “Nos programas escolares – explica à Fides pe. Bader – constata-se a total remoção da presença e da história das comunidades cristãs autóctones, presentes na área médio-oriental desde os tempos apostólicos. Como se pode educar crianças a respeitar o próximo se este não está nem mesmo mencionado nos livros escolares?”.<br />Em relação ao juízo geral sobre as chamadas Primaveras árabes, nos pronunciamentos feitos no Congresso se registrou a total ausência dos tons enfáticos com o qual o fenômeno era visto no início: “Hoje – comenta à Fides pe. Bader – todos falam como uma fase histórica do passado e a atenção se concentra em como enfrentar as emergências e as consequências negativas que se seguiram”. .Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/MIANMAR - Mensagem dos Bispos para o Jubileu: “Uma nova estação de esperança”http://fides.org/pt/news/38807-ASIA_MIANMAR_Mensagem_dos_Bispos_para_o_Jubileu_Uma_nova_estacao_de_esperancahttp://fides.org/pt/news/38807-ASIA_MIANMAR_Mensagem_dos_Bispos_para_o_Jubileu_Uma_nova_estacao_de_esperancaYangun – Uma “Igreja arco-íris”, que reúne etnias e culturas diferentes em “um novo Pentecostes”: é a imagem usada por Dom Charles Bo, SDB, Arcebispo de Yangun, ao descrever a Igreja birmanesa que festeja o seu Jubileu, iniciado em 22 de novembro, lembrando 500 anos da primeira evangelização do país. Na mensagem difundida pelo Presidente do Episcopado birmanes, enviada à Agência Fides, o Arcebispo recorda que a Igreja birmanesa vive o Jubileu como descrito na Bíblia: “Um tempo de graça, de restituição, de ação de graças, de triunfo da liberdade dos filhos de Deus”. “O Ano Jubilar é também tempo de repouso” recorda o texto. “Descanso de toda opressão, das guerras, descanso da pobreza e do sofrimento. Este é um ano de graça, não só para os cristãos, mas para todos os irmãos e irmãs de Mianmar” nota o Arcebispo. “Neste Ano jubilar, nos reunimos em busca da justiça, da paz e da prosperidade” é o apelo lançado pela Igreja birmanesa. “Para pedir liberdade do ódio e de todo tipo de opressão. O Ano jubilar abre uma estação de esperança, que será inundada pelas bênçãos de Deus”. Recordando que o caminho da Igreja local começou graças a “um grão de fé jogado por São Francisco Xavier”, a mensagem recorda a história da pequena comunidade cristã na Birmânia, alimentada pela obra de missionários dominicanos, jesuítas, franciscanos e de outras ordens, como OMI, MEP, Barnabitas, PIME, La Salette. Os cristãos mantiveram a luz da fé “resistindo a séculos de opressão”, observa. A mensagem indica em seguida o caminho para a Igreja no futuro: se a comunidade se mantiver sólida na fé – como os primeiros cristãos - continuando a empenhar-se na instrução e na assistência aos carentes, poderá ser uma referência para “promover a paz, a reconciliação e a justiça”, e viverá uma temporada de “nova evangelização” confiada principalmente aos leigos. O compromisso missionário é uma resposta também aos “sacrifícios dos missionários que aqui chegaram”, prossegue o texto, optando pela abordagem e o espírito do Bom Pastor “ao chegar até quem está fora das estruturas paroquiais” e não receberam o anúncio de salvação do Evangelho. A evangelização da Birmânia, hoje Mianmar, começou nos primeiros anos do século XVI. Depois do ingresso no país, a presença de sacerdotes dominicanos, franciscanos e jesuítas permitiu criar as primeiras comunidades cristãs, que gradualmente se instalaram. Hoje, a Igreja em Mianmar é formada por 16 Dioceses e conta cerca de 750 mil fiéis, o equivalente a 1,3% da população. Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/RD CONGO - Novo massacre no Kivu do Norte. Chega a 200 o número de mortos na área deste outubrohttp://fides.org/pt/news/38806-AFRICA_RD_CONGO_Novo_massacre_no_Kivu_do_Norte_Chega_a_200_o_numero_de_mortos_na_area_deste_outubrohttp://fides.org/pt/news/38806-AFRICA_RD_CONGO_Novo_massacre_no_Kivu_do_Norte_Chega_a_200_o_numero_de_mortos_na_area_deste_outubroKinshasa – Mais de cem pessoas foram mortas em 20 de novembro na região de Beni, no Kivu do Norte, leste da República Democrática do Congo. Segundo nota enviada à Agência Fides pela Coordenação da Sociedade Civil no Kivu do Norte, “o massacre mais assustador ocorreu em pleno dia, entre as 14 e as 19hs de quinta-feira, 20 de novembro, nas aldeias de Tepiomba e Vemba”. Segundo a nota, pelo menos 200 pessoas foram mortas desde 2 de outubro em uma série de ataques que atingiram várias aldeias da área. Outros testemunhos enviados à Fides afirmam que os atacantes se apresentaram aos moradores vestindo uniformes do exército regular congolês, com o pretexto de protegê-los. Uma vez conquistada a sua confiança, iniciaram o massacre. <br />A Coordenação da sociedade civil “se declara abalada pelo enésimo crime e denuncia as execuções perpetradas a machadadas pelos terroristas do ADF-NALU ou por seus aliados na área de Beni” e convida as forças de segurança congolesas e a MONUC a enfrentarem o desafio lançado pelo ADF-NALU, grupo de origem ugandesa que há tempos domina a região. Ao mesmo tempo, os representantes da sociedade civil pedem às autoridades “mais profissionalismo e objetividade a fim de não confundirem os culpados com os inocentes, e para que a busca ao ADF-NALU não seja qualificada por seus detratores como uma caça ao homem”. Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/QUÊNIA – Intensificadas as medidas de segurança na frente das Igrejas depois da tragédia do ônibushttp://fides.org/pt/news/38805-AFRICA_QUENIA_Intensificadas_as_medidas_de_seguranca_na_frente_das_Igrejas_depois_da_tragedia_do_onibushttp://fides.org/pt/news/38805-AFRICA_QUENIA_Intensificadas_as_medidas_de_seguranca_na_frente_das_Igrejas_depois_da_tragedia_do_onibusNairóbi – A polícia intensificou as medidas de segurança na região de Mandera , no confim com a Somália, onde em 22 de novembro, 28 pessoas foram mortas a sangue frio por milicianos somalis Shabaab, que selecionaram suas vítimas com base na pertença religiosa, eliminando quem não sabia rezar versículos do Alcorão. Segundo informações recebidas pela Agência Fides, medidas de segurança reforçadas se aplicam também em igrejas cristãs da área, onde os fiéis tiveram medo de ir às funções religiosas domingo, 23 de novembro. Diante dos edifícios de culto cristão, os agentes de guarda aumentaram de dois para três, para garantir a segurança. O bárbaro homicídio de pessoas inocentes está tendo também um impacto social porque dentre os mortos, 7 eram professores, e havia também médicos e policiais. Todos, portanto, com profissionalismos preciosos, cuja ausência será sentida na cidade de Mandera, onde trabalhavam. Em resposta ao ataque ao ônibus, as autoridades quenianas afirmaram ter conduzido uma série de operações militares contra os Shabaab na Somália, durante as quais 100 milicianos teriam sido mortos, afirmação rechaçada por um porta-voz dos extremistas somalis. Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100VATICANO - Papa Francisco: o Senhor conceda um novo impulso missionário à Igreja na Índiahttp://fides.org/pt/news/38804-VATICANO_Papa_Francisco_o_Senhor_conceda_um_novo_impulso_missionario_a_Igreja_na_Indiahttp://fides.org/pt/news/38804-VATICANO_Papa_Francisco_o_Senhor_conceda_um_novo_impulso_missionario_a_Igreja_na_IndiaCidade do Vaticano – O auspício de “um novo impulso missionário para a Igreja na Índia” foi expresso pelo Papa Francisco antes da oração do Angelus, domingo, 23 de novembro, no final do rito de canonização de 6 Beatos. Dois dos novos Santos são originários da Índia: Kuriakose Elias Chavara, da Sagrada Família , co-fundador e primeiro Prior Geral dos Carmelitas de Maria Imaculada, e Eufrasia Eluvathingal do Sagrado Coração , da Congregação das Irmãs da Mãe do Carmelo. “Por intercessão dos dois Santos indianos, provenientes de Kerala, grande terra de fé e de vocações sacerdotais e religiosas – disse o Papa – o Senhor conceda um