Fides News - Portuguese (Portugal)http://fides.org/As notícias da Agência Fidespt AMÉRICA/MÉXICO - Mais de 9 mil crianças sofrem maus-tratos em família no Estado de Michoacánhttp://fides.org/pt/news/59963-AMERICA_MEXICO_Mais_de_9_mil_criancas_sofrem_maus_tratos_em_familia_no_Estado_de_Michoacanhttp://fides.org/pt/news/59963-AMERICA_MEXICO_Mais_de_9_mil_criancas_sofrem_maus_tratos_em_familia_no_Estado_de_MichoacanMorelia – No Estado mexicano de Michoacán, 15.5% das meninas e 19.4% dos meninos de 6 a 9 anos sofrem maus-tratos e violência por parte dos pais. Os dados foram coletados pela Pesquisa Infanto-Juvenil 2012. Também são alarmantes as cifras acerca dos abusos sexuais contra crianças nesta mesma faixa etária, 13.7%, superadas apenas pelo Chiapas. Segundo as informações enviadas a Fides, Michoacán registra ainda um índice de mortalidade infantil de 8.6 casos por ano entre menores de um ano de idade, como confirmado no último Censo da População. O fenômeno da violência contra menores tem um processo que evolui lentamente, e as estatísticas anuais mais atuais são aquelas apresentadas pelas organizações civis. Segundo os dados da Fundación en Pantalla Contra la Violencia Infantil, em 2014 Michoacán estava em quarto lugar quanto à exploração infantil, superado por Zacatecas, Sinaloa e Baja California. <br /><br />Fri, 06 May 2016 00:34:47 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - “As famílias estão fugindo por causa da violência”, denuncia o Bispo de Tibùhttp://fides.org/pt/news/59962-AMERICA_COLOMBIA_As_familias_estao_fugindo_por_causa_da_violencia_denuncia_o_Bispo_de_Tibuhttp://fides.org/pt/news/59962-AMERICA_COLOMBIA_As_familias_estao_fugindo_por_causa_da_violencia_denuncia_o_Bispo_de_TibuTibù – As famílias camponesas fogem por causa do aumento dos homicídios e da presença de grupos armados que ameaçam e extorquem a população, denuncia o Bispo da diocese colombiana de Tibù, Dom Omar Alberto Sanchez, encontrando alguns jornalistas locais.<br /> A nota enviada a Fides destaca que, segundo o Bispo, este fenômeno se agravou desde que houve a reaproximação das FARC e do ELN com o governo nacional para os colóquios de paz. "Há ansiedade e medo nesses territórios, e isso dá a sensação de que o diálogo de paz que está perto, entre numa fase negativa", disse Dom Sanchez.<br />O Bispo reiterou que não é um segredo o fato de que existe um grande número de “inimigos da paz” e muitas pessoas estejam interessadas em acabar com o diálogo pelos interesses que estão em jogo, entre os quais os cultivos ilícitos e o narcotráfico .<br /> <br /><br />Fri, 06 May 2016 00:33:45 +0200AMÉRICA/EQUADOR - “Que as ajudas não parem”: preocupação dos voluntários com as vítimas do terremotohttp://fides.org/pt/news/59959-AMERICA_EQUADOR_Que_as_ajudas_nao_parem_preocupacao_dos_voluntarios_com_as_vitimas_do_terremotohttp://fides.org/pt/news/59959-AMERICA_EQUADOR_Que_as_ajudas_nao_parem_preocupacao_dos_voluntarios_com_as_vitimas_do_terremotoPortoviejo – Café da manhã, almoço e lanche: é o que recebem cotidianamente as famílias desabrigadas, os voluntários e os bombeiros, graças ao trabalho de um grande grupo de fiéis organizado pelos missionários capuchinhos de Portoviejo depois do sismo de 16 de abril <br /> . Todos os dias, são distribuídas 3.600 refeições. <br /> "A tragédia tornou visível a solidariedade de muitas pessoas que se unem para trazer frango, carne, arroz, óleo e outros alimentos, embora o estoque esteja acabando. Queremos continuar a ajudar, mas não temos os meios", afirma Fr. Felipe Intriago, membro do movimento Juan XXIII, na nota enviada a Fides pela Arquidiocese de Guayaquil.<br />Nesta ação de solidariedade em Portoviejo, uma das regiões mais atingidas pelo sismo, trabalham juntas pessoas pertencentes a vários momentos eclesiais, como Legião de Maria, Renovação Carismática e grupos paroquiais que ajudam voluntariamente todos os dias a preparar e servir alimentos. Além desta iniciativa, há muitas outras que a Igreja Católica na província de Manabi está levando avante para ajudar as pessoas atingidas pelo terremoto. Existe agora a preocupação para que esta ajuda não pare, assim todas as paróquias da Arquidiocese de Guayaquil se tornaram centros de coleta de ajudas para as vítimas e voluntários.