Fides News Portuguêshttp://fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usAMÉRICA/COSTA RICA – Pobreza e violência atingem 34% das crianças costarriquenhashttp://fides.org/pt/news/38299-AMERICA_COSTA_RICA_Pobreza_e_violencia_atingem_34_das_criancas_costarriquenhashttp://fides.org/pt/news/38299-AMERICA_COSTA_RICA_Pobreza_e_violencia_atingem_34_das_criancas_costarriquenhasSão José – Uma das piores chagas que atingem as crianças na Costa Rica é a pobreza, que limita seu desenvolvimento físico geral, emotivo e educativo. Segundo os últimos dados enviados à Agência Fides, cerca de 34% delas vivem em condições de pobreza, e destas, 10,6% se encontram em condições de extrema pobreza. A porcentagem dos casos aumentou nos últimos anos não obstante o fato que, nas últimas décadas, a pobreza no país, em geral, tenha permanecido estável, entre 20 e 22%. Segundo o Patronato Nacional da Infância , no ano passado foram registradas cerca de 40 mil denúncias de maus-tratos contra crianças e mesmo que nem todas sejam comprovadas, a maior parte corresponde a situações reais. O Hospital de Niños recebe uma média de 5 crianças por dia com lesões causadas por agressões. Dentre as últimas iniciativas, o PANI promoveu uma campanha denominada “Gracias por Cuidarme” com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre o impacto do abandono e da carência de atenção pelos menores e mais vulneráveis. Como consta em uma nota da responsável da instituição, “crianças não podem permanecer sozinhas nem um minuto, principalmente se menores de 12 anos”. Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200AMÉRICA/MÉXICO – “Ser livres é descobrir o bem, porque o mal escraviza”: hoje é o dia da Independênciahttp://fides.org/pt/news/38298-AMERICA_MEXICO_Ser_livres_e_descobrir_o_bem_porque_o_mal_escraviza_hoje_e_o_dia_da_Independenciahttp://fides.org/pt/news/38298-AMERICA_MEXICO_Ser_livres_e_descobrir_o_bem_porque_o_mal_escraviza_hoje_e_o_dia_da_IndependenciaTehuantepec – “A liberdade não é um grito, a liberdade não é um decreto, a liberdade é uma experiência em que nós, como cidadãos, podemos viver em harmonia e viver com respeito pelos outros”: são as palavras de Dom Oscar Armando Campos Contreras, Bispo de Tehuantepec, na celebração da Festa da Independência do México, que se celebra hoje, 16 de setembro. Dom Campos falou no início dos festejos e destacou: “Estas festas nos ensinam que somos uma nação que caminhou desde 1810, todavia há ainda muito o que fazer para podermos dizer que somos realmente livres”. O Bispo reiterou que “ser livres é descobrir o bem e andar rumo a ele, porque o mal sempre escraviza”; e acrescentou: “Esta sociedade tem ainda muitas coisas que conduzem à escravidão, temos que reconhecê-lo. Assim, se devemos rumar ao bem, significa reconhecer o valor da pessoa, o valor da dignidade, o valor da vida. Em uma sociedade onde a vida é subestimada, em que a pessoa não é respeitada, seus direitos também não são respeitados. Uma sociedade em que o cidadão não reconhece seus deveres mas reclama apenas seus direitos, é uma sociedade que ainda não é livre”. Dom Campos concluiu dizendo: “Uma sociedade na qual existem milhões de pobres é também uma sociedade escrava, sujeita a certos esquemas, esquemas econômicos por vezes humilhantes para as pessoas, e isto significa viver na miséria”. Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200AMÉRICA/VENEZUELA - Os leigos encontram o Núncio Apostólico, uma tradição que encoraja a unidade da Igrejahttp://fides.org/pt/news/38297-AMERICA_VENEZUELA_Os_leigos_encontram_o_Nuncio_Apostolico_uma_tradicao_que_encoraja_a_unidade_da_Igrejahttp://fides.org/pt/news/38297-AMERICA_VENEZUELA_Os_leigos_encontram_o_Nuncio_Apostolico_uma_tradicao_que_encoraja_a_unidade_da_IgrejaCaracas – O Conselho Nacional dos Leigos da Venezuela, organismo da Conferência Episcopal Venezuelana , convidou os leigos para um encontro com o Núncio Apostólico na Venezuela, Dom Aldo Giordano, domingo, 21 de setembro, na escola Cristo Rei de Altamira . Segundo nota enviada por uma fonte da Fides, o Núncio fará uma conferência na qual “deseja transmitir uma mensagem especial do Santo Padre”, falará do pensamento do atual Pontífice, da Evangelii Gaudium, e levará o testemunho de sua experiência em setores-chave nos campos nacional e internacional, entre os quais o âmbito da família. O convite é dirigido a todos os agentes pastorais e aos leigos engajados em movimentos e centros católicos. O Conselho Nacional dos Leigos, recorda a nota, reúne os movimentos de leigos no país. O encontro, na prática, mantém viva a tradição segundo a qual os Núncios, ao chegar à Venezuela, encontram os leigos para saber, deles próprios, a realidade em que atuam, a fim de atuar um intercâmbio. O objetivo é difundir a mensagem de Jesus Cristo e reforçar a unidade da Igreja. O último encontro deste gênero foi em 24 de fevereiro de 2010, com o então Núncio apostólico Pietro Parolin, atualmente Secretário de Estado Vaticano. Naquela circunstância, o Arcebispo disse estar satisfeito como exemplo de unidade da Igreja do país, e a sua reflexão sobre o tema “O homem novo, verdadeiro discípulo de Jesus” permanece ainda hoje viva em muitos grupos. O próximo encontro, de 21 de setembro, está sendo aguardado de modo especial devido à delicada situação que o país está vivendo há alguns meses. Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/CHINA - Dom Giuseppe Wu, zelante pastor da comunidade, dedicado à formação de seminaristas e religiosashttp://fides.org/pt/news/38296-ASIA_CHINA_Dom_Giuseppe_Wu_zelante_pastor_da_comunidade_dedicado_a_formacao_de_seminaristas_e_religiosashttp://fides.org/pt/news/38296-ASIA_CHINA_Dom_Giuseppe_Wu_zelante_pastor_da_comunidade_dedicado_a_formacao_de_seminaristas_e_religiosasNanchang – No dia 25 de agosto, após uma longa doença, faleceu, aos 93 anos, Dom Giuseppe WU Shizhen, Arcebispo de Nanchang . O Prelado nasceu em 19 de janeiro de 1921, na região de Linchuan, na cidade de Fuzhou , em uma família tradicionalmente católica. Entrou no Seminário em 1933, aos 12 anos; completou a formação filosófica e teológica de 1942 a 1949 e foi ordenado sacerdote pelo então Bispo de Yujiang, Dom William Charles Quinn, C.M., em 16 de novembro de 1949.
Após a ordenação sacerdotal, o Rev. Wu teve que retornar a seu país natal para trabalhar na agricultura. Sucessivamente, se dedicou à prática da medicina tradicional chinesa, desempenhando serviço de assistência médica em alguns hospitais na região de Linchuan até a década de 80. Em 1982 retornou à Diocese e iniciou o ministério pastoral nas comunidades católicas de Linchuan, Jiujiang e Lushan.
Dom Wu realizou seu ministério em tempos difíceis. Tentou assegurar uma sólida formação humana e espiritual aos seminaristas e religiosas de sua Arquidiocese, reformou e reabriu diversas igrejas e guiou as comunidades locais com zelo pastoral. Seu funeral se realizou em 30 de agosto passado, na catedral da Imaculada Conceição de Maria em Songbaixiang . A comunidade diocesana reza ao Senhor para que acolha a alma do Prelado em seu Reino. Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/CHINA – “A missão atual dos sacerdotes”: intercâmbio cultural em Taiwan de um grupo de sacerdotes de Hebeihttp://fides.org/pt/news/38295-ASIA_CHINA_A_missao_atual_dos_sacerdotes_intercambio_cultural_em_Taiwan_de_um_grupo_de_sacerdotes_de_Hebeihttp://fides.org/pt/news/38295-ASIA_CHINA_A_missao_atual_dos_sacerdotes_intercambio_cultural_em_Taiwan_de_um_grupo_de_sacerdotes_de_HebeiShi Jia Zhuang – “A missão atual dos sacerdotes” foi o tema do “Intercâmbio cultural e de formação em Taiwan”, que teve como protagonistas um grupo de sacerdotes de Hebei, de 20 de agosto a 10 de setembro. A convite da Universidade católica Fu Ren de Taiwan, organizado pela província chinesa dos missionários Lazaristas, em colaboração com o Instituto de Estudos Culturais de Faith de Hebei, o encontro reuniu 13 sacerdotes provenientes de várias dioceses da província de Hebei, na China continental. Durante três semanas, viveram um intenso intercâmbio espiritual, pastoral, missionário e cultural com missionários, sacerdotes, religiosas e leigos de Taiwan. 
Segundo informações recebidas pela Agência Fides, o encontro deu continuidade às duas anteriores edições de 2012 e 2013, realizadas nos Estados Unidos, e se focalizou na missão dos sacerdotes na sociedade atual, “porque a transformação eclesial começa pelos sacerdotes, a partir de hoje. A missão dos sacerdotes é prolongar o amor do Senhor aos mais carentes, aos mais humildes, que mais precisam de atenção”, como disse o relator, pe. Hugh O'Donell, CM. Durante o intercâmbio, foram abordados diversos argumentos estritamente ligados à missão dos sacerdotes, como a formação juvenil, a formação da família e o matrimônio cristão, a experiência de evangelização da Igreja taiwanesa, as obras caritativas sociais, o serviço aos idosos e portadores de deficiência, a pastoral hospitalar, a solicitude humana... Os participantes também visitaram 7 comunidades da ilha e fizeram uma visita de cortesia a Dom Martin Su Yao-Wen, Bispo da diocese de Tai Chung. Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/LÍBANO - Toma posse o novo Mufti, homem de diálogohttp://fides.org/pt/news/38294-ASIA_LIBANO_Toma_posse_o_novo_Mufti_homem_de_dialogohttp://fides.org/pt/news/38294-ASIA_LIBANO_Toma_posse_o_novo_Mufti_homem_de_dialogoBeirute - Hoje, terça-feira 16 de setembro, assume plenamente as suas funções, o novo Mufti da República do Líbano, o xeque Abdel Latif Derian, eleito em agosto. A cerimônia de posse se realiza na mesquita Mohammad el-Amin, na presença do primeiro-ministro libanês, Tannam Salam, e demais autoriades do país, onde há meses os blocos políticos que dominam a cena política não conseguem encontrar um acordo para a eleição do novo presidente. Até mesmo o patriarca maronita, Bechara Boutros Rai, interrompeu sua visita pastoral aos Estados Unidos para participar da cerimônia. Aos 61 anos, Derian deve ocupar