novo impulso missionário à Igreja que está na Índia – que é tão presente! – a fim de que, se inspirando em seu exemplo de concórdia e reconciliação, os cristãos da Índia prossigam no caminho da solidariedade e da convivência fraterna”. Mon, 24 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/GANA – Nomeado o Bispo de Obuasihttp://fides.org/pt/news/38803-AFRICA_GANA_Nomeado_o_Bispo_de_Obuasihttp://fides.org/pt/news/38803-AFRICA_GANA_Nomeado_o_Bispo_de_ObuasiCidade do Vaticano – Em 22 de novembro de 2014, o Santo Padre Francisco nomeou como Bispo da diocese de Obuasi o Rev.do John Yaw Afoakwa, Reitor do St. Louis Rectorate de Obuasi.
O novo Bispo nasceu em 26 de janeiro de 1955 em Akrokerry, Ashanti Region, diocese de Obuasi. Em 1975 obteve o Ordinary Level na St. John School de Sekondi e se transferiu ao Wesley College de Kumasi, onde em 1978 obteve o A Certificate. Estudou em Roma no Colégio Mater Ecclesiae , obtendo um B.A. em Religious Education em 1983. Foi Religious Education Organiser na Catholic Education Unit de Kumasi até 1986, ano em que entrou no St. Peter’s Regional Seminary de Cape Coast. Em 1992 obteve um B.A. em Religion with Sociology na Universidade de Gana, em Accra. Foi ordenado sacerdote em 11 de julho de 1992 e incardinado na Diocese de Kumasi, transferindo-se, em seguida, para Obuasi depois da criação daquela diocese, em 1995.
Após a ordenação, ocupou os seguintes cargos e desempenhou os seguintes estudos: 1992-1995: professor e capelão no St. Louis Training College de Kumasi; 1995-2007: professor e capelão na Christ the King Catholic Secondary School em Obuasi; Diretor do Diocesan Cathechetics Office e do Diocesan Department of Social Communications; serviço pastoral na Holy Trinity Catholic Church de Anyinam e Reitor da Corpus Christi Catholic Church de Akaporiso; 2007-2011: Vigário paroquial da Blessed Trinity Parish na diocese de Rochester , obtendo simultaneamente o Master of Science in Education no Le Moyne College em Siracuse; desde 2012: professor na Bodwesango Senior High School de Bodwesango, Ashanti Region em Gana, e Presidente do Board of Governors del St. Joseph Senior High School em Ahwiren; Reitor do St. Louis Rectorate e Capelão da St. Louis Clinic em Bodwesango. Durante o seu ministério foi encarregado de vários comitês diocesanos e nacionais. Sat, 22 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/ARGENTINA - Bispo de Oran denuncia a morte de uma menina por desnutrição. Os postos de saúde da região estão abandonadoshttp://fides.org/pt/news/38802-AMERICA_ARGENTINA_Bispo_de_Oran_denuncia_a_morte_de_uma_menina_por_desnutricao_Os_postos_de_saude_da_regiao_estao_abandonadoshttp://fides.org/pt/news/38802-AMERICA_ARGENTINA_Bispo_de_Oran_denuncia_a_morte_de_uma_menina_por_desnutricao_Os_postos_de_saude_da_regiao_estao_abandonadosOran – “Infelizmente, um mês atrás, uma menina morreu de desnutrição. Pertencia a uma das comunidades Wichí de La Union . Isto não deve acontecer mais!”. Com estas palavras, o Bispo de Oran, Dom Gustavo Zanchetta, comunicou a todas as paróquias de sua diocese o triste evento. Liliana Sarmiento, de um ano e quatro meses, vivia em La Unión , e a desnutrição a levou à morte em 18 de outubro, mas o caso se tornou público somente no dia 20 de novembro. O terrível episodio se verificou em meio a uma crise no sistema de saúde, que exclui milhares de famílias de Chaco Salta da assistência de base. A nota enviada à Agência Fides recorda que, não obstante as contínuas promessas, desde 2010, o Ministério da Saúde nunca ativou os postos de saúde naquela região. O jornal de Salta "El Tribuno" constatou que os postos de saúde El Ocultar, El Totoral, Las Bolsas , e o de El Retiro , estavam abandonados. Em El Ocultar foi construído um Centro de serviços comunitário com uma área dedicada à assistência médica, enquanto hoje, os residentes daquela área devem percorrer 23 km para uma consulta médica. Sat, 22 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/CHINA - Dez sacerdotes ordenados em Han Dan no dia da dedicação das Basílicas Vaticana e Ostiensehttp://fides.org/pt/news/38801-ASIA_CHINA_Dez_sacerdotes_ordenados_em_Han_Dan_no_dia_da_dedicacao_das_Basilicas_Vaticana_e_Ostiensehttp://fides.org/pt/news/38801-ASIA_CHINA_Dez_sacerdotes_ordenados_em_Han_Dan_no_dia_da_dedicacao_das_Basilicas_Vaticana_e_OstiensePequim – Mais de 2 mil fiéis participaram da solene missa de ordenação de 10 sacerdotes na diocese de Han Dan , na província de He Bei, na China continental, celebrada em 18 de novembro, dia em que a Igreja recorda a festa da dedicação das Basílicas de São Pedro, no Vaticano, e São Paulo, na rua Ostiense. Segundo informações recebidas pela Agência Fides, o idoso Bispo de Han Dan, Dom Yang Xiang Tai, presidiu o rito, concelebrado pelo Coadjutor, Dom Giuseppe Sun Ji Gen, e por 160 sacerdotes. Não obstante tenha sido a ordenação com o maior número de novos sacerdotes na história diocesana, Dom Sun Ji Gen falou da carência de vocações, convidando calorosamente os jovens a responderem ao chamado do Senhor para serem operários de sua vinha. A diocese de Han Dan é uma das mais ativas e desenvolvidas da China continental: é muito ativa no testemunho da caridade e no serviço social, assistindo os idosos, os doentes físicos e psíquicos. Também a pastoral paroquial e da escola são bem organizadas. Sat, 22 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/KUWAIT – Discriminação e analfabetismo para mais de mil crianças “bidoon”http://fides.org/pt/news/38800-ASIA_KUWAIT_Discriminacao_e_analfabetismo_para_mais_de_mil_criancas_bidoonhttp://fides.org/pt/news/38800-ASIA_KUWAIT_Discriminacao_e_analfabetismo_para_mais_de_mil_criancas_bidoonMadinat al-Kuwait – Em todo o Kuwait, as escolas abriram em setembro, mas mais de mil menores da comunidade árabe apátrida, conhecida como bidoon , foram excluídos das aulas por não possuírem certidão de nascimento. O Estado se recusa em expedir certidões a crianças apátridas, negando, desta forma, a sua existência desde o nascimento. O problema dos bidoon no país é antigo e o Governo está buscando estratégias diferentes para isolar o ostracismo em relação aos membros deste grupo. A exclusão das crianças das escolas fundamentais está se verificando justamente no ano letivo sucessivo ao ano em que algumas jovens diplomatas na escola superior eram bidoon e não lhes foi concedido acessar às universidades do Kuwait. Sem o direito de frequentar escolas públicas e em grande maioria sem disponibilidade de pagar educação particular, os jovens bidoon podem aspirar apenas a um emprego com salário mínimo. Deste modo, se abre caminho ao analfabetismo, ao desemprego, à venda de drogas, ao crime e ao rancor pela sociedade. A Sociedade dos professores do Kuwait lançou uma iniciativa chamada Katateeb Al Bidoon, que propõe aos educadores dar aulas aos pequenos bidoon na sede da Sociedade. Muitos aderiram e diversas crianças se apresentaram de uniforme, com seu almoço e muita vontade de aprender. No mês de outubro, houve diversas formas de protesto diante do Ministério da Educação do país pedindo o retorno das crianças bidoon às escolas. Sat, 22 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/TERRA SANTA - Arqueólogo palestino localiza perto de Ramallah o lugar do sepultamento de Santo Estêvão Protomártirhttp://fides.org/pt/news/38799-ASIA_TERRA_SANTA_Arqueologo_palestino_localiza_perto_de_Ramallah_o_lugar_do_sepultamento_de_Santo_Estevao_Protomartirhttp://fides.org/pt/news/38799-ASIA_TERRA_SANTA_Arqueologo_palestino_localiza_perto_de_Ramallah_o_lugar_do_sepultamento_de_Santo_Estevao_ProtomartirRamallah - O arqueólogo palestino Salah Hussein al Hudeliyya, chefe da equipe de estudiosos empenhados na campanha de escavações e pesquisas no sítio arqueológico de Khirbet El Tireh , confirmou a descoberta de pistas que permitem identificar aquela área arqueológica com o lugar da sepultura de Santo Estêvão, primeiro