Fides News Portuguêshttp://fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usÁSIA/SÍRIA - Um documentário da TV síria sobre o Genocídio assírio projetado diante do Patriarca sírio ortodoxohttp://fides.org/pt/news/40519-ASIA_SIRIA_Um_documentario_da_TV_siria_sobre_o_Genocidio_assirio_projetado_diante_do_Patriarca_sirio_ortodoxohttp://fides.org/pt/news/40519-ASIA_SIRIA_Um_documentario_da_TV_siria_sobre_o_Genocidio_assirio_projetado_diante_do_Patriarca_sirio_ortodoxoDamasco - Um documentário preparado pela TV de Estado síria sobre “Sayfo”, o chamado “Genocídio assírio” foi apresentado em primeira visão em uma projeção para convidados da qual tomou parte também o Patriarca sírio ortodoxo Mar Ignatius Aphrem II. A reportagem, relativa aos massacres sofridos cem anos atrás pelas comunidades assírias, caldeias e siríacas no Império otomano, instigadas pelos Jovens Turcos, contém também testemunhos registrados de alguns sobreviventes dos massacres planejados de 1915. A projeção, realizada no Teatro da Ópera de Damasco, se concluiu com uma exibição do Coral patriarcal de Sant'Aphrem, que executou um repertório de cantos tradicionais siríacos. O Patriarca Mar Aphrem, em pronunciamento no âmbito da manifestação, agradeceu o Ministério dos Assuntos Sociais – patrocinador do evento – e relacionou as perseguições de cem anos atrás às tribulações vividas pelas comunidades cristãs e no Oriente Médio de hoje, devastado pelos conflitos sectários alimentados também por interesses de caráter geopolítico. .Thu, 27 Aug 2015 11:04:50 +0200ÁSIA/TERRA SANTA - Escolas cristãs: “positivo” o encontro com o Presidente Rivlin. Mas a crise ainda está abertahttp://fides.org/pt/news/40518-ASIA_TERRA_SANTA_Escolas_cristas_positivo_o_encontro_com_o_Presidente_Rivlin_Mas_a_crise_ainda_esta_abertahttp://fides.org/pt/news/40518-ASIA_TERRA_SANTA_Escolas_cristas_positivo_o_encontro_com_o_Presidente_Rivlin_Mas_a_crise_ainda_esta_abertaJerusalém – A Secretaria geral do Escritório das escolas cristãs em Israel interpreta como “um passo positivo” o encontro com o Presidente israelense Reuven Rivlin para debater sobre a crise em que se encontram as escolas cristãs no país. Segundo o organismo de coordenação, a solução para a crise “requer novas negociações” e, portanto, “as escolas permanecerão fechadas até segunda ordem”. A declaração de suspensão das atividades escolares está confirmada no comunicado da Secretaria difundido também pela mídia oficial do Patriarcado Latino de Jerusalém. No mesmo documento constam alguns detalhes do encontro, ocorrido segunda-feira, 24 de agosto de 2015 em Jerusalém, entre o Comitê negociador das Escolas cristãs, presidido pelo Bispo Giacinto-Boulos Marcuzzo, Vigário patriarcal para Israel do Patriarcado Latino – e o Presidente Rivlin. Participou também do encontro o Ministro israelense da Educação, Naftali Bennett, acompanhado por uma Delegação do Ministério. “O Presidente Rivlin” diz o comunicado, “abriu a reunião elogiando o papel das escolas cristãs em Israel e sublinhando a importância da excepcional experiência pedagógica que oferecem há muitos anos”. Por sua vez, o Ministro Bennett reafirmou o apoio à existência de escolas cristãs no país e o esforço em buscar soluções para resolver a crise no orçamento, a ser enfrentada. As escolas cristãs se comprometeram em preparar um relatório técnico sobre os balanços e os aspectos financeiros de sua atividade educativa. No ultimo dia 27 de maio, as escolas cristãs de Israel – frequentadas por 30 mil alunos, dos quais apenas a metade são cristãos – haviam organizado uma manifestação sem precedentes para denunciar as políticas discriminatórias do governo de que se sentem vítima . Elas pertencem à categoria das escolas “reconhecidas, mas não públicas” e recebem um financiamento parcial do Ministério. O resto dos custos é coberto pela cota paga pelos pais. Há anos, o Ministério da Educação tenta reduzir o orçamento das escolas cristãs , o que as obrigou a aumentar o custo das despesas das famílias. O corte nos financiamentos pesa principalmente para as famílias parte da população árabe israelense, cuja renda média familiar, como sabido, é inferior à média nacional. Antes daquela manifestação, um comitê nomeado pelo Escritório das Escolas Cristãs em Israel havia conduzido durante oito meses tratativas com o Ministério e este havia proposto que as escolas cristãs se tornassem públicas. Esta proposta foi interpretada pelos titulares das escolas como o fim da missão educativa cristã e um grave golpe às comunidades cristãs da Terra Santa. .Thu, 27 Aug 2015 11:04:07 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - Os Bispos: precisamos urgentemente proteger as crianças do abuso sexualhttp://fides.org/pt/news/40517-ASIA_PAQUISTAO_Os_Bispos_precisamos_urgentemente_proteger_as_criancas_do_abuso_sexualhttp://fides.org/pt/news/40517-ASIA_PAQUISTAO_Os_Bispos_precisamos_urgentemente_proteger_as_criancas_do_abuso_sexualLahore - “Abuso e exploração sexual de crianças são difundidos por todo o Paquistão. De acordo com uma estimativa pública, foram notificados mais de 3.500 casos de moléstia contra menores em 2014, 67% ocorreram nas áreas rurais. É urgente que o governo aja com rigor contra os responsáveis”: é o que afirma um comunicado da Comissão “Justiça e Paz” dos bispos do Paquistão, enviado à Agência Fides. A Comissão enviou um memorando ao governo com pedidos para a tutela dos menores. O tema voltou à tona no Paquistão depois do escândalo surgido nos últimos dias: em Kasur, no Punjab, a polícia descobriu um bando criminoso envolvido há dez anos em abusos extremos contra menores e no comércio de pornografia infantil. Segundo os resultados do inquérito, cerca de 400 vídeos foram realizados com 280 vítimas presumivelmente de 6 a 14 anos. As famílias das vítimas eram chantageadas pelo bando, que corrompeu também a polícia local. Segundo especulações, alguns políticos estão envolvidos neste tráfico. Os Bispos condenam os abusos e escrevem às autoridades: “Os representantes políticos de todos os partidos deveriam condenar estes episódios e não utilizá-los para obter vantagens políticas. É preciso fornecer assistência e tutelar primeiramente as vítimas dos abusos, para enfrentarem os traumas sofridos”. A Comissão pede que “oficiais de polícia, líderes políticos e altos expoentes do governo sejam afastados e adotadas ações rigorosas contra eles”. Agindo no campo da educação, “o governo deveria introduzir a educação sexual nas escolas para prevenir tais incidentes no futuro”, “instituindo uma Comissão judiciária para desenvolver normas específicas sobre a questão dos abusos contra menores e da pornografia infantil”. “As crianças são o futuro da nossa nação”, conclui a nota da Comissão. “Para protegê-las, o governo deve cumprir seus compromissos sociais, morais e internacionais com os direitos das crianças, agindo na tutela e na segurança em todo o Paquistão”. Thu, 27 Aug 2015 11:02:03 +0200ÁSIA/BANGLADESH - Assassinatos de blogueiros: em perigo também as minorias religiosashttp://fides.org/pt/news/40516-ASIA_BANGLADESH_Assassinatos_de_blogueiros_em_perigo_tambem_as_minorias_religiosashttp://fides.org/pt/news/40516-ASIA_BANGLADESH_Assassinatos_de_blogueiros_em_perigo_tambem_as_minorias_religiosasDaca - O assassinato de blogueiros perpetrado por extremistas islâmicos é um aviso para as minorias religiosas de Banglasdesh, penalizadas em sua vida e liberdade: é o que pensa Imran H. Sarker, porta-voz do movimento "Bangladesh Shahbag", rede de ativistas que pede ao goveno democracia e justiça. O último assassinato em ordem de tempo foi o de Niloy Chakrabarti, morto por um grupo islâmico em sua casa no dia 7 de agosto, em Daca. As outras vítimas eram Avijit Roy e Washiqur Rahman, mortos em Daca, e Ananta Bijoy Das, atacado por um grupo armado com facões na cidade Sylhet, situada no nordeste do país. De acordo com Imran H. Sarker, nesses ataques, embora endereçados a blogueiros leigos, também estão em perigo as minorias religiosas: “Embora a Constituição de Bangladesh proclame a laicidade do Estado - disse à imprensa – estamos lutando para conservar um espaço de laicidade no país, em benefício de todos. Mesmo as minorias cristãs, hinduístas e budistas são regularmente atacadas em Bangladesh. O sistema é tal que as pessoas estão aproveitando da máquina administrativa para ameaçar as minorias e expropriá-las de seus direitos e propriedade”. “A política tornou-se um instrumento para perpetuar o poder dos partidos políticos, que somente nas palavras tutelam o secularismo. A única solução é iniciar reformas políticas e democráticas profundas que toquem todas as instituições políticas em Bangladesh”, concluiu. Thu, 27 Aug 2015 11:01:14 +0200ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - Não houve festa em Juba por causa da assinatura do acordo de paz, “muitas mortes para se alegrar”http://fides.org/pt/news/40515-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Nao_houve_festa_em_Juba_por_causa_da_assinatura_do_acordo_de_paz_muitas_mortes_para_se_alegrarhttp://fides.org/pt/news/40515-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Nao_houve_festa_em_Juba_por_causa_da_assinatura_do_acordo_de_paz_muitas_mortes_para_se_alegrarJuba - “Em Juba não houve absolutamente uma atmosfera de celebração porque o sofrimento causado pela guerra civil é imenso”, dizem à Agência Fides fontes locais da capital do Sudão do Sul, onde ontem, 26 de agosto, o Presidente Salva Kiir, assinou o acordo de paz para acabar com dois anos de guerra civil que assolou o país”. “A guerra causou milhares de vítimas, atrocidades imensas e destruição. Até mesmo quem não sofreu diretamente as consequências da guerra, porque residida em áreas onde não se combatia, sofreu com o colapso da economia causada pelo conflito. As condições de vida pioraram, exceto para uma pequena minoria de