<br /> <br />Fri, 06 May 2016 00:32:22 +0200ÁSIA/LÍBANO - Bispos maronitas: o Líbano parece um navio sem lemehttp://fides.org/pt/news/59965-ASIA_LIBANO_Bispos_maronitas_o_Libano_parece_um_navio_sem_lemehttp://fides.org/pt/news/59965-ASIA_LIBANO_Bispos_maronitas_o_Libano_parece_um_navio_sem_lemeBkerkè – O mundo árabe está ameaçado, em sua existência, por uma “identidade assassina”, crises e guerras que abalam toda a região e têm raízes profundas nas “contraposições regionais” e “políticas internacionais”. Assim os Bispos maronitas, reunidos na sede patriarcal de Bkerkè em assembleia mensal, evocaram pela enésima vez a dimensão global e os fatores externos que continuam a alimentar guerras e tragédias humanitárias em todo o Oriente Médio. <br />Na reunião, realizada quarta-feira, 4 de maio, sob a presidência do Patriarca Boutros Bechara Rai, os Bispos maronitas reafirmaram que a eleição do Presidente da República – cargo vacante há quase dois anos,, devido aos vetos cruzados das forças políticas – “é indispensável para preservar a identidade constitucional libanesa” e alertaram também para o risco da fragmentação com base sectária, que inevitavelmente reverterá a atual fisionomia das nações árabes, se se continuar a privilegiar a estratégia do “ferro e fogo” do que a escola do diálogo. <br />Em seu encontro – consta no comunicado final, recebido pela Agência Fides – os Bispos maronitas também comentaram positivamente as recentes medidas que prefiguram o fechamento das “casas de prostituição” e pediram que os inquéritos abertos nos últimos tempos sobre casos de corrupção sejam encerrados, visto que os escândalos também contribuem para fazer que o Líbano se pareça a um “navio sem leme”. . <br /> <br />Fri, 06 May 2016 16:25:21 +0200ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - Superiores religiosos: “Difundimos a mensagem da ‘Laudato Sì’ para melhorar o meio ambiente ameaçado”http://fides.org/pt/news/59964-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Superiores_religiosos_Difundimos_a_mensagem_da_Laudato_Si_para_melhorar_o_meio_ambiente_ameacadohttp://fides.org/pt/news/59964-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Superiores_religiosos_Difundimos_a_mensagem_da_Laudato_Si_para_melhorar_o_meio_ambiente_ameacadoJuba - “Contaminação da água, da terra, do ar; desflorestamento e abatimento de árvores sem replantar, florestas incendiadas, exploração excessiva de pastagens, desertificação e exploração do petróleo como fonte de renda do país, mas grave agente poluidor”. Estas são ameaças ao habitat humano e natural que o Sudão do Sul deve enfrentar, segundo os religiosos que atuam no país. <br />No final de um encontro de trabalho dedicado à Encíclica “Laudato sì”, superiores dos mais de 500 religiosos que trabalham no Sudão do Sul, reunidos na RSASS , publicaram um comunicado intitulado “Cuidemos de nossa casa comum – Sudão do Sul”. .<br />O Sudão do Sul está saindo de uma guerra civil que teve um forte impacto negativo na convivência social. “Nos longos anos de guerra, perdemos a relação com nossos irmãos e irmãs, tornamo-nos como Caim que matou seu irmão”, ressalta o documento, enviado à Agência Fides. “Perdemos a nossa relação com Deus que nos confiou, como administradores, a sua criação. Autopromovendo-nos a ‘senhores da criação’, colocamos em perigo a nossa casa sagrada”. <br />Para remediar a esta situação, os religiosos que atuam no Sudão do Sul se comprometem a fazer com que “a educação das crianças, dos jovens e dos líderes” se torne prioridade nas paróquias e nas escolas” e usar a mídia, especialmente a rádio, para difundir a mensagem da “Laudato Sì”. Enfim, a proposta é sensibilizar a população a plantar árvores, a manter o meio ambiente limpo e a melhorar as técnicas agrícolas. <br />Fri, 06 May 2016 16:24:44 +0200ÁFRICA/RD CONGO - Se não houver eleições até novembro, todas as instituições perderão legitimidadehttp://fides.org/pt/news/59961-AFRICA_RD_CONGO_Se_nao_houver_eleicoes_ate_novembro_todas_as_instituicoes_perderao_legitimidadehttp://fides.org/pt/news/59961-AFRICA_RD_CONGO_Se_nao_houver_eleicoes_ate_novembro_todas_as_instituicoes_perderao_legitimidadeKinshasa - “A República Democrática do Congo pode se tornar o único país do mundo em que nenhuma instituição do Estado tem mandato; são ilegais e ilegítimas”. É o que afirma uma nota enviada à Agência Fides pela Rede Paz para o Congo, que se pergunta: “ainda é possível organizar eleições presidenciais e legislativas nacionais até o fim de novembro de 2016, de modo que os resultados sejam aceitos por todos e não contestados?”