mártir cristão. As pesquisas realizadas no local por arqueólogos palestinos e israelenses fazem parte de um projeto mantido pela Al Quds University e estão concentradas em torno dos restos de um grande complexo bizantino, incluindo uma igreja e um mosteiro. “Num dos ambientes estudados - assim disse o arqueólogo à mídia local consultada pela Agência Fides - nos deparamos com uma inscrição indicando que esta igreja foi construída em honra do apóstolo e arquidiácono Santo Estêvão, sepultado aqui no ano 35 depois de Cristo”. O projeto de estudo permitirá conduzir pesquisas e campanhas arqueológicas no sítio nos próximos 5 anos. Uma ampla seção da área arqueológica pertence ao Patriarcado greco-ortodoxo de Jerusalém. É fácil prever a futura inserção do sítio nos itinerários de peregrinação à Terra Santa. .Sat, 22 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/EGITO - As Igrejas estudam o projeto de lei sobre o estatuto pessoal de cristãos e minoriashttp://fides.org/pt/news/38798-AFRICA_EGITO_As_Igrejas_estudam_o_projeto_de_lei_sobre_o_estatuto_pessoal_de_cristaos_e_minoriashttp://fides.org/pt/news/38798-AFRICA_EGITO_As_Igrejas_estudam_o_projeto_de_lei_sobre_o_estatuto_pessoal_de_cristaos_e_minoriasCairo - As Igrejas cristãs no Egito foram envolvidas pelo Ministério de transição da Justiça no desenvolvimento de um novo projeto de lei sobre o estatuto pessoal de cristãos e outras minorias religiosas. Um esboço da nova lei foi apresentado aos líderes de diferentes Igrejas e comunidades cristãs arraigadas no país norte-africano, com o pedido de enviar suas considerações sobre o texto até o próximo 26 de novembro. A nova lei também irá regulamentar o direito matrimonial dos membros das comunidades cristãs. Como afirmou publicamente Anba Paula, Bispo copta-ortodoxo de Tanta e Presidente da Comissão Eclesiástica, encarregado de expressar a avaliação de sua própria Igreja, o projeto de lei sobre o estatuto pessoal é bom e poderia resolver muitos problemas, mas ainda haverá da parte da Igreja copta-ortodoxa várias questões sobre as quais discutir. Anba Paula também antecipou que a Igreja copta-ortodoxa e todas as Igrejas Católicas no Egito não darão nenhum reconhecimento e nenhum consenso para a eventual introdução de casamentos civis. Nos últimos dias, Peter Ramses, advogado e consultor jurídico da Associação "coptas 38", enviou ao Patriarca copta-ortodoxo, Tawadros II, uma carta pedindo para permitir aos representantes leigos da associação de participarem dos debates sobre a nova lei relativa ao estatuto pessoal. .Sat, 22 Nov 2014 00:00:00 +0100EUROPA/ESPANHA – Uma cruz que recorda o martírio do pe. Ignácio Azevedo e dos seus companheiros missionárioshttp://fides.org/pt/news/38797-EUROPA_ESPANHA_Uma_cruz_que_recorda_o_martirio_do_pe_Ignacio_Azevedo_e_dos_seus_companheiros_missionarioshttp://fides.org/pt/news/38797-EUROPA_ESPANHA_Uma_cruz_que_recorda_o_martirio_do_pe_Ignacio_Azevedo_e_dos_seus_companheiros_missionariosLa Palma – No extremo sul da ilha de La Palma, nas Canárias, foi recentemente colocada uma grande cruz para recordar o assassinato do jesuíta Ignácio Azevedo e dos seus 39 companheiros, ocorrido em 15 de julho de 1570, enquanto se preparavam para partir para o Brasil, impulsionados pelo desejo de se dedicar à evangelização daqueles povos. Nascido em Portugal em 1527 numa nobre família, Ignácio de Azevedo entrou para a Companhia em Coimbra. Em 1566 foi enviado como visitador na missão do Brasil, onde os jesuítas haviam estabelecido algumas casas. Depois de três anos de permanência nas missões brasileiras, ele regressou a Roma para informar sobre a situação e pedir ao superior-geral o envio de novos e numerosos missionários. Obteve então o cargo de identificar em Portugal e na Espanha os religiosos mais aptos para partir.