Fides News Portuguêshttp://fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usAMÉRICA/NICARÁGUA - A pobreza no país obriga as crianças a deixar as aulas para trabalharhttp://fides.org/pt/news/39997-AMERICA_NICARAGUA_A_pobreza_no_pais_obriga_as_criancas_a_deixar_as_aulas_para_trabalharhttp://fides.org/pt/news/39997-AMERICA_NICARAGUA_A_pobreza_no_pais_obriga_as_criancas_a_deixar_as_aulas_para_trabalharBlufields - Blufields é i maior município da província autônoma da costa atlântica da Nicarágua. É também a região mais pobre de um país pobre, aonde a evasão escolar o trabalho infantil continuam aumentando vertiginosamente. A relação entre estes dois fenômenos é muito estreita e tem como origem comum a pobreza. A Nicarágua, de fato, é um país de 6,1 milhões de pessoas, o segundo mais pobre da América, depois do Haiti. Segundo a Unesco, existem no país mais de 2 milhões de crianças em idade escolar, e a metade de todas as crianças e adolescentes são pobres. O Unicef estimou que 500 mil menores nicaraguenses de idade entre 3 e 17 anos não se inclui no sistema educativo. A maior parte vive em áreas rurais, são pobres, indígenas ou portadores de deficiências. O estudo mais recente do Departamento do Trabalho dos Estados Unidos demonstrou que a aplicação, por parte do governo da Nicarágua, de algumas leis sobre o trabalho não foi suficiente e que as estratégias de combate ao trabalho infantil e a tutela das crianças não são totalmente aplicadas. As leis do país latino-americano permitem que os menores comecem a trabalhar aos 14 anos, mas exclui ambientes perigosos como plantações de cana de açúcar, minas ou pedreiras. As crianças têm obrigação de frequentar aulas até 12 anos. Apenas 65% dos pequenos pertencentes a famílias mais pobres concluíram o ensino fundamental, em relação aos 90% de famílias mais ricas. Nas regiões pobres da costa atlântica, aonde se encontra Bluefields, apenas 58% completou os seis anos de ensino fundamental. Nas famílias mais pobres, apenas 6% das crianças concluiu o ensino médio. Sat, 23 May 2015 11:35:32 +0200ÁSIA/CHINA - Confiar a vocação a Nossa Senhora: ordenações diaconais e presbiterais em diversas dioceseshttp://fides.org/pt/news/39996-ASIA_CHINA_Confiar_a_vocacao_a_Nossa_Senhora_ordenacoes_diaconais_e_presbiterais_em_diversas_dioceseshttp://fides.org/pt/news/39996-ASIA_CHINA_Confiar_a_vocacao_a_Nossa_Senhora_ordenacoes_diaconais_e_presbiterais_em_diversas_diocesesShi Jia Zhuang – Servir e compartilhar a única fé, sentir-se parte de um único rebanho e ter um único pastor: é a exortação recorrente da comunidade católica chinesa aos diáconos e aos novos sacerdotes ordenados neste período. Muitas dioceses celebraram as ordenações durante o mês mariano, para que Maria custodie a vocação dos novos pastores. Segundo informações apuradas pela Agência Fides, no dia da festa de Nossa Senhora de Fátima, 13 de maio, a diocese de Nan Chong, da província de Si Chuan, celebrou a ordenação de um diácono e de um sacerdote. Alguns fiéis que participaram do rito destacaram que “os novos operários da vinha do Senhor são preciosos”, e fizeram um convite “a todos os jovens para responderem ao chamado do Senhor, mesmo se não forem da nossa diocese, porque somos todos do mesmo rebanho”. <br />Mais de 3 mil fiéis participaram da ordenação sacerdotal de dois diáconos da diocese de An Yang, na província de He Nan. Os novos sacerdotes, no final da celebração, agradecera, Nossa Senhora, que os acompanhou e guiou ao longo de seu caminho vocacional. Também a comunidade católica da província de Guang Xi, no sul do continente, acolheu um grupo de seis novos sacerdotes. A ordenação aconteceu no dia primeiro de maio, festividade de São José trabalhador e primeiro dia do mês mariano. Sat, 23 May 2015 11:34:47 +0200ÁSIA/INDONÉSIA - Um franciscano: “A riqueza da história da Igreja na Indonésia é luz para o presente”http://fides.org/pt/news/39995-ASIA_INDONESIA_Um_franciscano_A_riqueza_da_historia_da_Igreja_na_Indonesia_e_luz_para_o_presentehttp://fides.org/pt/news/39995-ASIA_INDONESIA_Um_franciscano_A_riqueza_da_historia_da_Igreja_na_Indonesia_e_luz_para_o_presenteJacarta – Conhecer e apreciar a história do catolicismo na Indonésia contribui para iluminar o presente: é o que afirma o franciscano indonésio fr. Eddy Kristiyanto OFM, que recentemente publicou um novo livro sobre a história da Igreja na Indonésia. Em mensagem enviada à Fides, o franciscano observa: “Não muitas pessoas, religiosas e leigas, a conhecem e apreciam sua riqueza. A memória de nossa história é essencial para compreender o presente. A Igreja católica na Indonésia, seja a institucional como os simples fiéis, tiveram e ainda têm uma influência significativa; por outro lado, a fé cristã foi influenciada pela cultura local nas relações com o Estado, assim como em sua vocação e missão”. <br />O franciscano, nativo de Yogyacarta, realizou 15 anos de estudo sobre a história do catolicismo na Indonésia analisando com detalhes as suas fontes. Apoiado em seu projeto pela Conferência Episcopal da Indonésia, o sacerdote reitera a importância da história: “Padres e leigos, concentrados em questões concretas e no trabalho pastoral, teriam benefícios se dessem mais atenção à história”. A Igreja indonésia hoje constitui cerca de 2,7% da população: no imenso arquipélago de 17 mil ilhas, hoje existem quase cinco milhões de católicos, em 34 dioceses. <br />A primeira presença católica na Indonésia se registrou em Pancur, noroeste de Sumatra, no VII século. No IX século, a presença católica foi em Java. Em 1323, registrou-se a pregação de Oderico de Pordenone em Java, no Bornéu e em Sumatra. Em 1534, os portugueses levaram o Evangelho às Molucas, visitadas por São Francisco Xavier em 1546. <br />Em 1562 os Dominicanos levaram o Evangelho às ilhas de Timor e de Flores, mas em 1596, com a chegada dos holandeses calvinistas, que tomaram posse do arquipélago, a religião católica ficou proibida até 1807, ano que marcou o retorno dos missionários e a criação da primeira Prefeitura Apostólica em Batavia .