políticos e funcionários de alto nível. Portanto, não há nenhum motivo para celebrar o acordo assinado por quem jogou o país nesta situação”, explicam as fontes de Fides. O acordo de paz foi promovido por membros da IGAD e prevê, entre outras coisas, uma partilha do poder entre as duas partes que se enfrentaram no conflito, o Presidente Kiir e o ex-vice-presidente Riek Machar. “É um acordo de paz controverso porque o presidente assinou expressando que definiu “sérias reservas”, fazendo acrescentar que “estabelece novas condições”, sublinham as nossas fontes. “Salva Kiir decidiu assinar, mas sofreu forte pressão de alguns membros do seu próprio governo e do Exército para que não assinasse. A perssoa que mais lutou contra o acordo foi o comandante do Exército que se opôs até o último minuto. Por isso, ontem em Juba a tensão era muito forte”, afirmam as fontes de Fides. “Permanece o temor de que as divergências dentro das Forças Armadas possam inviabilizar o acordo. Esperamos que isso não aconteça”, concluem. Thu, 27 Aug 2015 11:00:32 +0200ÁFRICA/MALÁUI - “Somos vítimas das mudanças climáticas denunciadas pelo Papa Francisco em sua encíclica”, afirma o Arcebispo de Blantyrehttp://fides.org/pt/news/40514-AFRICA_MALAUI_Somos_vitimas_das_mudancas_climaticas_denunciadas_pelo_Papa_Francisco_em_sua_enciclica_afirma_o_Arcebispo_de_Blantyrehttp://fides.org/pt/news/40514-AFRICA_MALAUI_Somos_vitimas_das_mudancas_climaticas_denunciadas_pelo_Papa_Francisco_em_sua_enciclica_afirma_o_Arcebispo_de_BlantyreLilongwe - “Relendo a encíclica papal, eu me lembrei que no Maláui estamos experimentando as consequências das mudanças climáticas: inundações devastadoras, secas prolongadas, chuvas erráticas e ventos fortes”, disse Dom Thomas Msusa, Arcebispo de Blantyre, ao apresentar aos fiéis a encíclica do Papa Francisco 'Laudado si', sobre o cuidado da criação. “A encíclica papal nos chama a enfrentar a ameaça do clima, em nome da justiça, da dignidade humana e do serviço para com aqueles que estão entre nós: os pobres e vulneráveis”, disse Dom Msusa. O Arcebispo recorda que o Papa Francisco nos lembra que a atenção para com as questões ambientais está relacionada com a utilização adequada dos recursos da Terra e, portanto, também com a justiça social e a solidariedade. Dom Msusa salientou que devido aos desastres ambientais ligados às mudanças climáticas antes mencionados, no Maláui cerca de 3 milhões de pessoas estão em risco de fome . O Arcebispo chama todos a usar corretamente os recursos do país, especialmente os hídricos, para desenvolver de forma harmoniosa a economia do país. “Estava nos planos de Deus doar uma grande quantidade de água potável ao Maláui. Não usá-la de forma correta é uma vergonha para a humanidade. Com sistemas de agricultura inteligente, não só podemos colocar nas mesas da nação o alimento de todos os dias, mas também iremos contribuir para a reconstrução do ecossistema”. Thu, 27 Aug 2015 10:59:46 +0200ÁSIA/SÍRIA - Ataques de morteiro contra duas igrejas em Damasco. O arcebispo maronita: a nossa vida é como um jogo de roleta russahttp://fides.org/pt/news/40513-ASIA_SIRIA_Ataques_de_morteiro_contra_duas_igrejas_em_Damasco_O_arcebispo_maronita_a_nossa_vida_e_como_um_jogo_de_roleta_russahttp://fides.org/pt/news/40513-ASIA_SIRIA_Ataques_de_morteiro_contra_duas_igrejas_em_Damasco_O_arcebispo_maronita_a_nossa_vida_e_como_um_jogo_de_roleta_russaDamasco - No domingo, 23 de agosto, uma chuva de morteiros provenientes das áreas nas mãos das milícias anti-Assad caiu na cidade de Damasco, onde se encontra a igreja maronita. Foi o que disse o Arcebispo maronita Samir Nassar num apelo enviado à Agência Fides, especificando que os ataques causaram a morte de nove civis e feriu quase cinquenta pessoas, além de danificar a sua igreja e um vizinha paróquia católica de rito latino. “Faz parte da guerra na Síria”, acrescentou o Arcebispo Nassar em seu apelo, “o fato de vivermos sob os bombardeamentos indiscriminados, como em uma espécie de roleta russa, que é sempre imprevisível”. “Sobre os que morreram”, acrescentou o Arcebispo com pensamentos amargos, “os sobreviventes, dizem: Pelo eles não irão mais ver e viver esta tragédia cruel sem fim. Não irão mais ver seus filhos, seus amigos e seus vizinhos sofrerem e morrerem pela violência cega e pelo fanatismo sangrento, incapaz de salvá-los ou ajudá-los, sem entender o por quê”. Os sobreviventes enterram seus mortos, sem poder curar os feridos, já que lhes faltam os instrumentos e habilidades necessárias. Eles estão imersos na oração silenciosa diante das relíquias dos mártires, que são as sementes de fé”. .Wed, 26 Aug 2015 08:03:38 +0200ÁSIA/FILIPINAS - A Caritas lança a “fase dois” de reabilitação após tufão Yolandahttp://fides.org/pt/news/40512-ASIA_FILIPINAS_A_Caritas_lanca_a_fase_dois_de_reabilitacao_apos_tufao_Yolandahttp://fides.org/pt/news/40512-ASIA_FILIPINAS_A_Caritas_lanca_a_fase_dois_de_reabilitacao_apos_tufao_YolandaManila - A Caritas das Filipinas, começou a segunda fase do seu programa de reabilitação de três anos para as vítimas do tufão Yolanda. Conforme relatado pelo Diretor da Caritas, Rolando Tirona, concluída a fase de emergência, a segunda fase do programa de reabilitação vai decorrer até março de 2016, e se concentrará sobre as ações destinadas a apoiar as comunidades locais. No ano precedente, a Caritas se concentrou na construção de estruturas, enquanto que “este ano vamos trabalhar na capacitação das pessoas e nas atividades para reduzir o risco de catástrofes”, disse Tirona. O programa, chamado REACH Philippines pretende alcançar 184.750 pessoas provenientes das nove províncias mais afetadas pelo Yolanda. Os objetivos incluem a construção e conserto de 920 abrigos, a instalação de 28 sistemas de água corrente que beneficiarão 2.600 famílias, 220 poços protegidos para outras 4.100 famílias, e meios de subsistência para 7.000 outras famílias. Trata-se de um grande programa de reabilitação iniciado pela Igreja Católica filipina, num valor de 817 milhões de pesos. Wed, 26 Aug 2015 08:02:29 +0200ÁSIA/ÍNDIA - Censo sobre as religiões: aumentam os muçulmanos, cristãos estáveishttp://fides.org/pt/news/40511-ASIA_INDIA_Censo_sobre_as_religioes_aumentam_os_muculmanos_cristaos_estaveishttp://fides.org/pt/news/40511-ASIA_INDIA_Censo_sobre_as_religioes_aumentam_os_muculmanos_cristaos_estaveisNova Délhi - Os muçulmanos aumentaram 0,8% e agora representam 14,2% da população indiana, enquanto os hinduístas caíram 0,7% e são 79,8%: são os dados publicados recentemente pelas autoridades indianas, que emergiram do Censo de 2011 sobre a população das comunidades religiosas do país. Estável a porcentagem dos cristãos que são 2,3% da população, enquanto os sikhs são 1,7% e os budistas 0,7%. O Censo também confirma que a população indiana é um bilhão e 200 milhões de habitantes. De acordo com os dados, os muçulmanos aumentaram em todos os principais estados da Federação. Wed, 26 Aug 2015 08:01:40 +0200ÁSIA/TERRA SANTA – A Igreja de Jerusalém em socorro dos solicitantes de asilo sudaneses e eritreushttp://fides.org/pt/news/40510-ASIA_TERRA_SANTA_A_Igreja_de_Jerusalem_em_socorro_dos_solicitantes_de_asilo_sudaneses_e_eritreushttp://fides.org/pt/news/40510-ASIA_TERRA_SANTA_A_Igreja_de_Jerusalem_em_socorro_dos_solicitantes_de_asilo_sudaneses_e_eritreusJerusalém - No dia de terça-feira, 25 de agosto, 500 solicitantes de asilo eritreus e sudaneses foram libertados do centro de detenção israelense de Holot, no deserto de Negev, onde estavam presos, em violação de seus direitos fundamentais. Em Jerusalém, o grupo “Community for the Africans in Jerusalém” – em contato com o Vicariato patriarcal para católicos de língua hebraica do patriarcado latino de Jerusalém – está atuando iniciativas de assistência e ajuda a este consistente grupo de refugiados provenientes também de áreas de conflito, e nas últimas horas lançou um apelo urgente a todos – pessoas, grupos e associações – que podem contribuir para reintegrar os solicitantes de asilo na sociedade, ajudando-os a encontrar moradia e trabalho, mesmo que temporários. “Levando em consideração os apelos do Papa Francisco, e na perspectiva do Ano da Misericórdia que se aproxima”, lê-se no apelo lançado também pela mídia do Patriarcado latino por padre David Neuhaus SJ, Vigário patriarcal para os católicos de língua hebraica, “seria muito significativo se a Igreja de Jerusalém pudesse dar testemunho, neste contexto, abrindo as suas portas para algumas destas pessoas”. .Wed, 26 Aug 2015 08:01:01 +0200ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - Rumo à assinatura do acordo de paz para acabar com o conflito descrito pela ONU como “ameaça à paz de toda a região”http://fides.org/pt/news/40509-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Rumo_a_assinatura_do_acordo_de_paz_para_acabar_com_o_conflito_descrito_pela_ONU_como_ameaca_a_paz_de_toda_a_regiaohttp://fides.org/pt/news/40509-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Rumo_a_assinatura_do_acordo_de_paz_para_acabar_com_o_conflito_descrito_pela_ONU_como_ameaca_a_paz_de_toda_a_regiaoJuba - “Um conflito de poder de uma elite que se transformou numa guerra civil com múltiplas facetas e numa ameaça à paz e à segurança de toda a região”. Assim, o relatório do Painel de especialistas da ONU no Sudão do Sul, publicado em 21 de agosto, descreve o conflito civil eclodido em dezembro de 2013 que devastou o Sudão do Sul. Hoje, 26 de agosto, está prevista a assinatura do tratado de paz pelo Presidente Salva Kiir. Seu rival, Riek Machar, já o subscreveu na semana passada. A luta na cúpula do SPLA entre o Presidente Salva Kiir e o ex-Vice Presidente Riek Machar, desencadeou uma série de conflitos em ampla escala inter-étnicos e infra étnicos. Os países mais envolvidos são os do Upper Nile, Unity e Jonglei, seguidos por Northern Bahr El Ghazal e Western Bahr El Ghazal, chegando ainda aos de Warrap and Lakes, onde se intensificaram os atritos entre sub-tribos. A situação humanitária piorou no início de 2015. “O número de pessoas que devem enfrentar uma grave insegurança alimentar quase duplicou desde o início de2015 para 4,6 milhões de pessoas, incluindo 250.000 crianças que estão gravemente desnutridas, o número mais elevado desde o início da guerra” afirma o relatório.