Fides News Portuguêshttp://fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usAMÉRICA/COLÔMBIA - “Não destruir a esperança dos colombianos”: o pedido para prosseguirem os diálogos de pazhttp://fides.org/pt/news/38795-AMERICA_COLOMBIA_Nao_destruir_a_esperanca_dos_colombianos_o_pedido_para_prosseguirem_os_dialogos_de_pazhttp://fides.org/pt/news/38795-AMERICA_COLOMBIA_Nao_destruir_a_esperanca_dos_colombianos_o_pedido_para_prosseguirem_os_dialogos_de_pazPopayan – O Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, anunciou pessoalmente na noite de ontem que foram ativados os protocolos para a libertação dos quatro militares e de um civil sequestrados pelas FARC e que, logo após a sua libertação, os membros do governo voltarão a Havana para continuar o processo de paz . A nota enviada pela rádio Caracol à Agência Fides informa depois de um encontro com as comunidades índias de Popayan, Valle del Cauca, o Presidente anunciou: “assim que ver os reféns livres, darei instruções aos negociadores para retornar a Havana”. No momento do sequestro, o Presidente havia suspenso os diálogos de paz. O Presidente da Conferência Episcopal da Colômbia, o Arcebispo de Tunja, Dom Luis Augusto Castro Quiroga, em 19 de novembro fez uma declaração, enviada à Agência Fides, em que pede ao Presidente Santos que continue o processo de paz com estas palavras: “Convido o Presidente a refletir porque não deve deixar que a esperança dos colombianos seja despedaçada como um prato de cerâmica jogado do quinto andar”. Dom Castro Quiroga havia reiterado o apoio da Igreja ao governo para retomar rapidamente os diálogos de paz. Referindo-se às populações indígenas visitadas, o Presidente Santos relevou que “são as que mais sofreram as consequências da guerra”, e portanto, há um grande desejo na região de poder restaurar a paz na Colômbia. Santos anunciou ainda de Popayan a assinatura de um decreto presidencial para uma eficaz proteção e segurança nos territórios ocupados pelas populações indígenas ancestrais. Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - “Temos uma longa história de acolhida…”: a Igreja fala das medidas para os imigranteshttp://fides.org/pt/news/38794-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Temos_uma_longa_historia_de_acolhida_a_Igreja_fala_das_medidas_para_os_imigranteshttp://fides.org/pt/news/38794-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_Temos_uma_longa_historia_de_acolhida_a_Igreja_fala_das_medidas_para_os_imigrantesWashington – O Bispo auxiliar de Seattle e Presidente da Comissão para as Migrações da Conferência Episcopal dos Estados Unidos , Dom Eusebio Elizondo, acolheu com satisfação a notícia que a administração Obama decidiu adiar a repatriação de muitos imigrantes sem documentos e de suas famílias.<br />“Temos uma longa história de acolhida e de ajuda aos pobres, aos marginalizados, aos imigrantes e às pessoas desfavorecidas”, disse Dom Elizondo. A cada dia, a Igreja católica nos Estados Unidos e todas as suas estruturas de serviço social, hospitais, escolas e paróquias são testemunhas das consequências humanas da divisão das famílias quando os pais são expulsos e separados de seus filhos ou os cônjuges separados um do outro. Todos já sabem que pedimos à administração que faça tudo o que está em seu legítimo poder para levar alívio e justiça a nossos irmãos e irmãs imigrantes. Como Pastores, acolhemos positivamente todos os esforços no âmbito destes limites na tutela das pessoas e para proteger e reunir as famílias e as crianças vulneráveis”. <br />Na nota enviada à Agência Fides, o Arcebispo de Louisville, Dom Joseph E. Kurtz, Presidente da USCCB, declarou: “Existe a urgente necessidade pastoral de uma visão mais humana dos imigrantes e de estabelecer medidas legais que respeitem a dignidade de toda pessoa, tutele os direitos humanos e defenda o estabelecido pela lei”.<br />Segundo as últimas notícias difundidas por agências, ontem à noite, o Presidente Obama anunciou a assinatura de medidas executivas com as quais poderão ser regularizados cerca de 5 milhões de imigrantes sem documentos. “Não é uma anistia de massa. Trata-se de responsabilidades e medidas de bom senso” disse o Presidente apresentando o decreto, que exclui dos repatriados forçados aqueles que moram nos EUA há 5 anos ou têm filhos nascidos no país, garantindo-lhes visto de residência e trabalho. Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/ÍNDIA – Os franciscanos na linha de frente na “segurança alimentar”http://fides.org/pt/news/38793-ASIA_INDIA_Os_franciscanos_na_linha_de_frente_na_seguranca_alimentarhttp://fides.org/pt/news/38793-ASIA_INDIA_Os_franciscanos_na_linha_de_frente_na_seguranca_alimentarNova Délhi – Os franciscanos na Índia se empenham em todo o país para combater a fome e dar a sua contribuição para a segurança alimentar da população. O conceito de “segurança alimentar”, elaborado pela ONU, estabelece que “toda pessoa tenha à disposição facilmente a cada dia a quantidade de alimento necessária para seu sustento”. <br />Como informado à Fides, os franciscanos da AFFI , aderiram a uma consulta nacional sobre o redução da pobreza extrema e da fome no país, realizada no início de novembro em Bangalore. Na conferência, foi frisado que em muitos estados indianos ainda vivem marginalizados, tribais, pobres de áreas rurais, favelados, dalits, migrantes, a quem não se garante o direito ao alimento. <br />O Presidente da AFFI, pe. A.J. Mathew OFM, destacou que “o crescimento de uma sociedade não está no rápido progresso socioeconômico do sistema, que beneficia poucos, mas no crescimento total, do qual ninguém fica excluído. Este é o fulcro do Evangelho e também o sentido profético do carisma franciscano”. Na base do conceito de “inclusão” e de “desenvolvimento inclusivo”, os franciscanos estão preparando planos de ação concretos em vários estados, como Orissa, Tamil Nadu, Bengala, Maharashtra, Kerala e Uttar Pradesh, focalizando-se nos idosos abandonados, na desnutrição das crianças, no bem-estar das mulheres e nos direitos das tribos indígenas, sobretudo nas áreas rurais. Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/FILIPINAS – 30 anos após a fundação, reforça-se o empenho do movimento “Silsilah” para o diálogohttp://fides.org/pt/news/38792-ASIA_FILIPINAS_30_anos_apos_a_fundacao_reforca_se_o_empenho_do_movimento_Silsilah_para_o_dialogohttp://fides.org/pt/news/38792-ASIA_FILIPINAS_30_anos_apos_a_fundacao_reforca_se_o_empenho_do_movimento_Silsilah_para_o_dialogoZamboanga City – Após 30 anos de trabalho no diálogo islâmico-cristãos, o movimento “Silsilah”, fundado no sul das Filipinas em 1984 pelo missionário do PIME Sebastiano D’Ambra, acolhe e reconhece os frutos do caminho percorrido e renova seu compromisso. Como informa à Fides uma nota da “Silsilah”, a espiritualidade da “vida-em-diálogo” se difundiu nas Filipinas e no exterior, e a experiência recebeu prêmios nacionais e internacionais. Por ocasião dos trinta anos, a “Silsilah” celebrou nos últimos dias a sua Assembleia nacional reunindo pessoas de diferentes tradições religiosas e culturais. Na conclusão do encontro, os participantes assinaram e difundiram uma declaração na qual se comprometem em nutrir a espiritualidade da vida-em-diálogo através da constante renovação e aprofundamento da relação com Deus, consigo, com os outros e com toda a Criação; a respeitar a pluralidade religiosa e cultural por meio da educação e da formação contínuas; a reforçar a colaboração no “Fórum Silsilah”, através da comunicação e da partilha de recursos, experiências e reflexões; a promover em todos os modos possíveis a cultura do diálogo como caminho de paz para as famílias, lugares de trabalho, escolas, grupos e outras instituições; a usar responsavelmente as mídias sociais e as outras tecnologias para difundir o espírito de diálogo, especialmente a “Rede da Harmonia”; expandir a cultura da vida-em-diálogo além das Filipinas. A “Rede da Harmonia” é a difusão de uma especial “prece pela harmonia” não confessional, que |é um sinal de esperança para apoiar o nosso compromisso de diálogo e de paz”. A oração, que hoje se faz em escolas, mesquitas, igrejas, grupos, paróquias e em todo o mundo, é aconselhada como uma oração comum que pode ser rezada por cristãos e muçulmanos. Foi aprovada pela “Bishops Ulama Conference”, a conferência que une Bispos cristãos e líderes muçulmanos das Filipinas. Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/TERRA SANTA - Crianças sem cidadania: reaberta a questão das crianças palestinas não registradashttp://fides.org/pt/news/38791-ASIA_TERRA_SANTA_Criancas_sem_cidadania_reaberta_a_questao_das_criancas_palestinas_nao_registradashttp://fides.org/pt/news/38791-ASIA_TERRA_SANTA_Criancas_sem_cidadania_reaberta_a_questao_das_criancas_palestinas_nao_registradasJerusalém – Muitas crianças palestinas do leste de Jerusalém continuam a não ter reconhecido o direito de obter um documento de identidade ou certificado de residência permanente. A condição delas foi analisada no decorrer de um congresso sediado em 19 de novembro passado em Jerusalém, no Pontifício Instituto Notre Dame de Jerusalém. A conferência, intitulada “Infância interrompida: Registro de crianças em Jerusalém”, foi organizada pela Sociedade Saint Yves, ligada ao Patriarcado Latino de Jerusalém, com a Associação Konrad Adenauer.