<br />Em 1863, as missões de Flores foram confiadas aos Jesuítas. Em 1902 nasceram novas Prefeituras Apostólicas. Em seguida, as regiões orientais foram confiadas aos Missionários do Sagrado Coração, o Bornéu e Sumatra aos Capuchinhos, e Nusa Taggara e Flores aos Missionários Verbitas. Em 1926 houve a consagração do primeiro sacerdote indígena e em 1940 a do primeiro Bispo. Em 1950 foi erigida a Nunciatura Apostólica em Jacarta; em 1955 surgiu a primeira universidade católica em Bandung e em 1961 foi instituída a Hierarquia Católica. <br />Em 1967 foi criado o primeiro Cardeal indonésio. Em 1970, o Episcopado indonésio emanou as primeiras diretivas para regulamentar o comportamento dos católicos na sociedade indonésia. Sat, 23 May 2015 11:34:18 +0200ÁSIA/ÍNDIA - A Igreja em Orissa reflete sobre a exploração minerária e migraçãohttp://fides.org/pt/news/39994-ASIA_INDIA_A_Igreja_em_Orissa_reflete_sobre_a_exploracao_mineraria_e_migracaohttp://fides.org/pt/news/39994-ASIA_INDIA_A_Igreja_em_Orissa_reflete_sobre_a_exploracao_mineraria_e_migracaoNova Délhi – “É extremamente importante para nós conhecer a situação atual a fim de levar a paz, a justiça e a dignidade na sociedade. Indústrias e grandes companhias de mineração se instalam nas áreas tribais. Isto é causa de grande preocupação para o desenvolvimento dos povos da Índia”: foi o que disse Dom Niranjan Sual Singh, Bispo de Sambalpur, em Orissa, inaugurando um seminário promovido, em Orissa, pela Comissão para Justiça, Paz e Desenvolvimento da Conferência Episcopal da Índia. Segundo Fides, o seminário promovido por Pe. Charles Irudayam, Secretário da Comissão episcopal, realizou-se de 19 a 20 de maio, sobre o tema “Exploração minerária e migração”. Participaram cerca de 60 delegados provenientes de várias dioceses de Orissa. “Uma sociedade pode ter boas estradas, ferrovias e moradias, mas os pobres e os oprimidos devem receber uma atenção maior para o desenvolvimento integral”, recordou o prelado, focalizando o discurso sobre dois fenômenos: o da exploração minerária e a migração. O primeiro “tem um impacto prejudicial para as populações tribais e o outro causa degradação ambiental e poluição. Os povos tribais são completamente dependentes de suas terras para o sustento”, observou. O fenômeno diz respeito a toda nação. Dayamani Barla, ativista para os direitos dos dálits e tribais, recordou que “os povos da Índia são os colonos e os habitantes originários da terra. As suas vidas, comportamentos, linguagem e ética têm uma ligação direta com a água, a terra e a selva. A cultura adivasi morre a partir do momento em que são obrigados a deixar o seu ambiente: os povos da Índia são deslocados em nome do desenvolvimento”. <br />Pe. Charles Irudayam explicou em seu discurso aos participantes porque a Igreja está preocupada com os direitos humanos e porque os católicos se envolvem em questões sociais: “Deus deu a todo ser humano uma dignidade intrínseca e inalienável que comporta direitos fundamentais. A Igreja tem o dever de proteger os direitos humanos e educar seus membros à dignidade, liberdade e igualdade de todos os seres humanos. O respeito dos direitos humanos é o requisito para a paz”. <br />Pe. John Kerketta, diretor dos serviços sociais da diocese de Sambalpur, concluiu afirmando que “a Igreja desempenhou um papel significativo em Orissa nos campos da instrução, da saúde e das obras sociais”, reiterando que continuará a se engajar na defesa da dignidade de todo homem. Sat, 23 May 2015 11:33:45 +0200ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - Situação humanitária alarmante: aumenta a violênciahttp://fides.org/pt/news/39993-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Situacao_humanitaria_alarmante_aumenta_a_violenciahttp://fides.org/pt/news/39993-AFRICA_SUDAO_DO_SUL_Situacao_humanitaria_alarmante_aumenta_a_violenciaJuba – O intensificar-se dos combates no Sudão do Sul está criando uma situação humanitária alarmante, que expõe os civis a uma escalada de violência e limita a chegada e o acesso às ajudas. O alarme vem da ong médico-humanitária Médicos Sem Fronteiras . O forte aumento da violência nos Estados de Unity, Jonglei e do Upper Nile levou à suspensão dos serviços médicos, a destruição das estruturas de saúde e a evacuação do pessoal médico. No comunicado enviado à Agência Fides, a ong refere que no Estado do Upper Nile, MSF fornece assistência médica às pessoas feridas nos violentos combates em Melut, não obstante não seja mais possível enviar via aérea remédios e profissionais. A insegurança parece que impede a aterrissagem dos aviões e obrigou nos últimos dias centenas de pessoas a buscarem refúgio nos campos da “Defesa Civil” administrado pelas Nações Unidas. A capacidade de MSF de dar assistência a quem precisa está agora em risco se não for garantida uma passagem segura na qual fazer transitar agentes e medicamentos.