<br />O documento denuncia que “desde o início do ataque ao Upper Nile, em abril de 2015, notou-se um incremento das violências contra civis em uma escala jamais vista antes no conflito, que já era muito violento”.<br />Somente no estado de Unity, cerca de 750.000 pessoas foram atingidas pela recente campanha militar e pelo menos 138.000 pessoas que recebiam assistência humanitária antes do desencadeamento da violência agora estão sem assistência, por causa da insegurança. <br />Especialistas da ONU denunciam ainda a obstrução às operações humanitárias e de peacekeeping internacionais por causa das intimidações, sequestros, assaltos e ameaças do pessoal humanitário e dos furtos de cargas de comboios com ajudas. Enfim, o documento releva as várias violações ao embargo de armas decidido pelo Conselho de Segurança da ONU contra o Sudão do Sul por parte de atores estatais e particulares. Wed, 26 Aug 2015 07:59:54 +0200AMÉRICA/BOLÍVIA – As chuvas deixam mil famílias sem casa, enquanto o “El Niño” continuahttp://fides.org/pt/news/40508-AMERICA_BOLIVIA_As_chuvas_deixam_mil_familias_sem_casa_enquanto_o_El_Nino_continuahttp://fides.org/pt/news/40508-AMERICA_BOLIVIA_As_chuvas_deixam_mil_familias_sem_casa_enquanto_o_El_Nino_continuaSanta Cruz – Mais de mil famílias estão sem casa por causa das fortes chuvas e inundações no vale de Santa Cruz .<br />Segundo nota do responsável da defesa civil, recebida pela Fides, os alagamentos provocaram graves prejuízos aos cultivos da região. O governo enviou ajudas como sementes de milho e de tomates para plantar cerca de 562 hectares. Para enfrentar as necessidades imediatas das famílias, foram enviados gêneros como massa, arroz e água, que escasseia na área. As fortes chuvas são consequência do fenômeno meteorológico conhecido como “El Niño”. Segundo o Prediction Center della National Oceanic and Atmospheric Administration dos Estados Unidos, o “El Niño” deste ano é um dos três mais poderosos desde que se iniciou a observar o fenômeno. <br />Em 1997, "El Niño" matou mais de 24 mil pessoas e causou prejuízos em mais de 34 bilhões de dólares. De acordo com o Centro de previsão do clima, os modelos de avaliação preveem a probabilidade de 90% que El Niño prossiga até o fim do inverno e 85% de chance que chegue até a primavera de 2016. O impacto sobre a temperatura e a pluviosidade associados ao El Niño deve permanecer mínimo durante todo o verão do hemisfério setentrional, mas aumentará no final do outono e no início do inverno. Do México até a Argentina, ao longo de toda a Cordilheira dos Andes, choveu de modo intenso e inesperado nos últimos 10 dias, superando todas as previsões. O fenômeno teve consequências dramáticas, como relatam os jornais dos países atingidos. Wed, 19 Aug 2015 09:23:29 +0200AMÉRICA/BRASIL - “Igreja e atividade minerária”: testemunhos e experiências em defesa da vida e dos territórioshttp://fides.org/pt/news/40507-AMERICA_BRASIL_Igreja_e_atividade_mineraria_testemunhos_e_experiencias_em_defesa_da_vida_e_dos_territorioshttp://fides.org/pt/news/40507-AMERICA_BRASIL_Igreja_e_atividade_mineraria_testemunhos_e_experiencias_em_defesa_da_vida_e_dos_territoriosManaus – "Igreja e atividade minerária – em defesa da vida e dos territórios" é o título do livro publicado em 17 de agosto pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil com a Rede latino-americana "Iglesias y Mineria". A publicação apresenta, com diferentes artigos e testemunhos, a realidade das comunidades, da pastoral, das dioceses e movimentos sociais que atuam em defesa da vida e do território diante das consequências da atividade extrativista. O volume descreve as experiências brasileiras de resistência comum e a busca de soluções para favorecer a justiça, a inclusão e a sustentabilidade ambiental das empresas de mineração. <br />O livro foi apresentado em dois eventos muito especiais: em Manaus, durante a reunião do Comitê executivo da Rede Eclesial Pan-Amazônica , pelo Arcebispo de Huancayo e presidente do Departamento de Justiça e Solidariedade do Conselho Episcopal Latino-americano Dom Pedro Barreto Jimeno ; e em Brasília, aonde a apresentação ficou por conta de Dom Guilherme Werlang, Bispo de Ipameri e Presidente da Comissão Episcopal para a Pastoral da Caridade, Justiça e Paz da CNBB. Wed, 19 Aug 2015 09:22:59 +0200ÁSIA/CINGAPURA - Cardeal Parolin: “Proclamar o Evangelho numa sociedade que muda”http://fides.org/pt/news/40506-ASIA_CINGAPURA_Cardeal_Parolin_Proclamar_o_Evangelho_numa_sociedade_que_mudahttp://fides.org/pt/news/40506-ASIA_CINGAPURA_Cardeal_Parolin_Proclamar_o_Evangelho_numa_sociedade_que_mudaCingapura - Testemunhar o Evangelho contrastando “o secularismo agressivo que tenta remover Deus da sociedade”: é o convite dirigido aos católicos de Cingapura pelo Cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado Vaticano, que visitou Cingapura durante sua viagem ao Sudeste Asiático para assinar a Concordata entre a Santa Sé e Timor-Leste. O Cardeal celebrou uma Santa Missa dedicada à Assunção da Beata Virgem, elogiando a vitalidade da Igreja em Cingapura e encorajando os católicos a ver na Assunção de Maria “um novo início para a história da salvação”.