. <br />Estas considerações nascem do anúncio do governo de Kinshasa de que não dispõe de meios suficientes para financiar o processo eleitoral. Por sua vez, a Comissão eleitoral ainda não iniciou a operação de revisão e atualização das listas eleitorais. <br />Caso não houver eleições no próximo mês de novembro, a Presidência da República e a Assembleia Nacional dos deputados também perderão sua legitimidade, por terem superado a duração de seus mandados. Já o Senado e as Assembleias dos deputados provinciais não têm mais valor desde janeiro de 2012, pois foram eleitos em janeiro de 2007 com um mandato de cinco anos. <br />“Trata-se de um impasse ao qual provavelmente será difícil dar uma solução constitucional, porque a Constituição, como tal, não pode prever a possibilidade que o Estado se encontre na impossibilidade de organizar eleições”, afirma a nota. <br />“A solução para este impasse só pode ser política e passa através do diálogo entre as várias partes implicadas no processo eleitoral. A Comissão eleitoral já dispõe de um comitê ad hoc: tríplice, é composta por delegados da comissão eleitoral, partidos da maioria e da oposição, a quem se podem somar os da sociedade civil” sugere a nota. <br />Em relação ao financiamento das eleições, é irresponsável recorrer ao princípio da ‘soberania nacional’ se o Estado, como tal, não possui meios necessários para a organização das eleições. Seria mais sério recorrer à ajuda da comunidade internacional, que já se disse pronta para colaborar, como já fez em 2006” conclui a nota. <br /><br />Fri, 06 May 2016 16:24:01 +0200EUROPA/GRÃ-BRETANHA - Escolarização para 75 milhões de crianças nos países em crise humanitáriahttp://fides.org/pt/news/59960-EUROPA_GRA_BRETANHA_Escolarizacao_para_75_milhoes_de_criancas_nos_paises_em_crise_humanitariahttp://fides.org/pt/news/59960-EUROPA_GRA_BRETANHA_Escolarizacao_para_75_milhoes_de_criancas_nos_paises_em_crise_humanitariaLondres – Cerca de 75 milhões de crianças e adolescentes de idade escolar, que vivem em países em crise, precisam de programas de escolarização. Foi o que declarou recentemente a organização inglesa Overseas Development Institute em estudo solicitado pela Unicef e pelos governos de Grã-Bretanha, Estados Unidos e Noriega. No mundo, 37 milhões de crianças de idade escolar do ensino fundamental e médio não vão às aulas por causa da guerra ou de emergências de outros tipos. <br />Somente na Síria, fecharam-se 6 mil escolas, na Nigéria e nos Camarões foram desativados 1800 colégios, enquanto na República Centro-africana um quarto das estruturas existentes não oferece serviço educativo. O documento foi divulgado a menos de três semanas do primeiro Fórum Global Humanitário que se realizará em Istambul, durante o qual se fará referência ao problema da escolarização. O objetivo é criar um fundo para financiar programas escolares nos países em crise. A meta imediata é arrecadar cerca de 4 mil milhões de dólares para oferecer escolarização, nos próximos cinco anos, a 13 milhões e meio de crianças que vivem em áreas de conflito. <br />Fri, 06 May 2016 16:23:17 +0200ÁSIA/TURQUIA - Prêmio europeu para a igreja armênia em Diyarbakir, confiscada pelo governohttp://fides.org/pt/news/59966-ASIA_TURQUIA_Premio_europeu_para_a_igreja_armenia_em_Diyarbakir_confiscada_pelo_governohttp://fides.org/pt/news/59966-ASIA_TURQUIA_Premio_europeu_para_a_igreja_armenia_em_Diyarbakir_confiscada_pelo_governoDiyarbakir - A igreja apostólica-armênia de São Giragos , em Diyarbakir, foi premiada pela União Europeia por suas recentes restaurações, mas a cerimônia de premiação e a colocação da placa comemorativa do prêmio não poderão ser realizadas no local de culto, que desde março foi confiscado pelas autoridades militares turcas por motivos de segurança, junto com outras igrejas do centro histórico da cidade.<br />Fontes turcas, consultadas pela Agência Fides, informam que o Prêmio da União Europeia para o patrimônio cultural foi designado à histórica igreja armênia de Diyarbakir pelo grande sucesso dos trabalhos de restauração que restabeleceu seu antigo esplendor. A obra de restauração, apoiada pelas comunidades armênias apostólicas de toda a Turquia, também representou um momento significativo de reconciliação entre as várias componentes das cidades e colaboração com as autoridades locais.<br />A igreja armênia de Diyarbakir é a maior do Oriente Médio. A sua torre majestosa pode ser vista de todos os ângulos da cidade, representa a orginal que foi destruída por tiros de canhões em 1914.<br />No final de março, o Governo turco sequestrou uma grande área da metrópole, localizada na margem do Rio Tigre, no contexto das operações militares realizadas no sul da Turquia contra as posições curdas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão .<br />Na área urbana sequestrada estão todas as igrejas presentes em Diyarbakir: além da igreja apostólica armênia de São Giragos , há também a igreja siríaca dedicada à Virgem Maria, a igreja caldeia de Mar Sarkis , a igreja católica-armênia e um lugar de culto protestante, além de mais de 6 mil moradias, localizadas principalmente na parte antiga da cidade.