o cargo de mufti da República do Líbano até a idade de 72 anos, e é conhecido como um homem de diálogo e olhar para o futuro. De acordo com relatos da imprensa libanesa, com a sua posse torna-se possível realizar um encontro inter-religioso para traçar uma frente comum dos líderes de diversas comunidades religiosas libanesas contra o perigo de que também o Líbano seja desestabilizado por grupos jihadistas em ação no Oriente Médio. O novo mufti libanês, em seus primeiros discursos após a eleição, estigmatizou explicitamente o confronto entre xiitas e sunitas, que contribui fortemente com a violência e a desestabilização de toda a área médio-oriental, e usou palavras de condenação sobre o deslocamento forçado das comunidades cristãs locais. “As relações entre xiitas e sunitas no Líbano – afirmou, entre outras coisas, Derian – não são como deveriam ser . O que estamos fazendo uns contra outros na Síria, no Iraque, no Líbano, no Iêmen ou na Líbia supera o que os israelenses fizeram em Gaza e na Palestina”. “Em menos de cinco anos – destacou o novo mufti libanês – as guerras entre nós deixaram meio milhão de mortos e 12 milhões de refugiados, sem contar o deslocamento dos cristãos e de outras comunidades, e a sua opressão. Tais fenômenos devem ser combatidos dia após dia”. .Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/ÍNDIA – A Comissão “Justiça e Paz”: há um raio de esperança para as minorias na Índiahttp://fides.org/pt/news/38293-ASIA_INDIA_A_Comissao_Justica_e_Paz_ha_um_raio_de_esperanca_para_as_minorias_na_Indiahttp://fides.org/pt/news/38293-ASIA_INDIA_A_Comissao_Justica_e_Paz_ha_um_raio_de_esperanca_para_as_minorias_na_IndiaNova Délhi – “Há um raio de esperança para a segurança e o futuro das minorias religiosas na Índia”, é o que afirma a Comissão “Justiça, Paz e Desenvolvimento” da Conferência episcopal indiana comentando, numa nota enviada à Agência Fides, a intervenção recente do jurista Fali Sam Nariman. Advogado constitucionalista ilustre e juiz do Supremo Tribunal, Nariman publicou um discurso intitulado "Minorias na encruzilhada" que, disse à Fides Pe. Charles Irudayam, secretário da Comissão dos Bispos, "alimenta novas esperanças nos corações das comunidades minoritárias na Índia". Citando casos históricos em que as minorias sofreram repressão, hostilidade ou tentativas de assimilação, Nariman elogiou a Constituição indiana por ter adotado conscientemente a proteção e tutela como o único caminho sustentável para a presença das minorias, para garantir seus direitos e liberdades. Nariman fala de uma "encruzilhada", destacando a situação presente, e a não adoção de medidas eficazes para proteger as minorias do ponto de vista social, político e jurídico. “O esforço de reiterar a sagrada obrigação de proteger os direitos constitucionais e as liberdades das minorias é louvável. É importante salientar que numa democracia a maioria não deve ter o poder de destruir ou prejudicar os direitos das minorias religiosas, culturais ou linguísticas", observa a Comissão. “Se esta cultura jurídica se reforçar na Índia”, conclui Pe. Irudayam, “e este é o desejo da Igreja Católica, existe realmente um raio de esperança para a democracia indiana”. Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/SRI LANKA - Cardeal Ranjith: “Com Francisco para permanecer no amor de Deus”http://fides.org/pt/news/38292-ASIA_SRI_LANKA_Cardeal_Ranjith_Com_Francisco_para_permanecer_no_amor_de_Deushttp://fides.org/pt/news/38292-ASIA_SRI_LANKA_Cardeal_Ranjith_Com_Francisco_para_permanecer_no_amor_de_DeusColombo – “Para a visita do Papa ao Sri Lanka de 13 a 15 de janeiro de 2015, escolhemos o tema ‘Permaneçam no meu amor’, extraído do Evangelho de João, porque acreditamos que o amor seja a cifra deste pontificado. O Papa Francisco com toda palavra e gesto nos convida a permanecer no amor de Deus e a levá-lo ao próximo: uma mensagem preciosa para nós em Sri Lanka.” Foi o que disse numa conversa com a Agência Fides, o Cardeal Malcolm Ranjith, Arcebispo de Colombo, na apresentação do programa da próxima viagem do Papa Francisco. O Cardeal disse à Fides: “Estamos muito felizes com a presença do Santo Padre em nossa terra. Consideramos isso uma honra e um grande encorajamento para a Igreja em Sri Lanka. Os preparativos estão indo adiante sem obstáculos, no campo espiritual e organizacional. Esperamos o pontífice com alegria e o receberemos como um hóspede muito querido”. “O tema ‘Permaneçam no meu amor’, explica o cardeal, evidencia a orientação principal do pontificado de Francisco, que procura tornar a Igreja cada vez mais uma realidade que reflete e leva o amor de Cristo aos irmãos, sobretudo aos pobres e necessitados. Em Sri Lanka vivemos um período em que a Igreja é chamada a ser veículo da mensagem de paz, amor e reconciliação”. “O tema da reconciliação”, prosseque o arcebispo de Colombo, “será central. A visita a Madhu, ao Santuário mariano na área tâmil, quer expressar esta mensagem. Passamos e superamos uma época triste, marcada