<br />Falando da Igreja de Cingapura, o Secretário de Estado frisou que após 200 anos de presença na ilha e depois de 50 como parte de um país independente, a comunidade local é chamada a olhar ao futuro: “A comunidade cristã deve encontrar formas novas e criativas para levar adiante a proclamação do Evangelho da salvação numa sociedade que se transforma”, disse. <br />O Cardeal sublinhou o trabalho de instituições e organizações católicas em Cingapura, auspiciando que todos os fiéis possam ser “imitadores de Cristo”. Também encorajou o testemunho público da fé, que encoraja “todos os homens de boa vontade a reconhecer a fé religiosa, a virtude e a moral como fundamentos essenciais de uma sociedade e de uma nação”. “Com a Virgem Maria como guia, a Arquidiocese de Cingapura fará grandes coisas”, concluiu.<br />Em Cingapura existem cerca de 300 mil católicos batizados, incluindo os imigrantes, em um total de mais de 5 milhões de habitantes. Wed, 19 Aug 2015 09:22:40 +0200ÁFRICA/LESOTO - “Estamos do lado de vocês, cidadãos de Lesoto!”, afirmam os Bispos da África Australhttp://fides.org/pt/news/40505-AFRICA_LESOTO_Estamos_do_lado_de_voces_cidadaos_de_Lesoto_afirmam_os_Bispos_da_Africa_Australhttp://fides.org/pt/news/40505-AFRICA_LESOTO_Estamos_do_lado_de_voces_cidadaos_de_Lesoto_afirmam_os_Bispos_da_Africa_AustralMaseru - “O Lesotho não está só, os Bispos e a comunidade católica estão com você nos momentos de necessidade”, disse Stephen Brislin, Arcebispo da Cidade do Cabo e Presidente da Southern African Catholic Bishops’ Conference , numa mensagem publicada no final da reunião da SACBC realizada em Mariannhill, África do Sul.<br />“Acompanhamos os eventos em seu país desde o início da violência em agosto 2014, com choque e consternação; em particular o recente assassinato do comandante da Lesotho Defence Force, Maaparankoe Mahao, em 25 de junho de 2015 ”, afirma o comunicado enviado à Agência Fides. “Estamos chocados pelo fato de que um ato tão horrível tenha sido perpetrado por alguns membros das formas armadas de Lesoto. Este crime mostra a difícil situação em que muitas pessoas se encontram: o não estar seguro em seu próprio país. Provoca medo e ameaça os fundamentos dos direitos humanos, em particular o direito à vida, e inverte os princípios democráticos que sustentam muitas Constituições”.<br />“Estamos bem cientes do fato de que no ano passado alguns tumultos ocorreram em Lesoto. Fazemos um apelo aos líderes de Lesoto para que se encontrem a fim de buscar uma solução duradoura para os problemas de seu país. Como líderes, nós condenamos todo ataque contra toda pessoa”.<br />Os Bispos enfim, fazem um apelo aos políticos da África Austral para que resolvam a situação em Lesoto, pois “a instabilidade de um só país do sul da África causa efeito sobre todos os seus vizinhos”. Wed, 19 Aug 2015 09:22:18 +0200ÁFRICA/REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA - Atribuído à plataforma inter-religiosa pela paz o prêmio Sergio Vieira de Mello 2015http://fides.org/pt/news/40504-AFRICA_REPUBLICA_CENTRO_AFRICANA_Atribuido_a_plataforma_inter_religiosa_pela_paz_o_premio_Sergio_Vieira_de_Mello_2015http://fides.org/pt/news/40504-AFRICA_REPUBLICA_CENTRO_AFRICANA_Atribuido_a_plataforma_inter_religiosa_pela_paz_o_premio_Sergio_Vieira_de_Mello_2015Bangui - “O prêmio Sergio Vieira de Mello 2015 será atribuído à plataforma inter-religiosa pela paz por seu trabalho para reconciliar os grupos religiosos, na esperança de alcançar uma paz duradoura na República Centro-Africana, devastada pela guerra civil.<br />Segundo um comunicado enviado à Agência Fides a cerimônia de premiação se realiza nesta quarta-feira, 19 de agosto, em Genebra, durante a celebração do Dia Mundial da Ajuda Humanitária, no Palais des Nations. “A plataforma inter-religiosa mostra o que precisa ser feito durante uma crise para unir um país, superando as divisões sociais, culturais e religiosas”, disse Laurent Vieira de Mello, presidente da Fundação Sérgio Vieira de Mello. “A plataforma inter-religiosa serve de modelo necessário para outros países em conflito e demonstra que a prevenção e o diálogo são as chaves para a solução da crise dos refugiados e da migração forçada”.