<br />Em Malakal, onde ocorreu a maior parte dos combates, a Ong está curando as pessoas feridas dos combates recentes, não obstante na semana passada os confrontos impediram o fornecimento de assistência médica a cerca de 30 mil pessoas que vivem na área dos campos da PoC. No Estado de Jonglei, a cidade de Phom El-Zeraf foi a linha de frente dos últimos meses. A cidade foi completamente destruída. O hospital, uma das principais estruturas de saúde na parte norte do Estado, foi demolido. No Estado de Unity, MSF foi obrigado a evacuar o seu hospital na cidade de Leer, em 9 de maio, deixando cerca de 200 mil pessoas na área sem assistência médica. Em Bentiu, os combates e a insegurança das últimas semanas obrigaram as equipes a suspenderem várias clínicas móveis nas áreas circunstantes. A Ong continua administrando um hospital dentro dos campos da Poc, em Bentiu, que abrigou mais de 11 mil pessoas, a maior parte mulheres e crianças. Muitas pessoas contaram a MSF sobre a violência da qual estavam fugindo: inteiros povoados destruídos, famílias separadas, atentados e homicídios, o abandono dos feridos e a violência sexual contra mulheres e crianças. A estação das chuvas, que está chegando, e as condições de superlotação que ainda piorou com a chegada de novas pessoas em vários campos, são outras causas de preocupações. Sat, 23 May 2015 11:33:08 +0200ÁFRICA/RD CONGO RD - As guerrilhas continuam a se financiar com os recursos do leste congolês: nova denúncia da Onu e de Ongshttp://fides.org/pt/news/39992-AFRICA_RD_CONGO_RD_As_guerrilhas_continuam_a_se_financiar_com_os_recursos_do_leste_congoles_nova_denuncia_da_Onu_e_de_Ongshttp://fides.org/pt/news/39992-AFRICA_RD_CONGO_RD_As_guerrilhas_continuam_a_se_financiar_com_os_recursos_do_leste_congoles_nova_denuncia_da_Onu_e_de_OngsKinshasa - “É paradoxal que a abundância de recursos naturais tenha se tornado, de alguma maneira, uma desgraça”, afirmou Ibrahim Thiaw, Vice-Diretor Executivo do PNUE ao apresentar o relatório sobre o saque dos recursos naturais no leste da República Democrática do Congo.<br />Segundo o relatório, “alguns grupos criminosos internacionais militarizados estão implicados num vasto tráfico de minérios, ouro, estanho, carvão e marfim”, com uma movimentação de 1,3 bilhão de dólares por ano.<br />O PNUE afirma que esses fundos financiam – de acordo com várias estimativas – entre 25 e 49 grupos armados, congoleses e estrangeiros, “alimentando conflitos contínuos” numa região em que, há 20 anos, as sucessivas rebeliões semeiam terror e caos entre a população local. O comércio do ouro constitui um dos maiores lucros ilegais, correspondente a 120 milhões de dólares por ano. <br />O controle das regiões mais ricas de minerais é um dos elementos que alimentam a instabilidade crônica provocada por várias milícias ativas no leste da RDC, sobretudo na Província Oriental, no Kivu do Norte e do Sul e em Katanga, províncias que fogem em grande parte do controle da autoridade do Estado.<br />“Esses fundos captados por grupos criminosos poderiam ter sido utilizados para construir escolas, estradas, hospitais e para pagar professores e médicos”, declarou Martin Kobler, o chefe da missão das Nações Unidas na RDC . Segundo o PNUE, somente 2% dos lucros dos tráficos vão para os grupos armados, suficientes todavia para garantir “a manutenção de base de cerca de 8.000 combatentes” e para “permitir a grupos derrotados ou desarmados de reemergir e desestabilizar a região”.<br />O restante do dinheiro acaba no bolso de “redes criminais transnacionais que atuam dentro e fora da RDC”, sobretudo nos países limítrofes , permitindo a eles de manter a estratégia de “dividir para reinar” e fazer de modo que nenhum grupo armado possa dominar sobre os outros e controlar o tráfico. <br />Por sua vez, num relatório intitulado “Uma mineira de transparência?", Amnesty International e Global Witness revelam que quase 80% das sociedades cotadas na bolsa nos Estados Unidos não verificam corretamente se seus produtos contêm minerais provenientes de zonas de conflito da África central e não fornecem suficientes informações a este propósito, violando a Seção 1502 da lei Dodd-Frank , que tem como objetivo reduzir o risco de que as compras de minerais na África central contribua a alimentar conflitos ou violações dos Direitos Humanos. Sat, 23 May 2015 11:32:17 +0200AMÉRICA/BRASIL – Recolhidas mais de 630 mil assinaturas para a Reforma política e eleições limpashttp://fides.org/pt/news/39991-AMERICA_BRASIL_Recolhidas_mais_de_630_mil_assinaturas_para_a_Reforma_politica_e_eleicoes_limpashttp://fides.org/pt/news/39991-AMERICA_BRASIL_Recolhidas_mais_de_630_mil_assinaturas_para_a_Reforma_politica_e_eleicoes_limpasBrasília – No Dia nacional de mobilização contra aa constitucionalização da corrupção, mais de duas mil pessoas participaram do ato cultural e da marcha em favor da reforma política democrática. A manifestação, organizada pela Coalizão para a reforma política democrática e eleições limpas, aconteceu quarta-feira, 20 de maio, em Brasília. A marcha partiu da Catedral em direção da sede do Congresso Nacional para a entrega das assinaturas coletadas em favor da reforma política democrática. No total, foram entregues 630.089 assinaturas . A coleta prossegue com o objetivo de alcançar 1 milhão e meio de assinaturas. “Nunca perder a esperança”, exortou o Bispo auxiliar de Belo Horizonte e Presidente do Comitê para a monitoração da reforma política da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil , Dom Joaquim Mol. “Mostrar ao Congresso que há mais de 600 mil assinaturas significa que o desejo do povo brasileiro é de mudar. A democracia brasileira é a único caminho a se seguir se as empresas forem eliminadas definitivamente da política”, destacou dom Mol. Um dos principais objetivos da iniciativa é empreender uma profunda reforma política, proibindo o financiamento das campanhas eleitorais por parte de empresas. <br /> Fri, 22 May 2015 10:50:12 +0200AMÉRICA/COLÔMBIA - Na tragédia, uma luz de vida: celebrados os funerais de 33 dos 84 mortos no desabamento em