pela guerra. Cada um está buscando curar as feridas e resgatar um espírito de fraternidade e convivência pacífica. O caminho é cansativo e cheio de obstáculos: a presença do Papa será um encorajamento forte para o percurso da reconciliação”. Outro ponto em que a comunidade cristã local coloca suas esperanças é a canonização do beato Joseph Vaz, considerado um pilar da Igreja cingalesa: “Esperamos e rezamos para que isso possa se realizar durante a visita do Papa. Sabemos que a Congregação das Causas dos Santos está trabalhando muito para concluir o processo. Se a Igreja aqui existe e se salvou das perseguições holandesas, deve isso a este grande missionário que fortaleceu a fé da comunidade num momento muito difícil". O Cardeal Ranjith não deu muita importância para as declarações hostis de alguns líderes budistas e nacionalistas: "Procuram somente obter consenso e visibilidade. Acredito que todo o país e todas as religiões acolherão o Papa Francisco com grande espírito de amizade”. Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁFRICA/REP. CENTRO-AFRICANA- “A crise na República Centro-Africana não é insuperável”, disse o Arcebispo de Banguihttp://fides.org/pt/news/38291-AFRICA_REP_CENTRO_AFRICANA_A_crise_na_Republica_Centro_Africana_nao_e_insuperavel_disse_o_Arcebispo_de_Banguihttp://fides.org/pt/news/38291-AFRICA_REP_CENTRO_AFRICANA_A_crise_na_Republica_Centro_Africana_nao_e_insuperavel_disse_o_Arcebispo_de_BanguiBangui - "O que acontece na República Centro-Africana não é insuperável. Se nos ajudarmos, ouvirmos e estimarmos reciprocamente poderemos superar a crise”, disse Dom Dieudonné Nzapalainga, Arcebispo de Bangui, capital da República Centro-Africana, durante o encontro de uma delegação de jovens ruandeses com a Presidente da transição, Catherine Samba-Panza. O arcebispo sublinhou que "o exemplo de Ruanda nos prepara e nos ensina a evitar o pior". Os jovens ruandeses foram convidados a ir à República Centro-Africana depois de uma visita feita pelos líderes religiosos centro-africanos a Kigali. "Nós fomos ver o que aconteceu em Ruanda e convidamos estes jovens a vir ao nosso país", lembrou Dom Nzapalainga. A República Centro-Africana está tentando sair da grave crise causada por confrontos entre ex-rebeldes Seleka e milícias Anti Balaka que lançaram o país no caos. Em 15 de setembro, uma força da ONU substituiu a Missão da União Africana no país . O Papa Francisco, após o Angelus de domingo, 14 de setembro, desejou que a força da ONU possa oferecer "proteção à população civil afetada pelo conflito em andamento". “Quanto mais cedo a violência ceder lugar ao diálogo” - disse o Papa - “as forças opostas deixarão de lado os interesses particulares e se esforçarão para garantir que todo cidadão, de qualquer etnia ou religião, possa colaborar para construção do bem comum". (Agência Fides 16/9/2014Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁFRICA/NIGÉRIA - Condenação à morte dos militares: sintoma de desconforto nas tropas que lutam contra Boko Haramhttp://fides.org/pt/news/38290-AFRICA_NIGERIA_Condenacao_a_morte_dos_militares_sintoma_de_desconforto_nas_tropas_que_lutam_contra_Boko_Haramhttp://fides.org/pt/news/38290-AFRICA_NIGERIA_Condenacao_a_morte_dos_militares_sintoma_de_desconforto_nas_tropas_que_lutam_contra_Boko_HaramAbuja - "A condenação à morte dos soldados que se rebelaram é um sintoma do mal-estar no Exército nigeriano. Os soldados há tempo afirmam que não podem lutar contra Boko Haram com armas inferiores às de seus adversários", disse à Agência Fides Pe. Patrick Tor Alumuku, Diretor de Comunicações Sociais da Arquidiocese de Abuja, onde em 15 de setembro, doze soldados nigerianos foram condenados à morte por motim e tentativa de homicídio por terem tentado matar, em maio, seu comandante na cidade de Maiduguri, capital do Estado de Borno. "A condenação de ontem quer dar exemplo aos militares que se recusam a lutar contra Boko Haram. A sentença, que estava no ar há três semanas, tem provavelmente como objetivo impulsionar os soldados a um esforço maior em combater a seita islamita", disse o sacerdote. Enquanto isso, no Estado de Kogi, no centro da Nigéria, um comboio militar foi atacado por um grupo armado supostamente ligado a Boko Haram. "Kogi está localizado no centro da Nigéria, a cerca de 150 km ao sul de Abuja, capital federal, onde os muçulmanos representam cerca de 30% da população. Nesse estado, foi preso há um ano, um professor universitário acusado de ter ligações com Boko Haram. Também em Kogi foram descobertas no passado as células clandestinas da seita islâmica", disse Pe. Patrick. "Isso prova mais uma vez que existem células de Boko Haram em outros estados, bem como nos estados do nordeste, onde estão concentradas as forças da seita", disse o sacerdote. De acordo com a imprensa nigeriana, o ataque foi realizado com armas sofisticadas por um grupo que parece bem treinado. “Isso não deve nos surpreender” - disse Pe. Patrick. “Um número de nigerianos tinha sido recrutado na legião