<br />Já no momento da expropriação, nenhuma igreja cristã de Diyarbakir estava aberta ao culto. <br />Nas últimas semanas , enquanto em Diyarbakir se prolonga o toque de recolher decretado pelas autoridades turcas, se multiplicam também os recursos apresentados pelos advogados das fundações envolvidas com as comunidades cristãs contra a ordem de confisco urgente imposta pelo governo. . <br />Fri, 06 May 2016 14:24:34 +0200ÁSIA/ÍNDIA - Bispo sequestrado: três sacerdotes presoshttp://fides.org/pt/news/59967-ASIA_INDIA_Bispo_sequestrado_tres_sacerdotes_presoshttp://fides.org/pt/news/59967-ASIA_INDIA_Bispo_sequestrado_tres_sacerdotes_presosNova Délhi - A polícia indiana prendeu 14 pessoas acusadas de ter organizado e participado do sequestro de Dom Prasad Gallela, Bispo da Diocese de Cuddapah, em Andra Pradesh, sequestrado e libertado, depois de uma noite, em 25 de abril passsado . Dentre as 14 pessoas, anunciou o superintendente da Polícia, estão três sacerdotes da Diocese de Cuddapah. As acusações são de sequestro de pessoa por extorsão e tentativa de homicídio do bispo.<br />“Dom Gallela Prasad foi sequestrado em Chillikanuma por um grupo de pessoas que o amarrou e espancou, exigindo resgate e ameaçando matá-lo”, disse o superintendente da Polícia. O principal acusado é o sacerdote Pe. Nalladimmu Raja Reddy, 48 anos, pároco de Palur, na Diocese de Kadapa, que administra várias instituições e fundações católicas de prestígio.<br />O segundo sacerdote preso é Pe. Lingala Vijaya Mohan Reddy, 45 anos, pároco de Vallur, que seria um dos cúmplices. O terceiro sacerdote é o Pe. Sanivarapu Marreddy, 39 anos, pároco de Renigunta. Os três não teriam apreciado o trabalho do bispo em algumas nomeações e transferências do clero local e queriam pressioná-lo, contratando homens para organizar o sequestro. “A principal razão por trás do seqüestro é o rancor que os sacerdotes cultivaram contra o bispo por ele não apoiar o uso de fundos da Igreja”, disse a Polícia que também recuperou alguns dos bens roubados.<br />Pe. Sudhakar, sacerdote da diocese, disse: “É um fato muito triste. Rezemos pela nossa Igreja. Esses padres foram enganados pelo poder e pelo dinheiro e causaram um grande dano à Igreja”. <br /><br />Fri, 06 May 2016 14:21:28 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - Cônjuges cristãos queimados vivos por blasfêmia: há risco que os culpados fiquem impuneshttp://fides.org/pt/news/59968-ASIA_PAQUISTAO_Conjuges_cristaos_queimados_vivos_por_blasfemia_ha_risco_que_os_culpados_fiquem_impuneshttp://fides.org/pt/news/59968-ASIA_PAQUISTAO_Conjuges_cristaos_queimados_vivos_por_blasfemia_ha_risco_que_os_culpados_fiquem_impunesLahore – O processo contra os acusados de linchar os dois cônjuges cristãos Shahzad Masih e Shama Bibi, queimados vivos por uma presumível blasfêmia no dia 4 de novembro de 2014, é complicado. Na audiência de ontem, 5 de maio, no Tribunal anti-terrorismo de Lahore, que julga o caso, iniciou-se o interrogatório das testemunhas, que prosseguirá na próxima audiência, em 9 de maio. <br />“As testemunhas estão ameaçadas e também o seu advogado”, diz à Fides um dos advogados presentes, o cristão Sardar Mushtaq Gill, que defende a família das vítimas. <br />“Há muita preocupação pela possível impunidade dos culpados” confirma à Fides o advogado Aneeqa Maria Anthony, coordenador da organização "The Voice Society", que oferece tutela legal às vítimas. <br />“O Governo anunciou que o Estado paquistanês se apresenta como parte civil, alegando a acusação, mas, entretanto, as testemunhas se recusaram a reconhecer o principal acusado no caso, que foi libertado sob caução. Existem 106 pessoas detidas acusadas deste linchamento e, se o processo for adiante nesta direção, parece que todos serão libertados”, concluiu. <br />Fri, 06 May 2016 14:20:21 +0200AMÉRICA/MÉXICO - Garantir a segurança das pessoas em Veracruz, não ver aumentar os sequestroshttp://fides.org/pt/news/59953-AMERICA_MEXICO_Garantir_a_seguranca_das_pessoas_em_Veracruz_nao_ver_aumentar_os_sequestroshttp://fides.org/pt/news/59953-AMERICA_MEXICO_Garantir_a_seguranca_das_pessoas_em_Veracruz_nao_ver_aumentar_os_sequestrosVeracruz - "Em Veracruz, é necessário um mecanismo de reação imediata ao desaparecimento de uma pessoa, sem ter de esperar 72 horas para apresentar a denúncia”, foi o que disse o Bispo de Córdoba , Dom Eduardo Patiño Leal, à comunidade depois da celebração da missa na festa da Santa Cruz, em 2 de maio.