Salgarhttp://fides.org/pt/news/39990-AMERICA_COLOMBIA_Na_tragedia_uma_luz_de_vida_celebrados_os_funerais_de_33_dos_84_mortos_no_desabamento_em_Salgarhttp://fides.org/pt/news/39990-AMERICA_COLOMBIA_Na_tragedia_uma_luz_de_vida_celebrados_os_funerais_de_33_dos_84_mortos_no_desabamento_em_SalgarSalgar – O município de Salgar, devastado entre 18 e 19 de maio por um enorme desabamento causado pelas chuvas, que causou 84 mortos, celebrou ontem o funeral coletivo de 33 mortos. Segunda-feira, 18 de maio, a represa “Liboriana” soltou uma avalanche tão grande que arrasou a aldeia de Las Margaritas e atingiu três distritos no perímetro urbano de Salgar, departamento de Antioquia . Salgar se encontra 265 km a noroeste de Bogotá<br />Os funerais foram celebrados na praça principal da cidade de Salgar pelo Bispo de Jerico, Dom Noel Antonio Londoño Buitrago, C.SS.R., com a participação de milhares de pessoas que perderam amigos e parentes. Dentre os presentes na cerimônia estavam o governador de Antioquia, Sergio Fajardo; o ex-presidente e senador Alvaro Uribe, e o chefe da polícia, general Rodolfo Palomino.<br />Em meio à tragédia, notou-se uma luz de vida, um símbolo de vida, ressaltou Dom Londoño durante a homilia, porque foi salvado um menino de apenas 11 meses, que sobreviveu ao desastre. Ficou circundado por lama, ramos e pedras, a cinco km do ponto em que estava, em sua casa. <br />O Departamento Administrativo de prevenção de desastres de Antioquia divulgou um balanço inicial da tragédia: 84 mortos, 57 feridos, um número indefinido de desaparecidos e centenas de desalojados. As agências de socorro estão trabalhando para encontrar os dispersos, mas as possibilidades de encontrar pessoas vivas são poucas. Através do Secretário de Estado vaticano, Cardeal Pietro Parolin, Papa Francisco expressou solidariedade à Colômbia e às vítimas de Salgar e ofereceu “orações ao Senhor pelo eterno repouso dos defuntos”. Fri, 22 May 2015 10:49:32 +0200ÁSIA/NEPAL - Um programa radiofônico de apoio a crianças traumatizadas pelo terremotohttp://fides.org/pt/news/39989-ASIA_NEPAL_Um_programa_radiofonico_de_apoio_a_criancas_traumatizadas_pelo_terremotohttp://fides.org/pt/news/39989-ASIA_NEPAL_Um_programa_radiofonico_de_apoio_a_criancas_traumatizadas_pelo_terremotoKathmandu – Os efeitos do catastrófico terremoto que devastou o Nepal no último dia 25 de maio continuam a se manifestar no terror de muitas crianças sobreviventes. Na frente do hospital de Dhading, em Dhadingbesi, o Unicef ergueu duas tendas de campo nas quais acolher os muitos feridos que continuam procurando ajudas. Dentre as iniciativas, o Fundo anunciou o programa radiofônico Bhandai Sundai, no qual pais preocupados com os contínuos ataques de pânico de seus filhos, expõem seus problemas e ouvem especialistas. A edição vespertina, concentrada no apoio psicossocial aos menores atingidos pelo terremoto, é conduzida por psicólogos e especialistas que, se dirigindo aos pais que ligam para a redação, oferecem sugestões e conselhos sobre como ocupar as crianças em jogos ou atividades coletivas. O programa de rádio foi recebido com entusiasmo também pelos nepaleses de outras regiões do país felizmente não atingidas pelo tremor. Atores, atletas, personalidades nepalesas e personagens públicas pedem para participar do programa e levar otimismo às milhões de crianças vítimas do terremoto. Fri, 22 May 2015 10:48:34 +0200ÁSIA/INDONÉSIA – Não é mais obrigatório indicar a religião na carteira de identidadehttp://fides.org/pt/news/39988-ASIA_INDONESIA_Nao_e_mais_obrigatorio_indicar_a_religiao_na_carteira_de_identidadehttp://fides.org/pt/news/39988-ASIA_INDONESIA_Nao_e_mais_obrigatorio_indicar_a_religiao_na_carteira_de_identidadeJacarta – Na Indonésia, não é mais obrigatório indicar a religião na carteira de identidade. Os cidadãos indonésios poderão deixar em branco o quesito ‘religião’ da carteira de identidade ou indicar uma crença não incluída nas seis reconhecidas oficialmente pelo estado. É o que anuncia o ministro do Interior, Tjahjo Kumolo, afirmando que a disposição foi encaminhada a todos os chefes distritais. Segundo a Constituição indonésia, são apenas seis as religiões oficialmente reconhecidas pelo governo: Islã, Protestantismo, Catolicismo, Hinduísmo, Budismo e Confucionismo. Até agora, os cidadãos indonésios tinham que indicar obrigatoriamente na carteira de identidade um dos seis cultos independentemente de suas efetivas convicções .<br />Tjahjo, membro do executivo do Presidente Joko Widodo, referiu que um dos principais motivos para mudar a regra é obter a informação específica no caso de realização de funerais, na morte do titular. <br />“Não se pode forçar as pessoas, por exemplo, a escolher o Islã se a sua fé parece com ensinamentos islâmicos, mas não é a mesma”, disse Tjahjo, explicando que seu ministério avaliou conselhos e ideias de diversos líderes, fóruns e entidades religiosas, como o Conselho dos Ulema indonésios e o Ministério dos assuntos religiosos, antes de se chegar a esta decisão. <br />Embora se apresente como uma “medida administrativa”, se trata de um grande passo avante em prol da liberdade religiosa para os indonésios de todas as crenças. O mentor da alteração foi Basuki Tjahaja Purnama, político cristão, governador do distrito da capital, Jacarta. Dentre outras coisas, estudiosos observam que a escolha obrigatória dentre as seis religiões reconhecidas induziu milhões de indonésios a definirem-se “muçulmanos” enquanto, de fato, seguem e praticam cultos tradicionais indígenas. Eliminar a obrigatoriedade pode redefinir a fotografia religiosa da nação indonésia de hoje. <br />“Para o futuro crescimento da Indonésia é preciso