islâmica de Kadafi. Após a morte do líder líbio, esses membros voltaram para a Nigéria, e vários deles entraram nas fileiras de Boko Haram, levando para a seita sua formação militar e até mesmo armas tiradas de arsenais líbios. Outros membros de Boko Haram são ex-membros de Al Qaeda no Magrebe Islâmico. A formação militar não falta”, concluiu o Diretor de Comunicações Sociais da Arquidiocese de Abuja. Tue, 16 Sep 2014 00:00:00 +0200AMÉRICA/PARAGUAI - "Não se pode combater o terrorismo com mais terrorismo"; Igreja denuncia a violência dos militareshttp://fides.org/pt/news/38289-AMERICA_PARAGUAI_Nao_se_pode_combater_o_terrorismo_com_mais_terrorismo_Igreja_denuncia_a_violencia_dos_militareshttp://fides.org/pt/news/38289-AMERICA_PARAGUAI_Nao_se_pode_combater_o_terrorismo_com_mais_terrorismo_Igreja_denuncia_a_violencia_dos_militaresConcepción – O Vigário Geral da Diocese de Concepción , Dom Pablo Cáceres, denunciou aos meios de comunicação locais que o último confronto entre as forças armadas e membros do "Exército do Povo do Paraguai" foi uma verdadeira "execução" de camponeses que "não têm nada a ver com o grupo armado".<br />A nota enviada à Fides por uma fonte local, relata que no dia 6 de setembro o Governo havia informado que na noite anterior um homem, supostamente membro do EPP foi morto num tiroteio com as tropas do Exército, em que foram gravemente feridos outros dois supostos membros do grupo armado, um dos quais morreu mais tarde no hospital. <br />De acordo com o que disseram os funcionários do Governo, o evento teve lugar na área arborizada perto Kurusu de Hierro, em Concepción, quando as tropas da "Fuerza de Tarea de Conjunta" , composta por militares e policiais, atacou uma casa onde estava em andamento um encontro entre as pessoas atingidas e oito supostos guerrilheiros. <br />Dom Cáceres e a família dos supostos guerrilheiros negam que os três tinham ligações com o EPP. <br />"Eu fui à casa da família Ovelar, onde mataram duas pessoas. Não se pode defender o que fizeram os militares. Foi uma execução, um fato que não pode ser explicado. Vimos sinais de mais de 200 tiros de arma de fogo", disse o religioso.<br />A polícia e o exército intervieram depois de receberem informações sobre um membro do EPP que tem o mesmo sobrenome da família proprietária da casa onde o ataque ocorreu. Dom Cáceres, também refuta a versão do Governo segundo a qual durante a intervenção da polícia, o grupo respondeu atirando. De acordo com o religioso, "os agricultores não podiam responder com tiros. Eles nem têm sequer facas".<br />"Eu não entendo como se pode defender uma ação como essa. Não se pode combater o terrorismo com mais terrorismo. A população está com medo dos guerrilheiros, mas agora tem mais medo dos militares", concluiu o Vigário Geral. Mon, 15 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/ÍNDIA - Inundações em Caxemira: apelo dos jesuítas em favor de ajudahttp://fides.org/pt/news/38288-ASIA_INDIA_Inundacoes_em_Caxemira_apelo_dos_jesuitas_em_favor_de_ajudahttp://fides.org/pt/news/38288-ASIA_INDIA_Inundacoes_em_Caxemira_apelo_dos_jesuitas_em_favor_de_ajudaBangalore – “Estamos cientes das inundações devastadoras na Caxemira. Duas necessidades primárias são o suporte financeiro para a compra de materiais, medicamentos e ajuda humanitária; e ativar a rede de voluntários”: é o que afirma num apelo enviado à Fides, Pe. Louis Prakash SJ, que sensibilizou toda a família jesuíta na Índia para agir em favor das populações atingidas. "Estamos lançando um apelo em nome de um fórum de várias associações de defesa dos direitos humanos, que tem contatos diretos com várias aldeias na Caxemira", explica ele. <br />Dentre os medicamentos necessários, os antibióticos são urgentemente necessários para evitar a eclosão de epidemias, e também suprimentos médicos tais como máscaras e jalecos para voluntários e médicos. O India Social Institute di Delhi, conhecido centro de Estudos, é um dos pontos de coleta. <br />As autoridades indianas continuam em estado de emergência por causa das inundações que nos últimos dias abalaram a Caxemira, causadas por chuvas de monção. Numerosos rios transbordaram, com um balanço que ultrapassa 200 vítimas na Índia. As equipes de resgate na Índia anunciaram que evacuaram 130 mil pessoas, admitindo não conseguir atingir ainda outras 300 mil bloqueadas nos centros habitacionais e povoados do Vale. Passando os dias, o perigo é o de possíveis surtos de gastrenterite, cólera e conjuntivite, porque a violência da água destruiu tudo e interrompeu a distribuição de água potável, um bem que agora a população de Caxemira dispõe de apenas 20%. Mon, 15 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/JAPÃO - Dois seguidores de uma seita sequestrados por conversão forçadahttp://fides.org/pt/news/38287-ASIA_JAPAO_Dois_seguidores_de_uma_seita_sequestrados_por_conversao_forcadahttp://fides.org/pt/news/38287-ASIA_JAPAO_Dois_seguidores_de_uma_seita_sequestrados_por_conversao_forcadaTóquio – Forçados a deixar com a força uma seita para voltar para a "verdadeira religião": com esta finalidade dois membros da Igreja da Unificação no Japão, de quarenta anos, foram sequestrados por seus parentes, com a cumplicidade de um pastor evangélico. Foi o que disse à Agência Fides a organização "Human Rights Without Frontiers" , que recorda como os casos de sequestros de seguidores das minorias religiosas com o propósito de "conversão forçada" não são incomuns no Japão. Nos últimos anos, muitas famílias influenciadas por preconceitos, tentaram negar a fé aos membros de seita de derivação cristã.