<br />"Sabemos que em outros lugares do país, se conseguem encontrar as pessoas ainda em vida se a polícia intervém antes. As autoridades devem garantir que estes crimes não aconteçam. Infelizmente, não somente continuam acontecendo esses crimes, mas aumentam, eis porque pedimos para as autoridades, para que encontrem soluções adequadas a estas tragédias”, acrescentou o bispo, segundo a nota enviada à Agência Fides. “É preciso garantir a segurança da população de Veracruz e não continuar vendo aumentar os casos de pessoas desaparecidas”, concluiu Dom Patiño Leal.<br />A Igreja nesta área teve de se adaptar à situação difundida de ameaças ou violência: em muitas paróquias a missa dominical das 20h foi antecipada “por motivos de segurança”. Também nas pequenas localidades de campo e na periferia, onde os fiéis gastam horas de caminhada para chegar à igreja, a missa é celebrada pela manhã e não mais à tarde, por causa do medo de ficar tarde para voltar para casa e se tornarem vítimas de algum grupo criminoso. <br /> <br />Wed, 04 May 2016 13:10:07 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - Explosão de vocações ao sacerdócio: um Igreja viva e fervorosa na féhttp://fides.org/pt/news/59957-ASIA_PAQUISTAO_Explosao_de_vocacoes_ao_sacerdocio_um_Igreja_viva_e_fervorosa_na_fehttp://fides.org/pt/news/59957-ASIA_PAQUISTAO_Explosao_de_vocacoes_ao_sacerdocio_um_Igreja_viva_e_fervorosa_na_feLahore - A Igreja paquistanesa vive a fé nas dificuldades cotidianas, num país 95% muçulmano. É também uma Igreja “fervorosa nas vocações sacerdotais e na vida consagrada, sinal da bênção de Deus que está sempre perto de seu povo”: foi o que disse à Agência Fides Pe. Inayat Bernard, Reitor do Seminário menor de "Santa Maria" em Lahore. <br />Pe. Bernard, que administra uma estrutura com 26 seminaristas jovens, recorda as cifras que marcam a Igreja paquistanesa florescente de vocações: 23 ordenações sacerdotais, entre sacerdotes diocesanos e religiosos, desde o início de 2015 até hoje, e 15 novos diáconos que se preparam para ser ordenados em 2016. No entanto, no Instituto Nacional de Teologia de Karachi estudam 79 seminaristas maiores, e no Seminário maior dedicado a São Francisco Xavier, em Lahore, eles são 96: “São números que preanunciam um futuro próspero para a Igreja Católica no Paquistão”, comenta Pe. Inayat, "sem nos esquecer as numerosas vocações nas ordens religiosas femininas: um sinal de esperança que infunde confiança e coragem também nas dificuldades”. É verdade que a comunidade cristã na complexa situação sociopolítica do Paquistão, às vezes sofre discriminações evidentes ou espisódios de violência, como o atentado ocorrido na Páscoa, em Lahore, “enquanto o terrorismo afeta de forma indiscriminada objetivos religiosos, civis e militares”, observa. Mas estas dificuldades “não afetam a nossa liberdade e a fé da população, aliás, as reforçam e hoje estamos colhendo os frutos”, frisou. É verdade que o martírio, que às vezes experimentamos, é semente de novos cristãos e permanece um dom de Deus que somente com a fé é possível compreender e viver”, concluiu. <br /><br />Wed, 04 May 2016 13:09:11 +0200AMÉRICA/REP. DOMINICANA - Uma iniciativa para erradicar o trabalho infantilhttp://fides.org/pt/news/59955-AMERICA_REP_DOMINICANA_Uma_iniciativa_para_erradicar_o_trabalho_infantilhttp://fides.org/pt/news/59955-AMERICA_REP_DOMINICANA_Uma_iniciativa_para_erradicar_o_trabalho_infantilSanto Domingo – O trabalho infantil é um fenômeno que atinge 13% das crianças dominicanas na faixa etária entre 5 e 17 anos. Para fazer frente a este fenômeno, nasceu no país a Fundação Niños Limpiabotas La Merced, cuja missão é erradicar o trabalho infantil dos engraxates na região oeste de Santo Domingo, acompanhando-os e permitindo-lhes adquirir uma formação completa através de valores com os quais contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade livre, justa e solidária. Segundo as estimativas do Unicef, em todo o mundo existem 158 milhões de meninos e meninas trabalhadores entre 5 e 14 anos, ou seja, um a cada seis. Milhões trabalham em condições de risco. <br />Wed, 04 May 2016 13:48:38 +0200AMÉRICA/NICARÁGUA - Aumentam assassinatos por parte do exército, a população vive no terrorhttp://fides.org/pt/news/59954-AMERICA_NICARAGUA_Aumentam_assassinatos_por_parte_do_exercito_a_populacao_vive_no_terrorhttp://fides.org/pt/news/59954-AMERICA_NICARAGUA_Aumentam_assassinatos_por_parte_do_exercito_a_populacao_vive_no_terrorMatagalpa – Deplorando o assassinato de Enrique Aguinaga Castrillo, conhecido como "Comandante Invisível" – ocorrido sábado passado, 30 de abril – e considerando que a militarização das áreas rurais do país não está surtindo efeitos positivos, o Bispo de Matagalpa, Dom Rolando José Alvarez Lagos, exortou a acabar com os crimes contra os civis, sobretudo no norte do país. "As pessoas vivem aterrorizadas… portanto, é importante desmilitarizar a área e acabar com todo tipo de crime contra os civis", pediu o Bispo.