<br />Em junho de 1570, o navio no qual viajava para o Brasil junto com um grupo de jesuítas foi obrigado a parar no arquipélago das Canárias por causa da falta de vento. Ali foi atacado por cinco navios piratas, guiados por desconhecidos, que exterminaram os jesuítas, massacrando-os com espadas e lanças, para depois jogá-los ao mar, mortos e moribundos. Eles foram logo venerados como mártires no Brasil e em seus países de origem, Portugal e Espanha. O Papa Pio IX os proclamou beatos em 1854. Segundo informações enviadas à Agência Fides pela Cúria dos Jesuítas, a cruz em basalto colocada para recordar o evento, olha para o mar a partir de um ponto situado perto do farol de Fuencaliente. A cerca de duzentos metros da costa, outras quarenta cruzes repousam há 15 anos no fundo do mar. Na ilha a lembrança de Ignácio Azevedo e seus companheiros ainda está viva. Sat, 22 Nov 2014 00:00:00 +0100VATICANO - O Papa: intensificar o espírito missionário e o entusiasmo da missão sem se desencorajarhttp://fides.org/pt/news/38796-VATICANO_O_Papa_intensificar_o_espirito_missionario_e_o_entusiasmo_da_missao_sem_se_desencorajarhttp://fides.org/pt/news/38796-VATICANO_O_Papa_intensificar_o_espirito_missionario_e_o_entusiasmo_da_missao_sem_se_desencorajarCidade do Vaticano – “Eu vos encorajo a intensificar o espírito missionário e o entusiasmo da missão e a manter firme em vosso empenho nas Dioceses, nos Institutos missionários, nas Comunidades, nos Movimentos e nas Associações o espírito da Evangelii gaudium, sem se desencorajar nas dificuldades, que não deixam de faltar e – destaco uma coisa – comecemos pelas crianças”. Esta é a exortação que o Santo Padre Francisco dirigiu aos participantes do IV Congresso Missionário nacional , recebidos no sábado em audiência. No seu discurso, o Papa recordou que “toda geração é chamada a ser missionária” e que “uma Igreja missionária só pode ser ‘em saída’”. E prosseguiu: “As diversas realidades que vós representeis na Igreja italiana indicam que o espírito da missio ad gentes deve se tornar o espírito da missão da Igreja no mundo: sair, ouvir o grito dos pobres e dos que estão distantes, encontrar todos e anunciar a alegria do Evangelho. As Igrejas particulares na Itália fizeram tanto… muitos padres, freiras e leigos fidei donum. Vós tens isso no sangue! É uma graça de Deus. Deveis preservá-lo, fazê-lo aumentar e deixá-lo como herança às novas gerações de cristãos.”
O Papa reiterou que “a missão é tarefa de todos os cristãos, não somente de alguns”, e destacou: “É tarefa também das crianças! Nas pontifícias obras missionárias, os pequenos gestos das crianças educam à missão”. Agradecendo à Igreja italiana pelo seu empenho, o Papa Francisco exortou a “não deixar-se roubar a esperança e o sonho de mudar o mundo com o Evangelho, com o fermento do Evangelho, começando das periferias humanas e existenciais. Sair significa superar a tentação de falar entre nós, esquecendo os muitos que esperam de nós uma palavra de misericórdia, de consolo e de esperança. O Evangelho de Jesus se realiza na história”. Depois de reiterar que “na catequese as crianças devem receber uma catequese missionária”, o Papa convidou a não ceder ao pessimismo, presente também na Igreja, “que corre o risco de privar do anúncio do Evangelho muitos homens e mulheres”. Ao invés, “Prossigamos com esperança! Os muitos missionários mártires da fé e da caridade nos indicam que a vitória está somente no amor e numa vida vivida pelo Senhor e pelo próximo, a partir dos pobres”. <br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://www.fides.org/ita/attachments/view/file/Papa_Conv_miss_naz_22112014.doc">O texto integral do discurso, em italiano</a>Sat, 22 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/COLÔMBIA - “Não destruir a esperança dos colombianos”: o pedido para prosseguirem os diálogos de pazhttp://fides.org/pt/news/38795-AMERICA_COLOMBIA_Nao_destruir_a_esperanca_dos_colombianos_o_pedido_para_prosseguirem_os_dialogos_de_pazhttp://fides.org/pt/news/38795-AMERICA_COLOMBIA_Nao_destruir_a_esperanca_dos_colombianos_o_pedido_para_prosseguirem_os_dialogos_de_pazPopayan – O Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, anunciou pessoalmente na noite de ontem que foram ativados os protocolos para a libertação dos quatro militares e de um civil sequestrados pelas FARC e que, logo após a sua libertação, os membros do governo voltarão a Havana para continuar o processo de paz . A nota enviada pela rádio Caracol à Agência Fides informa depois de um encontro com as comunidades índias de Popayan, Valle del Cauca, o Presidente anunciou: “assim que ver os reféns livres, darei instruções aos negociadores para retornar a Havana”. No momento do sequestro, o Presidente havia suspenso os diálogos de paz. O Presidente da Conferência Episcopal da Colômbia, o Arcebispo de Tunja, Dom Luis Augusto Castro Quiroga, em 19 de novembro fez uma declaração, enviada à Agência Fides, em que pede ao Presidente Santos que continue o processo de paz com estas palavras: “Convido o Presidente a refletir porque não deve deixar que a esperança dos colombianos seja despedaçada como um prato de cerâmica jogado do quinto andar”. Dom Castro Quiroga havia reiterado o apoio da Igreja ao governo para retomar rapidamente os diálogos de paz. Referindo-se às populações indígenas visitadas, o Presidente Santos relevou que “são as que mais sofreram as consequências da guerra”, e portanto, há um grande desejo na região de poder restaurar a paz na Colômbia. Santos anunciou ainda de Popayan a assinatura de um decreto presidencial para uma eficaz proteção e segurança nos territórios ocupados pelas populações indígenas ancestrais. Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - “Temos uma longa história de acolhida…”: a Igreja fala das medidas para os imigranteshttp://fides.org/pt/news/38794-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Temos_uma_longa_historia_de_acolhida_a_Igreja_fala_das_medidas_para_os_imigranteshttp://fides.org/pt/news/38794-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Temos_uma_longa_historia_de_acolhida_a_Igreja_fala_das_medidas_para_os_imigrantesWashington – O Bispo auxiliar de Seattle e Presidente da Comissão para as Migrações da Conferência Episcopal dos Estados Unidos , Dom Eusebio Elizondo, acolheu com satisfação a notícia que a administração Obama decidiu adiar a repatriação de muitos imigrantes sem documentos e de suas famílias.<br />“Temos uma longa história de acolhida e de ajuda aos pobres, aos marginalizados, aos imigrantes e às pessoas desfavorecidas”, disse Dom Elizondo. A cada dia, a Igreja católica nos Estados Unidos e todas as suas estruturas de serviço social, hospitais, escolas e paróquias são testemunhas das consequências humanas da divisão das famílias quando os pais são expulsos e separados de seus filhos ou os cônjuges separados um do outro. Todos já sabem que pedimos à administração que faça tudo o que está em seu legítimo poder para levar alívio e justiça a nossos irmãos e irmãs imigrantes. Como Pastores, acolhemos positivamente todos os esforços no âmbito destes limites na tutela das pessoas e para proteger e reunir as famílias e as crianças vulneráveis”. <br />Na nota enviada à Agência Fides, o Arcebispo de Louisville, Dom Joseph E. Kurtz, Presidente da USCCB, declarou: “Existe a urgente necessidade pastoral de uma visão mais humana dos imigrantes e de estabelecer medidas legais que respeitem a dignidade de toda pessoa, tutele os direitos humanos e defenda o estabelecido pela lei”.<br />Segundo as últimas notícias difundidas por agências, ontem à noite, o Presidente Obama anunciou a assinatura de medidas executivas com as quais poderão ser regularizados cerca de 5 milhões de imigrantes sem documentos. “Não é uma anistia de massa. Trata-se de responsabilidades e medidas de bom senso” disse o Presidente apresentando o decreto, que exclui dos repatriados forçados aqueles que moram nos EUA há 5 anos ou têm filhos nascidos no país, garantindo-lhes visto de residência e trabalho. Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100