<br />A plataforma inter-religiosa foi fundada em 2013 por representantes das três principais religiões do país: pelo arcebispo católico de Bangui, Dom Dieudonné Nzapalainga, pelo presidente do Conselho Islâmico Centro-Africano, o Imame Oumar Kobine Layama, e pelo presidente da Aliança Evangélica, o Pastor Nicolas Guérékoyaméné-Gbangou.<br />No meio da guerra, os três líderes religiosos decidiram agir em conjunto para enfrentar a situação dramática de seu país. Desde então eles continuam convencendo muçulmanos, católicos e protestantes a evitar mais violência e vinganças entre as diferentes comunidades religiosas. Viajam por todo o país, visitando cidades e povoados e difundindo entre as diferentes comunidades os valores da paz, do respeito mútuo, da tolerância e da confiança. Enfim, graças aos seus esforços junto da comunidade internacional, o Conselho de Segurança da ONU decidiu instituir uma força de paz das Nações Unidas na República Centro-Africana .<br />A República Centro-Africana, situada no coração da África, está vivendo desde 2011 a pior crise de sua história, onde vários grupos armados, manipulando a religião para fins políticos, causaram a morte de milhares de pessoas e conduziram outras para o caminho do exílio e deslocamento. Wed, 19 Aug 2015 09:21:52 +0200AMÉRICA/ARGENTINA - “Não roubam só dinheiro, mas também a esperança do povo”, denuncia Dom Lozanohttp://fides.org/pt/news/40503-AMERICA_ARGENTINA_Nao_roubam_so_dinheiro_mas_tambem_a_esperanca_do_povo_denuncia_Dom_Lozanohttp://fides.org/pt/news/40503-AMERICA_ARGENTINA_Nao_roubam_so_dinheiro_mas_tambem_a_esperanca_do_povo_denuncia_Dom_LozanoBuenos Aires – “Não roubam só dinheiro, mas também a esperança do povo”, afirmou Dom Jorge Lozano, Bispo de Gualeguaychú e Presidente da Comissão para a Pastoral Social da Conferência voltou a criticar as “estruturas de pecado” que permitem a existência da corrupção institucional, do tráfico de seres humanos e de drogas. O Bispo sublinhou ainda que depois dos alagamentos ocorridos na província de Buenos Aires e Santa Fe, “os mais pobres foram os primeiros a sofrer com o atraso das obras públicas”.<br />Dom Lozano reiterou: “Quando se fala de corrupção em um sentido estrutural, se fala de estruturas da sociedade preparadas para favorecer a corrupção. Eis porquê falamos de “estruturas do pecado”. Quando examinamos como trabalhar na sociedade, queremos promover uma mudança nas estruturas para não termos mais estas situações de pobreza. Quando temos problemas no teto e uma chuva forte, fica claro que a água vai pingar e colocamos um balde em baixo. A um certo ponto, porém, temos que consertar o teto. Do mesmo jeito, custa mais assegurar uma mudança nas estruturas e transformá-las em estruturas de justiça e solidariedade”, concluiu o Bispo.<br /> Tue, 18 Aug 2015 12:41:15 +0200AMÉRICA/BRASIL - A Igreja pede garantias e direitos para os migranteshttp://fides.org/pt/news/40502-AMERICA_BRASIL_A_Igreja_pede_garantias_e_direitos_para_os_migranteshttp://fides.org/pt/news/40502-AMERICA_BRASIL_A_Igreja_pede_garantias_e_direitos_para_os_migrantesBrasília – Questões relacionadas à realidade dos migrantes e refugiados foram debatidas em uma reunião no dia 14 de agosto, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil .<br />O Bispo auxiliar de Brasília e Secretário Geral da Conferência, Dom Leonardo Steiner, encontrou-se com o Secretário Nacional de Justiça e Presidente do Comitê Nacional para Refugiados , Beto Vasconcelos, com a diretora do Instituto Migração e direitos humanos , Irmã Rosita Milesi, e a secretária executiva do setor Mobilidade Humana da CNBB, Irmã Claudine Scapini.<br />Dentre os temas discutidos, a necessidade de progressos nas políticas públicas, ações e iniciativas de acolhimento, e programas para favorecer a inclusão de imigrantes na sociedade. Também foi evidenciada a necessidade de uma maior tutela por parte do governo federal dos direitos dos migrantes que provêm do norte do país.<br />Os participantes também debateram a aprovação de uma nova lei para a migração, que tutele ainda mais os migrantes, cuja presença aumentou no Brasil. <br />Um dos grupos mais numerosos de migrantes no Brasil é o proveniente do Haiti, já que desde o terremoto de 2010 um grande número de haitianos procurou refúgio no país. Segundo as últimas estimativas, entre 2010 e agosto de 2014 chegaram ao Brasil entre 35 e 40 mil haitianos. A maior parte deles vive em condições de pobreza <br /> Tue, 18 Aug 2015 12:40:59 +0200ÁFRICA/MALAUÍ - Um país onde aumenta de forma incontrolada a frustração da populaçãohttp://fides.org/pt/news/40501-AFRICA_MALAUI_Um_pais_onde_aumenta_de_forma_incontrolada_a_frustracao_da_populacaohttp://fides.org/pt/news/40501-AFRICA_MALAUI_Um_pais_onde_aumenta_de_forma_incontrolada_a_frustracao_da_populacaoLilongwe - “A pobreza está crescendo de forma exponencial e a cada dia traz novas e más notícias”, afirma uma nova enviada à Agência Fides do Maláui por Pe. Piergiorgio Gamba, missionário monfortano com uma experiência de várias décadas num dos países mais pobres do mundo.