<br />Na manhã de 3 de maio, Dom Alvarez Lagos celebrou a missa na paróquia de Nosso Senhor de Veracruz, na comunidade de El Cacao, município de Dario, e lamentou o homicídio de Aguinaga diante da imprensa local. Segundo a mídia, Aguinaga foi um dos nicaraguenses que pediu asilo político em Honduras em 2013 e, na sequência, regressou para a Nicarágua como líder de um grupo supostamente armado, contrário ao governo inconstitucional de Daniel Ortega.<br />De acordo com a versão do exército, os soldados mataram “um delinquente”, enquanto a família de Aguinaga afirma que ele foi selvagemente assassinado durante uma emboscada, perfurado por tiros. A propósito, Dom Alvarez comentou que "todo crime cometido contra seres humanos, contra civis que se encontram indefesos, é totalmente deplorável. Considerando também a brutalidade e a ferocidade com que foi cometido, é ainda mais deplorável e execrável ".<br /> <br /><br />Wed, 04 May 2016 13:47:50 +0200AMÉRICA/MÉXICO - O triste fenômeno das crianças nascidas nas prisõeshttp://fides.org/pt/news/59952-AMERICA_MEXICO_O_triste_fenomeno_das_criancas_nascidas_nas_prisoeshttp://fides.org/pt/news/59952-AMERICA_MEXICO_O_triste_fenomeno_das_criancas_nascidas_nas_prisoesCidade do México – Atualmente, nas prisões mexicanas existem mais de 13 mil mulheres e a maior parte delas é mãe. Nos centros de detenção masculinos e femininos de Santa Martha, em Cidade do México, vivem também 550 crianças que nasceram ali. Trata-se da prisão na qual reside o maior número de menores, cerca de 110. Segundo a fundação “Reinserta un Mexicano A. C.”, 80% desses menores vivem nas prisões em contextos de violência e de droga. Em 80% dos institutos de detenção do país, não existe um Centro de Desenvolvimento Infantil nem as condições para uma sobrevivência digna para sua idade, e quando os menores saem de lá, encontram muitos problemas. <br />Nem todas as prisões do México admitem a permanência dos menores onde estão detidas as respectivas mães, e isso, denuncia a Comissão Nacional dos Direitos Humanos , viola o direito dos filhos de viverem com a mãe. Numa pesquisa sobre mulheres detentas, a CNDH registrou a presença de crianças em 51 centros de reclusão. A permanência é permitida somente no caso em que o menor nasce enquanto a mãe está descontando a pena. Na prisão de Acapulco, existem menores de 14 anos que vivem com as mães. Em outros 10, em Baixa Califórnia, Chiapas, Distrito Federal, Jalisco, Nayarit, San Luis Potosí, Yucatán e Zacatecas, não é permitida a permanência de menores.<br /> <br />Wed, 04 May 2016 13:47:07 +0200EUROPA/SUÍÇA - Para caminhar juntos, numa época de movimentos, movidos pelo Espíritohttp://fides.org/pt/news/59950-EUROPA_SUICA_Para_caminhar_juntos_numa_epoca_de_movimentos_movidos_pelo_Espiritohttp://fides.org/pt/news/59950-EUROPA_SUICA_Para_caminhar_juntos_numa_epoca_de_movimentos_movidos_pelo_EspiritoSolothurn – Os “movimentos” deste nosso tempo envolvem todos. Alguns são obrigados a mover-se, aliás, a fugir, erradicando-se para sempre da própria história e do próprio contexto; e outros se iludem que migrar seja sinônimo de liberdade e buscam uma vida sem raízes e pertenças estáveis. Especialmente os jovens experimentam uma incerteza de identidade inédita, e correm o risco de se perder na crise de valores e ideologias. <br />Como informa à Agência Fides Bianca Maisano, das Missionárias Seculares Scalabrinianas, mais de 400 pessoas, de mais de quarenta línguas e culturas diferentes, encontraram-se na cidade suíça de Solothurn para a “Festa de Primavera” no Centro Internacional Scalabrini, de 29 de abril a 1º de maio, sob o tema “Nos movimentos de nosso tempo, que sinais de vida nova? Eis, eu faço novas todas as coisas’ ”. O encontro formativo, que já é um momento tradicional, reuniu jovens, famílias e amigos de diversas nacionalidades, como também muitos refugiados. <br />Um fórum com Mauro Magatti e Chiara Giaccardi, professores da Universidade Católica de Milão, promoveu um diálogo em oito línguas realizado em grupos, momentos lúdicos, de festa e de música, com a concelebração eucarística na igreja dos Jesuítas, presidida pelo Vigário Geral da Diocese de Basel, Solothurn, Markus Thürig, com os missionários scalabrinianos G. Bortolamai, O. Gil, e com pe. S. Viola, permitiram a todos viver uma experiência de dom recíproco e testemunho. <br />Segundo a intuição profética de Giovanni Battista Scalabrini, a providência, ou seja, o sopro do Espírito, movimenta de dentro