ter a coragem de modificar uma norma já em desuso”, disse Purnama, recordando que deste modo, poderão ser eliminadas as discriminações sofridas por cidadãos não-muçulmanos também em escolas e repartições públicas. Fri, 22 May 2015 10:48:06 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - 106 incriminados pelo homicídio dos dois cristãos queimados vivos: “Um passo rumo à justiça”http://fides.org/pt/news/39987-ASIA_PAQUISTAO_106_incriminados_pelo_homicidio_dos_dois_cristaos_queimados_vivos_Um_passo_rumo_a_justicahttp://fides.org/pt/news/39987-ASIA_PAQUISTAO_106_incriminados_pelo_homicidio_dos_dois_cristaos_queimados_vivos_Um_passo_rumo_a_justicaFaisalabad – “É um passo avante rumo à justiça. Esperamos e auspiciamos que seja feita justiça neste caso, que abalou a comunidade cristã no Paquistão”: assim o padre Waseem Walter, Diretor das Pontifícias Obras Missionárias no Paquistão, comenta à Agência Fides a notícia de que um tribunal antiterrorismo incriminou oficialmente 106 pessoas pelo homicídio de um casal de cristãos, Shahzad e Shama Masih, linchados e queimados vivos depois de acusados por blasfêmia em novembro de 2014 na cidade de Kot Radha Kishan, no Punjab. Os dois tinham quatro filhos e Shama estava grávida. Foram segregados, agredidos e queimados em um forno para tijolos por um grupo de muçulmanos que os acusaram de queimar páginas do Alcorão. <br />O incidente suscitou indignação no mundo. Segundo a reconstrução baseada em testemunhos concedidos no tribunal, três líderes religiosos de mesquitas locais são acusados de fomentar a multidão de cerca de 400 muçulmanos para que linchassem os cônjuges depois que foram encontradas algumas páginas do Alcorão queimadas nas redondezas de sua casa. A multidão ordenou a Masih e sua esposa que se convertessem ao Islã ou enfrentariam as consequências de uma ação blasfema. Os dois se recusaram; foram fechados e isolados por uma noite e depois, oferecidos à multidão que os matou. <br />As 106 pessoas acusadas ontem foram conduzidas diante do juiz de Lahore em meio a rigorosas medidas de segurança. Acredita-se que outros 32 suspeitos estejam ainda livres. O tribunal confirmou a acusação de homicídio, mas nem todos se declararam culpados. Segundo a polícia, além dos três imâmes Mohammad Hussain, Arshad Baloch e Noorul Hassan, também Yousaf Gujjar, proprietário do forno, teria fomentado a multidão. <br />Como apurado pela Fides, os advogados cristãos consideram este processo um passo fundamental para mostrar que a justiça no Paquistão é igual para todos e não faz discriminações quando as vítimas pertencem a minorias religiosas. Fri, 22 May 2015 10:47:32 +0200ÁSIA/SÍRIA - Sequestrado Padre Jacques Murad da mesma comunidade de Pe. Paolo Dall'Ogliohttp://fides.org/pt/news/39986-ASIA_SIRIA_Sequestrado_Padre_Jacques_Murad_da_mesma_comunidade_de_Pe_Paolo_Dall_Ogliohttp://fides.org/pt/news/39986-ASIA_SIRIA_Sequestrado_Padre_Jacques_Murad_da_mesma_comunidade_de_Pe_Paolo_Dall_OglioHoms – Mais um sacerdote jesuíta foi sequestrado na Síria. Trata-se do Padre Jacques Mourad, Prior do Mosteiro de Mar Elias. Segundo fontes locais, contatadas pela Agência Fides, ele foi levado do Mosteiro por quatro homens armados, ao meio-dia de quinta-feira 21 de maio. Há doze anos ele era responsável pela Paróquia sírio-católica de Quaryatayn. A notícia foi confirmada pela Arquidiocese sírio-católica de Homs que pediu a todos os fiéis para invocar o Senhor na oração para que Pe. Jacques seja libertado e possa voltar para a sua vida de oração, serviço aos irmãos e a todos os sírios. Segundo fontes locais, junto com Pe. Jacques teria sido sequestrado também o diácono Boutros Hanna, mas essa informação ainda não foi confirmada pela arquidiocese sírio-católica de Homs. Segundo as primeiras reconstruções, os sequestradores chegaram em motos ao Mosteiro de Mar Elian, obrigando o religioso a entrar em seu automóvel, levando-o para um local ignorado. Segundo fontes locais, pensa-se que por trás do sequestro estejam os grupos extremistas presentes na área, reforçados pelos recentes sucessos do jihadistas de al-Nusra e pelo Estado Islâmico no território sírio. Pe. Jacques Murad è prior do Mosteiro de Mar Elian e pároco da comunidade de Qaryatayn, localizada a 60 quilômetros no sudeste de Homs. O mosteiro, situado na periferia de Quaryatayn, é uma filiação do mosteiro de Deir Mar Musa al Habashi, fundado novamente pelo jesuíta italiano Pe. Paolo Dall'Oglio sequestrado em 29 de julho de 2013, em Raqqa, há anos sob o controle dos jihadistas do Estado Islâmico. Nos anos de conflito, a cidade de Qaryatayn foi várias vezes conquistada pelas milícias anti-Assad e bombardeada pelo Exército sírio. Pe. Jacques, junto com um advogado sunita, tinham assumido a função de mediadores para garantir que o centro urbano de 35 mil habitantes fosse deixado por longos períodos dos confrontos armados. <br />No Mosteiro foram hospedados centenas de refugiados, inclusive mais de cem crianças menores de dez anos. Padre Jacques e seus amigos providenciaram o necessário para a sua sobrevivência, recorrendo também a doadores muçulmanos. <br />São suficientes estes acenos para intuir que o Mosteiro de Mar Elian representa um oásis de caridade para todo o povo sírio, massacrado por uma guerra absurda, alimentada de fora. <br /> .Fri, 22 May 2015 10:46:50 +0200ÁFRICA/MALAUÍ – O povoado do sol: centro de assistência e acompanhamento para crianças pobreshttp://fides.org/pt/news/39985-AFRICA_MALAUI_O_povoado_do_sol_centro_de_assistencia_e_acompanhamento_para_criancas_pobreshttp://fides.org/pt/news/39985-AFRICA_MALAUI_O_povoado_do_sol_centro_de_assistencia_e_acompanhamento_para_criancas_pobresDedza - O