<br />Em julho passado, o Conselho da ONU para os Direitos Humanos manifestou preocupação pelas “notícias do sequestro e isolamento de convertidos a novos movimentos religiosos da parte de membros de suas famílias”, convidando a adotar medidas eficazes para garantir o direito de toda pessoa à liberdade religiosa.<br />Como refere HRWF, os dois foram sequestrados com engano e confinados num apartamento em Osaka, excluídos de seus dois filhos 8 e 3 anos. Participou do sequestro o Pastor evangélico Takazawa. Eles foram salvos pela polícia graças a um pedido de ajuda enviado de noite e puderam voltar para casa. Mon, 15 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/TURQUIA - Nos livros didáticos as comunidades cristãs apresentadas como instrumentos de potências estrangeiras contra o Império Otomanohttp://fides.org/pt/news/38286-ASIA_TURQUIA_Nos_livros_didaticos_as_comunidades_cristas_apresentadas_como_instrumentos_de_potencias_estrangeiras_contra_o_Imperio_Otomanohttp://fides.org/pt/news/38286-ASIA_TURQUIA_Nos_livros_didaticos_as_comunidades_cristas_apresentadas_como_instrumentos_de_potencias_estrangeiras_contra_o_Imperio_OtomanoAnkara - Em alguns livros de história utilizados nas escolas da Turquia, a narração sobre o fim do Império Otomano e da revolução kemalista continua a descrever os armênios e outras comunidades cristãs como forças antagonistas a serviço de projetos de consquista das potências estrangeiras, começando pela Rússia e Inglaterra. Isto foi revelado num estudo publicado quinzenalmente pelo jornal armênio Agos, que consultou os manuais para o ensino nas escolas primárias e secundárias da Turquia para o ano letivo que acaba de começar, divulgados no site do Ministério da Educação. Em particular, num volume de história, preparado para a oitava série, a pressão exercida pelos russos e ingleses sobre as minorias cristãs do Império Otomano é apresentada como o fator que teria desencadeado as reações contra os armênios, apresentadas como "deportações necessárias" e nunca como massacres. A única minoria cristã poupada de referências negativas é a síria. Todos as outras – lê-se no dossiê consultado pela Agência Fides – são vistas como instrumentos de potências estrangeiras com a intenção de desencadear a desintegração do Império Otomano. "A política dos Estados, que visa a demolição do Império Otomano", afirma um trecho do texto, "foi eficaz entre as comunidades armênia, grega, nestoriana, caldeia e melquita, apesar de seu efeito muito fraco sobre a comunidade síria". .Mon, 15 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁFRICA/NIGÉRIA – Mais de 2.500 fiéis mortos por Boko Haram, denuncia o Bispo de Maidugurihttp://fides.org/pt/news/38285-AFRICA_NIGERIA_Mais_de_2_500_fieis_mortos_por_Boko_Haram_denuncia_o_Bispo_de_Maidugurihttp://fides.org/pt/news/38285-AFRICA_NIGERIA_Mais_de_2_500_fieis_mortos_por_Boko_Haram_denuncia_o_Bispo_de_MaiduguriAbuja – São 2.500 os fiéis da Diocese nigeriana de Maiduguri mortos pela violência de Boko Haram. É o que denuncia numa entrevista ao jornal THISDAY, o Bispo local, Dom Oliver Dashe Doeme, que está refugiado na Paróquia de Santa Teresa de Yola no Estado de Adamawa, junto com milhares de fiéis.<br />A Diocese de Maiduguri inclui os Estados de Borno, Yobe e algumas áreas do Estado de Adamawa. Nesses três estados, onde se concentram as ações de Boko Haram, em 2013, o Presidente Goodluck Jonathan, decretou estado de emergência que não impediu, porém, à guerrilha islâmica de continuar suas ações, passando recentemente à conquista de algumas localidades onde foi proclamado o califado. <br />Dom Doeme afirma que a maior parte dos deslocados acolhidos na Paróquia de Yola escaparam por pouco de serem mortos por membros de Boko Haram. Na fuga precipitosa, muitas famílias ficaram divididas e vários pais estão ainda à procura dos filhos perdidos. O bispo denunciou ainda que em várias ocasiões os militares nigerianos fogem sem combater e isto, segundo Dom Doeme, acontece em primeiro lugar, por causa da corrupção. <br />A situação dramática dos deslocados está no centro do documento da Caritas Nigéria e da Comissão Episcopal “Justiça e Paz” intitulado “Adaptar as nossas vidas à guerra em andamento” no qual se afirma textualmente: “a simples verdade é que a Nigéria está em guerra”. Mon, 15 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁFRICA/CONGO RD - “Uma Igreja viva, mas que precisa