a história e o coração, transformando-os em terreno generativo para um novo caminho a se percorrer juntos. <br /><br />Wed, 04 May 2016 15:01:39 +0200ÁFRICA/NIGÉRIA - Bispos: “Presidente, estamos com o senhor na luta contra a corrupção e a violência”http://fides.org/pt/news/59951-AFRICA_NIGERIA_Bispos_Presidente_estamos_com_o_senhor_na_luta_contra_a_corrupcao_e_a_violenciahttp://fides.org/pt/news/59951-AFRICA_NIGERIA_Bispos_Presidente_estamos_com_o_senhor_na_luta_contra_a_corrupcao_e_a_violenciaAbuja - “Louvamos os seus esforços para combater Boko Haram e a corrupção. Auspiciamos que justiça seja feita segundo a lei, sem que hajam ilhas de impunidade”, afirmou Dom Ignatius Ayau Kaigama, Arcebispo de Jos e Presidente da Conferência Episcopal da Nigéria, em discurso por ocasião da visita dos Bispos ao Presidente nigeriano Muhammud Buhari, realizada em 2 de maio.<br />Referindo-se a Boko Haram e à corrupção, Dom Kaigama os definiu “dois monstros que ameaçam desestabilizar a Nigéria e destruir o crescimento e o desenvolvimento da nação”. Em seu discurso, cujo texto foi enviado à Agência Fides, o Arcebispo de Jos destaca os esforços da Igreja católica para levar ajuda às populações obrigadas a fugir das violências da seita islâmica. “De modo especial – recordou – os Bispos de Maiduguri e de Yola, como os de outras partes do país, hospedaram um grande número de desalojados internos. A Caritas nigeriana enviou uma delegação aos Camarões, com uma significativa quantidade de ajudas para socorrer milhares de nigerianos que estão refugiados naquele país”.<br />O Presidente da Conferência Episcopal citou também os recentes massacres dos estados do sul, como os ocorridos em Agatu e Nimbo , atribuídos a pastores Fulani, que seriam responsáveis também pelo fracassado atentado contra o automóvel em que viajava o Card. John Olorunfemi Onaiyekan, Arcebispo de Abuja. <br />Segundo Dom Kaigama, é preciso fornecer ajuda seja aos pastores que enfrentam dificuldades por causa das mudanças climáticas seja aos agricultores, também para criar uma economia menos dependente do petróleo. Ao mesmo tempo, ele afirma que “os ataques armados e os massacres se tornaram uma ameaça nacional, ao ponto que se deve considerá-los como uma insurgência e tratá-los como tal”. <br />Dom Kaigama lamentou enfim a falta de apoio do Estado às escolas católicas, definidas “escolas missionárias”, porque fornecem uma educação de qualidade a todos que a pedem, sem discriminações, e as enormes dificuldades para construir locais de culto cristãos nas universidades federais nos estados do Norte, de maioria muçulmana, assim como novas igrejas nas mesmas áreas. <br />“Pedimos que encoraje os governos daqueles Estados a impor o respeito da liberdade de religião inscrita na nossa Constituição”, pediu Dom Kaigama ao Chefe de Estado. <br /> <br /><br />Wed, 04 May 2016 15:01:01 +0200ÁSIA/IRAQUE - Os Peshmerga e os ataques da coalizão rechaçam os jihadistas para fora da aldeia de Telskufhttp://fides.org/pt/news/59956-ASIA_IRAQUE_Os_Peshmerga_e_os_ataques_da_coalizao_rechacam_os_jihadistas_para_fora_da_aldeia_de_Telskufhttp://fides.org/pt/news/59956-ASIA_IRAQUE_Os_Peshmerga_e_os_ataques_da_coalizao_rechacam_os_jihadistas_para_fora_da_aldeia_de_TelskufTelskuf – Durou poucas horas o ataque de cerca de 150 jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico que no dia de ontem, 3 de maio, atacaram Telskuf, cidade da Planície de Nínive aonde antes de agosto de 2014 viviam cerca de 12 mil cristãos. As milícias curdas Peshmerga, auxiliadas pelos ataques aéreas da coalizão internacional anti-Daesh liderada pelos EUA, retomaram já na mesma terça-feira o controle da cidade, aparentemente desabitada. Os confrontos entre as milícias curdas e os afiliados ao Daesh promoveram diversas vítimas de ambos os lados. Pelo menos três soldados Peshmerga morreram. Um comunicado da coalizão liderada pelos EUA, divulgado por fontes curdas consultadas pela Agência Fides, informa que também um soldado estadunidense morreu nos atritos com o Daesh ocorridos no distrito de Telskuf. <br />O ataque jihadista em Telskuf foi parte do amplo ataque tentado pelos milicianos do Daesh para abrir passagens nas áreas do norte do Iraque presidiadas pelos Peshmerga, depois que as forças armadas curdas obtiveram importantes sucessos nos confrontos com os jihadistas, reconquistando importantes aldeias na área de Kirkuk.