Maláui é uma faixa de terra no leste da África habitada por cerca de 15 milhões de pessoas onde faltam comida, água, estruturas médicas e onde a Aids se propaga entre grandes e pequenos. Dentre as muitas instituições humanitárias que trabalham para levar ajuda a esta população martirizada, há um grupo de voluntários “SOS Infância Negada” que nasceu em 2004 e desde 2008 está envolvido em projetos de desenvolvimento no país africano, especialmente na diocese de Dedza. Pe. Alfonso Raimo, presidente da associação, disse à Agência Fides como decidiram intervir no Maláui. “O que chamou a nossa atenção foi a condição deplorável das crianças no que é considerado um dos países mais pobres do mundo. Decidimos criar o ‘Projeto Maláui’ que em Dedza tendia a enfrentar uma emergência de saúde e educação. A situação do pequeno país africano é dramática, a percentagem de crianças afetada pela transmissão da AIDS por transmissão vertical e dos órfãos devido ao vírus é aterrorizante”, acrescenta Padre Raimo.<br />“O projeto - continua o sacerdote - foi concebido como colaboração com a Comissão Diocesana para a Saúde da diocese de Dedza, e prestou apoio a diversas iniciativas em favor das crianças pobres e doentes atendidas nos centros médicos diocesanos. Por causa da rápida propagação do vírus, muitos pais morrem deixando as crianças sozinhas, sem ninguém para cuidar delas, e cuja existência frágil deve lidar também com a falta de alimentos, água potável, com malária, cólera e outras doenças endêmicas. A Diocese de Dedza garante assistência médica através de alguns centros de saúde espalhados num vasto território. Estruturas estreitas, recursos limitados e material obsoleto tornam vãos os esforços da pequena equipe”, disse Pe. Raimo. “Para o ano em andamento temos um projeto que inclui a construção do ‘Povoado do Sol’ que hospedará e curará as crianças mais carentes de 2 aos 5/6 anos. Foi pensado como um centro de assistência e acompanhamento diurno, com a possibilidade de residência que oferece às crianças particularmente necessitadas, assistência médica, nutrição e estímulos educacionais, sem extirpá-las de seus contextos de origem”. “É necessário agir rapidamente, porque as emergências são muitas e as inundações devastadoras que atingem periodicamente essa área continuam fazendo muitas vítimas, especialmente entre as crianças”, concluiu o sacerdote. Fri, 22 May 2015 10:46:11 +0200ÁFRICA/EGITO - O Patriarca Tawadros participa da conferência sobre a “diáspora copta”http://fides.org/pt/news/39984-AFRICA_EGITO_O_Patriarca_Tawadros_participa_da_conferencia_sobre_a_diaspora_coptahttp://fides.org/pt/news/39984-AFRICA_EGITO_O_Patriarca_Tawadros_participa_da_conferencia_sobre_a_diaspora_coptaCairo - “Devemos nos responsabilizar por todas as demandas e os pedidos que vêm <br />do nosso povo”. Esta é a mensagem que o Patriarca copta ortodoxo Tawadros II quis lançar ao participar na quinta-feira, 21 de maio, da primeira Conferência por ele convocada para enfrentar todos os problemas relacionados ao desenvolvimento das comunidades coptas na diáspora, que reúne o crescente número de cristãos coptas emigrados do Egito para viver estavelmente em outros países. O programa da conferência – que se realiza no Mosteiro de São Paulo eremita, não distante do Mar Vermelho – pretende traçar algumas diretrizes para o desenvolvimento das comunidades coptas espalhadas no mundo nos próximos 25 anos. No seu pronunciamento, Papa Tawadros destacou a necessidade de atuar de modo que as estruturas eclesiásticas e canônicas sejam sempre colocadas a serviço das dinâmicas vitais em andamento no conjunto eclesial, onde quer que esteja presente. .Fri, 22 May 2015 10:45:41 +0200ÁFRICA/RD CONGO - A sociedade civil denuncia o papel ambíguo do exército nos massacres no território de Benihttp://fides.org/pt/news/39983-AFRICA_RD_CONGO_A_sociedade_civil_denuncia_o_papel_ambiguo_do_exercito_nos_massacres_no_territorio_de_Benihttp://fides.org/pt/news/39983-AFRICA_RD_CONGO_A_sociedade_civil_denuncia_o_papel_ambiguo_do_exercito_nos_massacres_no_territorio_de_BeniKinshasa - “No território de Beni, no Kivu do Norte , a população continua a ser vítima de massacres e furtos”, afirma uma nota enviada à Agência Fides pela Rede Paz para o Congo. De 8 a 13 de maio, em somente cinco dias, foram assassinadas 35 pessoas. Geralmente, as vítimas foram mortas com armas brancas: ou no final da tarde, quando voltavam do trabalho nos campos, ou de noite, surpreendidas em pleno sono. Intensificados nas últimas semanas, os ataques são atribuídos a um grupo armado de origem ugandense, as Forças Democráticas Aliadas . Com frequência, porém, esses massacres ocorrem em zonas “controladas” pelo exército nacional e em proximidade de bases militares. Um rebelde da ADF preso e interrogado revelou a existência de uma rede de apoio às ADF guiada por um oficial superior das FARDC . O último massacre, o de Mapiki e Sabu, ocorrido em 13 de maio, foi realizado menos de 24 horas depois da visita do Vice-Primeiro-Ministro e Ministro do Interior, Evariste Boshab, a Beni, para uma missão de avaliação da situação de insegurança na região . Após essas contestações, a população local se sente abandonada pela autoridade central do Estado, colocando em dúvida a eficácia do exército, que demonstra ser incapaz de garantir a sua segurança e suspeitando que alguns vértices militares sejam cúmplices das ADF. Por isso, a população pede: a substituição do comando militar da operação Sokola 1 conduzida contra as ADF; a intensificação das operações militares contra as ADF; o reforço da presença da polícia no território; o reforço dos serviços de intelligence; a abertura de investigações