aprofundar a fé”, disse o Presidente da Conferência Episcopalhttp://fides.org/pt/news/38284-AFRICA_CONGO_RD_Uma_Igreja_viva_mas_que_precisa_aprofundar_a_fe_disse_o_Presidente_da_Conferencia_Episcopalhttp://fides.org/pt/news/38284-AFRICA_CONGO_RD_Uma_Igreja_viva_mas_que_precisa_aprofundar_a_fe_disse_o_Presidente_da_Conferencia_EpiscopalRoma - “Queremos aprofundar a fé cristã para fazer aumentar a contribuição que a Igreja dá ao bem-estar da nação”, disse Dom Nicolas Diomo, Bispo de Tshumbe e Presidente da Conferência Episcopal Nacional da República Democrática do Congo , em Roma, que participa da visita ad limina. Numa entrevista à Agência Fides ele disse: <br /><br />Excelência, este ano se comemoram os 50 anos do sacrifício da Beata Maria Clementina Anuarite Nengapeta. Como vocês estão se preparando para viver este aniversário?<br /><br />“Estamos terminando de preparar o ano para recordar o sacrifício da Beata Maria Clementina Anuarite Nengapeta, que começará no início de dezembro. Começaremos com uma grande peregrinação. Iremos a Isiro no local de seu martírio para um ou três dias de peregrinação e oração.<br />O ano Anuarite fará conhecer a Beata, pois vários fiéis não a conhecem, sobretudo os jovens. A primeira tarefa a ser desenvolvida nas paróquias e comunidades de base é divulgar a Beata Anuarite. Isto permitirá aos fiéis de se dirigirem a ela e tê-la como exemplo de vida cristã”.<br /><br />Quais são os desafios para a Igreja na RDC?<br /><br />“A nossa é uma Igreja que tem muita vitalidade na expressão da fé e continua a se desenvolver, mas como Bispos desejamos arraigar a fé ainda mais profundamente. Isto porque constatamos que muitas vezes existe uma espécie de superficialidade em nossos fiéis que às vezes têm a tendência a retornar a práticas mágicas, como se a fé cristã não tivesse raízes profundas.<br />Isto vale também para as elites intelectuais e para os políticos. Uma fé profunda permitiria a eles agir baseados nos valores cristãos a fim de transformar a própria política. Muitas vezes, constatamos que isto não acontece. Então a nossa ação se concentra na evangelização profunda”.<br /><br />A este propósito destacamos que um dos problemas causados pela insistência de crenças é o drama de crianças expulsas das famílias, pois são consideradas “bruxas”.<br /><br />“Este drama vem em primeiro lugar da miséria na qual vivem muitas famílias congolesas. Nestes ambientes, o valor da criança é relativizado a ponto de trocar a criança por algum benefício material. A pobreza é um desafio ao Evangelho. Vemos um número crescente de jovens e fiéis que se tornam adeptos de seitas a fim de encontrar uma salvação imediata por causa da miséria em que vivem. Reagimos a este desafio de duas maneiras: de um lado, aprofundando a nossa fé e de outro pedindo aos nossoas governantes para gerir melhor os enormes recursos do país para combater a pobreza das pessoas. O escândalo da RDC é que se trata de um país imensamente rico em recursos naturais, mas com uma população que vive na miséria, sendo muitas vezes vítima destas riquezas, pois existem realmente verdadeiros predadores que se apropriam ilegalmente às custas das populações e do ambiente local, até chegar a escravizar os habitantes de inteiras regiões para explorar as minas.<br /><br />A Igreja participa do processo de desarmamento e desmobilização dos grupos de guerrilha no leste do país?<br /><br />“O processo de desarmamento cabe ao Governo e às Nações Unidas. Uma vez desarmados, os ex-combatentes são acolhidos em nossas estruturas para a reeducação, inserção social e na família, e alfabetização. É o que procuramos fazer em todas as dioceses”. Mon, 15 Sep 2014 00:00:00 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - A Semana pela Paz se torna "Ano pela Paz" em Calihttp://fides.org/pt/news/38283-AMERICA_COLOMBIA_A_Semana_pela_Paz_se_torna_Ano_pela_Paz_em_Calihttp://fides.org/pt/news/38283-AMERICA_COLOMBIA_A_Semana_pela_Paz_se_torna_Ano_pela_Paz_em_CaliCali – Retomando o slogan: "Pela paz, o que sou capaz?" da Semana pela Paz na Colômbia, a Arquidiocese de Cali decidiu criar uma comissão permanente de "Aliados pela Paz", que trabalhará em favor de iniciativas sociais ao longo do ano, refere uma nota enviada à Agência Fides. <br />A Semana pela Paz foi inaugurada no país no último 7 de setembro . <br />O objetivo desta comissão permanente é trabalhar para reconstruir o tecido social dos cidadãos de Cali, a fim de transformar a realidade violenta e de morte que, infelizmente, vivem as áreas sociais de Santiago de Cali. <br />A Comissão reúne pessoas do setor privado, do governo, do mundo da cultura, da Igreja, grupos de base e outros que buscam propostas concretas para permitir a criação de cenários para a paz através da inclusão e do diálogo social, do pluralismo, da convivência, da reconciliação e perdão. Sat, 13 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁSIA/IRAQUE - O ano escolar no Califado Islâmico: abolido o ensino do siríaco e nomes cristãos das