<br />Atualmente, Telskuf é uma cidade fantasma. Os seus habitantes a abandonaram em massa na noite de 6 e 7 de agosto de 2014, quando milhares de cristãos dos povoados da Planície de Nínive fugiram diante da avançada das milícias do Estado Islâmico. Os jihadistas se retiraram de Telskuf nos meses sucessivos, mas a cidade permenaceu deserta, e as famílias cristãs voltaram somente para celebrar os funerais e sepultar os seus mortos no cemitério. Uma parte dos cidadãos que fugiu de Telskuf se refugiou na vizinha cidade de Alqosh. .<br />Wed, 04 May 2016 15:00:15 +0200ÁFRICA/EGITO - O Parlamento egípcio se prepara para discutir a nova lei sobre a construção dos locais de cultohttp://fides.org/pt/news/59958-AFRICA_EGITO_O_Parlamento_egipcio_se_prepara_para_discutir_a_nova_lei_sobre_a_construcao_dos_locais_de_cultohttp://fides.org/pt/news/59958-AFRICA_EGITO_O_Parlamento_egipcio_se_prepara_para_discutir_a_nova_lei_sobre_a_construcao_dos_locais_de_cultoCairo – O novo texto de lei sobre a construção dos locais de culto, em estudo há anos, foi predisposto em sua versão pré-definitiva e será discutido pelo Parlamento egípcio nas próximas semanas, provavelmente até o fim deste mês. O esboço do texto legislativo, segundo fontes citadas pela mídia egípcia, foi entregue à cúpula da Igreja copta-ortodoxa nos últimos dias, para que avaliações e eventuais objeções ao texto, sejam feitas pelos responsáveis do Patriarcado copta-ortodoxo. <br />No outono de 2014, os representantes das principais Igrejas e comunidades cristãs presentes no Egito enviaram aos responsáveis do governo egípcio um memorando com sugestões e propostas em vista de uma nova legislação sobre a construção de edifícios para o culto cristão no território egípcio . A intenção principal, que inspirou as propostas dos responsáveis cristãos – informou naquela ocasião à Agência Fides Anba Antonios Aziz Mina, Bispo copta-católico de Guizeh – era “facilitar a aplicação de procedimentos mais rápidos e claros, que dependem somente da lei, e sejam subtraídos todo tipo de arbítrio”. Segundo as propostas apresentadas pelas Igrejas presentes no Egito, a concessão das licenças para a construção de locais de culto cristãos deve ser exercida pelas autoridades municipais locais, como ocorre para a construção de edifícios particulares, sem envolver os níveis provinciais ou nacionais da máquina administrativa. <br />Os vínculos burocráticos que complicam a construção de novas igrejas remontam no período otomano. Em 1934, o Ministério do Interior acrescentou as chamadas “dez regras” que proíbem, entre outras coisas, construir novas igrejas perto de escolas, canais, edifícios do governo ferrovias e outras áreas residenciais. Em muitos casos, a aplicação rígida daquelas regras impediu a construção de igrejas nas cidades e aldeias habitadas por cristãos, principalmente nas áreas rurais do Alto Egito. <br />Wed, 04 May 2016 14:59:37 +0200ÁSIA/IÊMEN - Dois meses após o massacre de Aden, ainda tratativas para a libertação de Pe. Tomhttp://fides.org/pt/news/59948-ASIA_IEMEN_Dois_meses_apos_o_massacre_de_Aden_ainda_tratativas_para_a_libertacao_de_Pe_Tomhttp://fides.org/pt/news/59948-ASIA_IEMEN_Dois_meses_apos_o_massacre_de_Aden_ainda_tratativas_para_a_libertacao_de_Pe_TomAden - Dois meses após o massacre perpetrado por um comando terrorista na casa de idosos de Aden , onde foram mortas quatro Missionárias da Caridade, juntamente com outras 12 pessoas, não se tem ainda notícias certas de Pe. Tom Uzhunnalil, sacerdote salesiano que estava na estrutura e que os terroristas pegaram e levaram consigo depois de perpetrarem o massacre. Na ausência de informações verificadas, continuam circulando boatos sobre sua permanência em vida e sobre as tratativas em andamento para a sua libertação.<br />“As últimas palavras, de certa forma tranquilizadoras, chegaram até a mim de meneira indireta cerca de dez dias atrás. Foi-me dito que o Pe. Tom está vivo, e que seu retorno à liberdade poderia ser iminente. Mas, desde então, nada aconteceu. Esperamos e rezamos por ele”, disse à Agência Fides Dom Paul Hinder OFMCap, vigário apostólico para o sul da Arábia.<br />Estão envolvidos nas tratativas os meios de segurança locais que continuam seguindo o fato com a devida discrição, mesmo na ausência de progressos concretos.<br />Durante a Semana Santa, circularam nas redes boatos que afirmavam sem nenhuma verificação a crucificação do sacerdote salesiano de nacionalidade indiana. Na terça-feira 29 março, a Congregação Salesiana, numa declaração oficial, convidou todos a não dar crédito a falsos anúncios transmitidos na rede sobre o destino de Pe. Tom .<br />Enquanto isso, as religiosas de Madre Teresa no Iêmen continuam trabalhando em suas casas de Sana'a e Hodeyda a serviço daqueles que mais sofrem, num país ainda dilacerado por conflitos entre as forças governamentais e os rebeldes Huthi. .<br />Tue, 03 May 2016 09:52:18 +0200