<br />“Hoje, conta Pe. Gamba - o hospital de Balaka não tem mais disponível nem mesmo os medicamentos mais simples. Os pacientes recebem a prescrição para ir aos hospitais privados para obtê-los”. Agora, nas grandes salas de hospitalização não há sinais de esperança de recuperação. Ainda hoje as três refeições de polenta e feijão que eram dadas aos pacientes foram reduzidas para apenas um prato, uma vez por dia. Os quinhentos mil soropositivos que recebem os antirretrovirais, enquanto vêem prolongar a vida, são afetados pelo início de novas doenças, como câncer e diabetes: o país há apenas um oncologista e praticamente não há nenhuma insulina que possa ser encontrada, tendo de recorrer, quando possível, ao uso de comprimidos.<br />Em 7 de setembro terá início o ano escolar e vai ser difícil para muitos estudantes pagar a taxa de matrícula que está aumentando diariamente. O curso de enfermagem que até agora custava 150 mil Maláui Kwacha, numa noite passou para 850 mil Kwacha porque o governo não ajuda mais os cursos de formação oferecidos no Christian Hospital Association Malawi, um serviço ecumênico que cobre mais de 50% da assistência de saúde no país.<br />A ESCOM, a empresa fornecedora de eletricidade no país, pediu à população que acessa à energia que se prepare para quatro meses contínuos de blackout, até que as chuvas elevem o nível do rio Shire suficientemente para a produção contínua de corrente elétrica.<br />A carência de trigo, por causa do alagamento que destruiu um terço da colheita, começa a ser notada de modo evidente, prossegue pe. Gamba.<br />“Estes poucos dados ilustram um país à deriva: abandonado por todos os países doadores que querem punir a corrupção galopante, onde o escândalo “Cashgate” é uma das causas da pobreza”, diz pe. Gamba. “A frustração coloca à dura prova o caráter pacífico da população. Há quem diga – com meias palavras – que um simples episódio pode acender a faísca... com consequências incontroláveis”, conclui o missionário. Tue, 18 Aug 2015 12:40:39 +0200ÁFRICA/RD CONGO - Aprovada a lei sobre a repartição dos assentos depois de um longo atrasohttp://fides.org/pt/news/40500-AFRICA_RD_CONGO_Aprovada_a_lei_sobre_a_reparticao_dos_assentos_depois_de_um_longo_atrasohttp://fides.org/pt/news/40500-AFRICA_RD_CONGO_Aprovada_a_lei_sobre_a_reparticao_dos_assentos_depois_de_um_longo_atrasoKinshasa - A data de 25 de outubro, marcada para as eleições locais na República Democrática do Congo, parecia estar definitivamente prejudicada, afirma uma nota enviada à Agência Fides pela Rede Paz para o Congo, comentando sobre o atraso na aprovação da lei sobre a distribuição dos assentos. A lei foi aprovada in extremis no dia 11 de agosto.<br />De acordo com o calendário eleitoral global publicado em 12 de fevereiro pela Comissão Eleitoral, o projeto de lei sobre a distribuição dos assentos para as eleições locais deveria ser apresentado ao parlamento pelo governo até 21 de março, aprovado pelo Parlamento até 5 de abril e promulgado pelo Chefe de Estado até 20 de abril.<br />“Por que tanta demora da parte do Governo e, em particular, do Ministério do Interior?” se pergunta na nota.<br />Não é difícil responder: o Ministério do Interior não é capaz de fornecer dados precisos relativos à divisão territorial do país, ou o governo, dominado pela maioria presidencial, está simplesmente tentando adiar as eleições, incluindo as presidenciais e as legislativas de novembro de 2016, para permitir ao atual presidente Kabila de permanecer no poder, mesmo depois de 2016, quando seu segundo mandato irá expirar e o chefe de Estado em fim de mandato não poderá se apresentar novamente nas eleições para buscar um terceiro mandato, uma vez que a Constituição prevê apenas dois. Kabila tentou mudar a Constituição para poder se apresenter novamente nas eleções de 2016 , mas encontrou fortes protestos da oposição e da sociedade civil .<br />Quanto à eleição dos deputados provinciais, de acordo com o calendário eleitoral global, publicado pela Comissão Eleitoral, deveria ser organizada em concumitância com as locais. Consequentemente, o atraso acumulado para a organização das eleições locais se repercute necessariamente nas provinciais.<br />“A este ponto, a Comissão eleitoral, organismo responsável pela organização das eleições, deve dar prioridade para a sua autonomia e independência e decidir continuar o processo eleitoral preparando primeiramente aquelas eleições que já é possível organizar, começando com as dos deputados provinciais, senadores nacionais, governadores de províncias, continuando com as presidenciais e as eleições legislativas de 2016 e adiando para 2017 as eleições locais”, sugere a nota.<br />A aprovação da lei sobre a distribuição dos assentos parece finalmente colocar de volta nos trilhos o processo eleitoral. Tue, 18 Aug 2015 12:40:09 +0200