sobre eventuais cumplicidades militares e civis com as ADF; e a retomada da colaboração militar com as forças da MONUSCO . Fri, 22 May 2015 10:45:05 +0200ÁFRICA/MALAUÍ - “O balanço estatal deve dar prioridade às vítimas das enchentes”, pede “Justiça e Paz”http://fides.org/pt/news/39982-AFRICA_MALAUI_O_balanco_estatal_deve_dar_prioridade_as_vitimas_das_enchentes_pede_Justica_e_Pazhttp://fides.org/pt/news/39982-AFRICA_MALAUI_O_balanco_estatal_deve_dar_prioridade_as_vitimas_das_enchentes_pede_Justica_e_PazLilongwe - “Nós os exortamos, honoráveis parlamentares, a levar em consideração a grave situação daqueles que foram atingidos pelas inundações e pela seca. Através da elaboração do budget atualmente em andamento, poderão ajudar as pessoas atingidas para que restabeleçam suas condições de vida. Pode-se, ainda, reforçar a capacidade de produzir alimento, fornecendo a elas os recursos para financiar a colheita de inverno”, afirmou pe. Emmanuel Chimombo, Secretário-Geral, que desempenha funções da Comissão Episcopal “Justiça e Paz” de Malauí, durante um encontro com os parlamentares católicos. Segundo as informações enviadas à Agência Fides, o encontro se realizou no momento em que o Parlamento de Malauí está discutindo o balanço do Estado para o ano fiscal 2015-2016. “Justiça e Paz” aproveitou a ocasião para recordar que uma das prioridades do Estado deve ser a ajuda às populações atingidas pelas enchentes de janeiro, quando duas semanas de chuvas intensas provocaram 275 mortos e obrigaram ao deslocamento mais de 230.000 pessoas em 15 dos 28 distritos do país . Por causa das inundações, mais de 64.000 hectares de terra cultivável foram devastados num país onde a agricultura representa 30% do Produto Interno Bruto. Nos meses sucessivos, ao invés, foi a seca que destruiu as colheitas, a tal ponto que hoje falta 30% do alimento necessário . A Comissão Episcopal “Justiça e Paz” elaborou uma análise que destaca que o budget estatal deve ser finalizado a colocar em prática planos de recuperação a médio e longo prazos, que vão além da fase de resposta imediata à emergência. Fri, 22 May 2015 10:44:15 +0200AMÉRICA/HONDURAS - “Com coragem e mais fé”: Danilo Aceituno, que viveu a serviço de Deus e da Igreja na mídiahttp://fides.org/pt/news/39981-AMERICA_HONDURAS_Com_coragem_e_mais_fe_Danilo_Aceituno_que_viveu_a_servico_de_Deus_e_da_Igreja_na_midiahttp://fides.org/pt/news/39981-AMERICA_HONDURAS_Com_coragem_e_mais_fe_Danilo_Aceituno_que_viveu_a_servico_de_Deus_e_da_Igreja_na_midiaSuyapa – Duas grandes faixas com a sua imagem e a sua frase já famosa "com coragem e mais fé" foram colocadas ao lado do altar do Santuário de Suyapa, durante o funeral de Danilo Aceituno, o comunicador católico mais famoso de Honduras, que morreu aos 56 anos. Segundo as informações enviadas a Fides, agência com a qual Aceituno mantinha contato, o funeral foi realizado ontem, 20 de maio, com uma grande participação da comunidade católica. A cerimônia foi presidida pelo Bispo Auxiliar de San Pedro Sula, Dom Romulo Emiliani, e concelebraram os Bispos de Santa Rosa de Copán e Choluteca, Dom Darwin Rudy Andino Ramírez, C.R.S., e Dom Guy Charbonneau, P.M.E., além de inúmeros sacerdotes e diáconos. <br />Na homilia, Dom Emiliani recordou Danilo como um homem de sorriso largo e sincero, um homem justo, que viveu a serviço de Deus e da Igreja. No final da celebração, foi lida uma mensagem enviada de Roma pelo Card. Oscar Rodriguez Maradiaga, Arcebispo de Tegucigalpa, em que recorda o trabalho de Danilo e a sua luta pela evangelização de Honduras.<br />Danilo Aceituno morreu na manhã de 19 de maio devido a um câncer no fígado, descoberto somente poucos dias antes. Formado em medicina, escolheu abandonar a profissão para se tornar jornalista e apresentador da "Rádio Católica": o seu programa "La Voz de Suyapa" era ouvido em todo o país. Colaborou com vários jornais e, ultimamente, também com Suyapa TV. Casado, pai de quatro filhos, era o enviado mais conhecido no mundo da mídia católica para os eventos da Igreja. Entre as iniciativas católicas mais importantes transmitidas em Honduras e comentadas por ele, estão: a última Jornada Mundial da Juventude, a canonização de João Paulo II e a criação como Cardeal de Dom Oscar Rodriguez Maradiaga. Thu, 21 May 2015 11:47:12 +0200ÁSIA/JORDÂNIA - Projeto educativo a favor dos jovens refugiados cristãos provenientes do norte do Iraquehttp://fides.org/pt/news/39980-ASIA_JORDANIA_Projeto_educativo_a_favor_dos_jovens_refugiados_cristaos_provenientes_do_norte_do_Iraquehttp://fides.org/pt/news/39980-ASIA_JORDANIA_Projeto_educativo_a_favor_dos_jovens_refugiados_cristaos_provenientes_do_norte_do_IraqueAmã – Cursos de inglês, informática e educação física para meninos e meninas cristãos iraquianos que, com suas famílias, encontraram refúgio na Jordânia, depois de fugirem de Mosul e da Planície de Nínive diante do avanço dos jihadistas do Estado Islâmico . Esta é a iniciativa preparada pelo Centro Nossa Senhora da Paz de Amã, em colaboração com a Caritas Jordaniana, para remediar, pelo menos parcialmente, o afastamento forçado das atividades escolares regulares, que marca a condição dos jovens refugiados iraquianos, com o risco de ter recaídas negativas também sobre seu equilíbrio psicológico. <br />O programa socioeducativo, financiado pela Lugar-tenência portuguesa da Ordem Equestre do Santo Sepulcro, representa uma das iniciativas assistenciais promovidas pela Igreja local a favor dos refugiados iraquianos. “Os cristãos iraquianos que encontraram refúgio na Jordânia são cerca de oito mil – refere à Agência Fides o Arcebispo Maroun Lahham, Vigário patriarcal para a Jordânia do Patriarcado