escolashttp://fides.org/pt/news/38282-ASIA_IRAQUE_O_ano_escolar_no_Califado_Islamico_abolido_o_ensino_do_siriaco_e_nomes_cristaos_das_escolashttp://fides.org/pt/news/38282-ASIA_IRAQUE_O_ano_escolar_no_Califado_Islamico_abolido_o_ensino_do_siriaco_e_nomes_cristaos_das_escolasMossul - As escolas de Mosul e Planície de Nínive que tinham nomes cristãos deverão mudá-los e nos currículos de todos os níveis serão eliminados o ensino da língua e da cultura siríaca e de educação religiosa cristã. Estas são algumas das condições impostas pelos líderes do autoproclamado Califado Islâmico às instituições educacionais em Mossul e nos territórios da Planície de Nínive que estão sob seu controle. Foi o que revelaram algumas fontes locais contatadas pelo site de informação em árabe ankawa.com. O cancelamento do ensino da cultura siríaca e dos elementos da doutrina cristã fazem parte das condições impostas pelos militantes do Califado Islâmico para cancelar do sistema de ensino todos os vestígios de pluralismo cultural e religioso nas áreas conquistadas e transformar as escolas em ferramentas de propaganda da ideologia jihadista entre as novas gerações. Dentre as indicações impostas pelos milicianos do Estado Islâmico está também a de intitular as escolas com o nome "Batalha de Mossul" e outras fórmulas e figuras usadas pela propaganda ideológica do que se pretende estruturar como novo regime do Califado. Algumas instituições de ensino relacionadas com as igrejas, como a escola dedicada a São Tomé, tinham nomes cristãos desde o fim do século XVIII. <br />Em fevereiro passado, o Ministério da Educação Iraquiano ordenou que o siríaco e o ensino religioso cristão fossem introduzidos no currículo de 152 escolas públicas nas províncias de Bagdá, Nínive e Kirkuk. O projeto-piloto foi concebido para preservar a língua nativa de todas as comunidades religiosas cristãs autóctones ainda existentes no país, marcadas nos últimos anos por uma drástica redução numérica devido ao aumento dos fluxos migratórios registrados após a queda do regime do partido baathista. As 152 escolas foram selecionadas nas áreas do país onde há uma maior concentração de batizados. De acordo com dados fornecidos pela Direção para o estudo do siríaco, as escolas envolvidas no projeto são frequentadas por mais de 20 mil alunos. .Sat, 13 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁFRICA/NIGÉRIA - "Em Maiduguri não há combates, mas o Exército toma conta das igrejas"http://fides.org/pt/news/38281-AFRICA_NIGERIA_Em_Maiduguri_nao_ha_combates_mas_o_Exercito_toma_conta_das_igrejashttp://fides.org/pt/news/38281-AFRICA_NIGERIA_Em_Maiduguri_nao_ha_combates_mas_o_Exercito_toma_conta_das_igrejasAbuja - "Em Maiduguri não há combates que estão concentrados em determinadas cidades", disse à Agência Fides Pe. Patrick Tor Alumuku, Diretor de Comunicações Sociais da Arquidiocese de Abuja, que está em contato com um sacerdote que se encontra em Maiduguri, capital do Estado de Borno . <br />Alguns dias atrás, o Fórum de Idosos do Estado de Borno lançou um alarme sobre a iminência de um ataque de Boko Haram contra a cidade. "Pelo que sabemos, em Maiduguri, a situação é relativamente calma. Os militares estão em toda parte, patrulhando as ruas e protegendo igrejas e paróquias", disse Pe. Patrick. <br />O Exército anunciou ter dado um duro golpe a um grupo de Boko Haram que tinha atacado a cidade de Konduga, cerca de 35 quilômetros de Maiduguri. Durante a batalha que durou três horas, segundo o porta-voz militar, cerca de 200 milicianos morreram e várias armas e equipamentos militares foram recuperados por soldados do Governo. Sat, 13 Sep 2014 00:00:00 +0200ÁFRICA/LIBÉRIA - Crianças órfãs por causa do ebola: Um dos efeitos colaterais do vírushttp://fides.org/pt/news/38280-AFRICA_LIBERIA_Criancas_orfas_por_causa_do_ebola_Um_dos_efeitos_colaterais_do_virushttp://fides.org/pt/news/38280-AFRICA_LIBERIA_Criancas_orfas_por_causa_do_ebola_Um_dos_efeitos_colaterais_do_virusMonróvia - 20% das crianças liberianas com menos de 2 anos de idade perderam os pais por causa da epidemia de ebola que, desde março passado, está afetando a África Ocidental. Muitoas permanecem completamente sozinhas, abandonadas nas ruas, sem abrigo nem assistência médica ou alimentar. O impacto do vírus nos sistemas e serviços de saúde já muito precários está se tornando devastador. Quase todos os centros de saúde estão fechados ou funcionam parcialmente. As crianças não são seguidas, mesmo para as doenças pediátricas mais comuns, como malária, pneumonia, diarréia e desnutrição aguda grave. O setor da educação das crianças está sofrendo a influência do vírus. Tanto na Libéria e Serra Leoa mais de 3 milhões e quinhentas mil crianças não podem voltar para as escolas, até um novo aviso, que permanecem fechadas. De acordo com o balanço da Organização Mundial da Saúde, a epidemia de ebola em Serra Leoa, Libéria, Guiné, Nigéria e Senegal, até agora registram 4.269 contágios e 2.288 mortos. Sat, 13 Sep 2014 00:00:00 +0200