latino de Jerusalém - e muitos chegaram ao país sem nada, despojados de tudo. Essas famílias cristãs devem enfrentar todos os dias necessidades essenciais: água, alimento, remédios, vestuário. Grande parte deles pensa que em breve poderá emigrar para outros países da Europa ou da América, mas isso só será possível depois de muito tempo. Esta perspectiva, com o passar do tempo, está destinada a colocar em dificuldade do ponto de vista financeiro a Caritas Jordaniana. E no entanto, com o tempo, o estado de emergência irremediavelmente pesará de maneira negativa também do ponto de vista moral e espiritual e sobre tantos nossos irmãos que, sem um trabalho, correm o risco de viver anos de vazio existencial”. <br />Neste cenário – garantem as fontes oficiais do Patriarcado latino –, o projeto educativo iniciado para servir os jovens refugiados iraquianos em idade escolar está registrando resultados positivos também do ponto de vista psicológico, ajudando muitos meninos e meninas a reconquistarem confiança em seu futuro. .Thu, 21 May 2015 11:46:32 +0200ÁSIA/PAQUISTÃO - O Punjab toma medidas para proteger as mulheres vítimas de violênciahttp://fides.org/pt/news/39979-ASIA_PAQUISTAO_O_Punjab_toma_medidas_para_proteger_as_mulheres_vitimas_de_violenciahttp://fides.org/pt/news/39979-ASIA_PAQUISTAO_O_Punjab_toma_medidas_para_proteger_as_mulheres_vitimas_de_violenciaLahore - O governo da província do Punjab paquistanês, o mais importante do país a nível político e econômico, introduziu um projeto de lei para a proteção das mulheres vítimas de violência. O projeto de lei também prevê a criação de comissões de vigilância para monitorar a implementação das medidas propostas no âmbito do plano de ação nacional.<br />Conforme relatado à Fides, a medida intitulada “Documento para a proteção das mulheres vítimas de violência”, estabelece “centros especiais” para o acolhimento e atenção às vítimas que prestam assistência integral, de casa até o acompanhamento psicológico e representação legal. O primeiro centro será inaugurado em Multan e todos os funcionários destes centros, incluindo investigadores, sociólogos e psicólogos serão empenhados em “salvar as mulheres de assédio e abuso por homens”.<br />A medida contou com a aprovação dos grupos e associações da sociedade civil, tais como a “Associação para a consciência e motivação de Mulheres” que sempre lutou por um código de conduta para a “justiça de gênero”, para proteger as mulheres de injustiças e abusos. A associação considera essencial criar um ambiente social seguro para as mulheres no Paquistão, livre de assédios, abusos e ameaças tanto nas famílias e no local de trabalho. As mulheres paquistanesas presentes assembleia provincial manifestaram satisfação. De acordo com Najma Afzal, eleita na assembleia provincial do Punjab, “o governo fez passos notáveis para melhorar a condição das mulheres”, enquanto para Kaneez Ashaq, na mesma assembleia provincial, “ainda é difundida uma mentalidade que considera as mulheres inferiores: as mulheres devem se concentrar no melhoramento de suas competências, lutando por seus direitos”. Todos concordaram com a urgência de que “o governo proteja as mulheres contra a violência que sofrem ainda hoje, aplicando os instrumentos nacionais e internacionais para sua tutela”. Thu, 21 May 2015 11:45:43 +0200ÁSIA/NEPAL - Continua a obra de solidariedade da Igreja para com as vítimas do terremotohttp://fides.org/pt/news/39978-ASIA_NEPAL_Continua_a_obra_de_solidariedade_da_Igreja_para_com_as_vitimas_do_terremotohttp://fides.org/pt/news/39978-ASIA_NEPAL_Continua_a_obra_de_solidariedade_da_Igreja_para_com_as_vitimas_do_terremotoKathmandu - “A obra de solidariedade da Igreja Católica continua, especialmente nos distritos mais remotos. Nos últimos dias, tivemos uma reunião de coordenação com todos os sacerdotes, religiosas e religiosos envolvidos no resgate das vítimas, com os representantes das Caritas e com o Bispo. Nós desenvolvemos um plano de ação conjunto para ajudar as pessoas afetadas pelo terremoto com medidas de curto prazo e de longo prazo. Começa-se a pensar na reconstrução. O Vicariato planejou intervenções para ajudar o maior número de famílias possíveis e o nosso objetivo é atender às necessidades de cerca de 2.000 famílias”. Foi o que disse à Agência Fides Pe. Silas Bogati, pró-vigário apostólico do Nepal.<br />“Acabei de voltar do distrito de Gorkha onde monitorei a situação”, refere Pe. Bogati. “Ali se encontram os padres salesianos que fizeram muito para dar assistência aos desabrigados. Nós fornecemos suprimentos para 2.235 famílias nas aldeias de Mucchok e Sourpani. Os agentes católicos, sacerdotes, religiosos e leigos estão trabalhando duro: muitos estão também vindo da Índia para nos ajudar neste impulso da caridade e solidariedade”.<br />O sacerdote concluiu: “A Caritas, graças à ajuda internacional, está fornecendo ajuda de vários tipos em muitas aldeias. As pessoas nos agradecem e expressam profunda gratidão. O testemunho cristão no Nepal, hoje, passa através das obras de misericórdia e compaixão para com as pessoas que perderam seus entes queridos, que perderam suas casas e todas as suas propriedades. Devem começar do zero. O nosso apoio não faltará”.<br />O número de mortos do terremoto de 25 de abril passado causou no Nepal 8.631 vítimas, com 21.838 feridos. O anúncio foi feito hoje pelo Ministério do Interior em Kathmandu. A polícia nepalesa informou que continuam as buscas de 346 desaparecidos, incluindo 106 estrangeiros. Em relação aos danos às habitações, o terremoto principal e centenas de réplicas danificaram 462.646 casas, metade na região central do país. Thu, 21 May 2015 11:45:08 +0200