<br />Quem não recebe documentos de identidade e não tem reconhecida legalmente a própria residência são em especial os filhos de palestinos na prisão e os que pertencem a núcleos familiares separados , cuja reunificação encontra obstáculos na legislação israelense. Essas crianças não podem frequentar a escola nem gozar dos serviços sociais e de saúde, pois não possuem carta de identidade ou passaporte que comprovem a própria cidadania. De fato, pela lei, é como se não existissem.<br />Sua Beatitude Michel Sabbah, Patriarca emérito de Jerusalém dos Latinos, na sua intervenção no congresso destacou que “o tema da certidão das crianças é um aspecto de um problema maior, o da reunificação das famílias. A família está no centro de tudo isso, se trata de um problema ao mesmo tempo natural e humano. A família quer dizer um pai, uma mãe e crianças, residentes sob o mesmo teto. Mas aqui, nesta situação especial, a lei israelense impôs regras que não permitem à família de viver sob o mesmo teto”.<br />Como noticiado no site oficial do Patriarcado Latino, Raffoul Rofa e Haitham Al-Katib, ambos da Sociedade Saint Yves, examinaram o problema de um ponto de vista jurídico. Raffoul Rofa explicou que “em 1967 Israel concedeu aos palestinos residentes no leste de Jerusalém uma residência permanente, mas não a cidadania. Isso significa que o Ministro do Interior pode anular a qualquer momento este direito de residência, o que acontece, por exemplo, se uma pessoa reside fora de Jerusalém por um certo período”. .Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/NÍGER - Malária: tratamento preventivo para 735 mil criançashttp://fides.org/pt/news/38790-AFRICA_NIGER_Malaria_tratamento_preventivo_para_735_mil_criancashttp://fides.org/pt/news/38790-AFRICA_NIGER_Malaria_tratamento_preventivo_para_735_mil_criancasBouza – Os programas de prevenção da malária estacional estão dando resultados promissores para a redução da incidência entre a população infantil do Sahel africano. O envolvimento das comunidades é crucial para alcançar o maior número possível de menores nas zonas mais remotas. Ao mesmo tempo, com a finalidade de fazer frente às principais doenças que atingem a população infantil, a ong Médicos Sem Fronteiras incluiu a diagnose para a desnutrição e as vacinações.<br />No distrito de Bouza, no sul do Níger, além de no Chade e Mali, MSF leva avante um programa de SMC e propõe um tratamento preventivo a cerca de 735 mil menores entre os três meses e os cinco anos de idade. Nos meses de julho, agosto e setembro, as equipes vacinaram cerca de 80 mil menores no Chade, além de 175 mil no Mali e mais de 480 mil no Níger. Estudos recentes demonstraram que o método preventivo reduz os casos de malária simples e aguda, assim como as internações hospitalares. Para o bom êxito do programa SMC, foram muito importantes o envolvimento e a coordenação com as autoridades de saúde e comunitárias, que contribuíram para aproximar a população, aumentar a confiança das comunidades e sua colaboração.<br />No Sahel, a malária ameaça 23 milhões de crianças. Diante da confiabilidade do programa de SMC, nos últimos três anos os Ministérios da Saúde de Burkina Fasso, Mali, Níger, Gâmbia, Gana, Guiné-Bissau, Guiné Conakry, Nigéria, Senegal, Chade e Togo o incluíram em seus Programas Nacionais de Luta contra a Malária. No Chade, além do tratamento preventivo contra pandemia, a ong efetuou vacinações contra a pólio, difteria, tétano, tosse canina, hepatite B e gripe, além de distribuir misturas alimentares terapêuticas para crianças entre os seis e os 24 meses de idades. Em 2012, MSF usou pela primeira vez o SMC no Chade e Mali, e em 2013 no Níger. Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/MALI - Ebola: adiada a peregrinação anualhttp://fides.org/pt/news/38789-AFRICA_MALI_Ebola_adiada_a_peregrinacao_anualhttp://fides.org/pt/news/38789-AFRICA_MALI_Ebola_adiada_a_peregrinacao_anualBamako – Foi adiada a peregrinação anual organizada pela Igreja Católica que devia se realizar de 20 a 23 de novembro em Kita, a paróquia mais antiga do Mali, por causa da propagação do vírus ebola. Foi o que comunicou Dom Jean Zerbo, Arcebispo de Bamako. "Não podemos fazer a peregrinação, se não temos os meios para gerenciar as condições higiênicas e de viagem de 10 mil pessoas durante três dias", disse o arcebispo. "Não é possível, não podemos fazê-la. Por isso decidimos adiá-la". "Rezando e mudando os comportamentos, conseguiremos reduzir este flagelo", concluiu Dom Zerbo. O Mali é o último dos países afetados pela doença que se espalhou pela África Ocidental. O primeiro caso foi registrado em 27 de outubro. Até agora, no Mali, morreram por causa do vírus ebola 5 pessoas, enquanto outras 300 estão sob observação das autoridades de saúde. Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/ZÂMBIA - “Em 50 anos, a Zâmbia tem feito progressos notáveis”, disse o presidente da Conferência Episcopalhttp://fides.org/pt/news/38788-AFRICA_ZAMBIA_Em_50_anos_a_Zambia_tem_feito_progressos_notaveis_disse_o_presidente_da_Conferencia_Episcopalhttp://fides.org/pt/news/38788-AFRICA_ZAMBIA_Em_50_anos_a_Zambia_tem_feito_progressos_notaveis_disse_o_presidente_da_Conferencia_EpiscopalRoma - A campanha eleitoral para as próximas eleições presidenciais e os 50 anos de independência nacional foram o tema da entrevista feita pela Agência Fides a Dom Ignatius Chama, Arcebispo de Kasama e Presidente da Conferência Episcopal da Zâmbia, que se encontra em Roma para a visita ad limina Apostolorum. Depois da morte prematura do Presidente Michael Sata a Zâmbia está em plena campanha para a eleição de seu sucessor. <br /><br />Como o país está vivendo este momento?<br /><br />"Não é a primeira vez que isso acontece na Zâmbia que um presidente morre no exercício do mandato. Já aconteceu em 2008 com o Presidente Levy Mwanawasa . É uma experiência que já enfrentamos. Agora nós estamos no meio da campanha eleitoral porque a Constituição prevê que, em caso de morte do Chefe de Estado, as eleições presidenciais se realizam no prazo de 90 dias de sua morte. Nesta fase, os vários partidos políticos estão lutando para escolher seus candidatos, uma vez feita a escolha os candidatos competirão em frente ao eleitorado."<br /><br />Qual é na sua opinião o melhor resultado obtido por seu país nestes 50 anos de independência?<br /><br />"Passamos por períodos de turbulência política, felizmente sem consequências dramáticas como guerra civil ou eventos parecidos. Chegamos a um grau suficiente de maturidade política. Isso não significa que a atingimos em plenitude, estamos ainda desenvolvendo-a. Mas no fundo, eu me pergunto: quanto tempo levou a Europa para desenvolver um sistema democrático? 200 anos? 250 anos? Temos apenas 50 anos e não estamos nos comportando mal; não temos complexos sobre as nossas "credenciais democráticas" ou sobre como fazemos campanhas eleitorais e assim por diante."<br /><br />Nesses últimos 50 anos, como se evoluiu a Igreja na Zâmbia, nascida do trabalho missionário?<br /><br />"A Igreja é missionária por natureza. Atingimos um ponto crítico em que o trabalho da Igreja está nas mãos dos fiéis locais. A história da Igreja na Zâmbia, pouco mais de 100 anos, é um período muito curto. Nos últimos anos, a responsabilidade de governar a Igreja em nosso país se pousa sobre nossos ombros. Não há mais desculpas como, os missionários não fizeram isso ou aquilo ou não nos conhecem. Se há coisas que não vão bem, temos que reclamar de nós mesmos. Enfim, sentimos a responsabilidade de ser parte da Igreja universal e participar da Missio ad Gentes. Temos a este respeito congregações religiosas femininas que trabalham em outros países africanos e fora do continente." Fri, 21 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/ESTADOS UNIDOS - 2 milhões e meio de crianças vivem em abrigos, nas ruas ou em automóveishttp://fides.org/pt/news/38787-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_2_milhoes_e_meio_de_criancas_vivem_em_abrigos_nas_ruas_ou_em_automoveishttp://fides.org/pt/news/38787-AMERICA_ESTADOS_UNIDOS_2_milhoes_e_meio_de_criancas_vivem_em_abrigos_nas_ruas_ou_em_automoveisWashington – Um relatório do Centro Nacional para as Famílias Sem-teto revelou que nos Estados Unidos, no ano passado, 2,5 milhões de crianças viviam em abrigos, nas ruas, em automóveis ou em terrenos abandonados. O documento, intitulado “Sempre mais jovens marginalizados nos Estados Unidos demonstra que entre 2012 e 2013, o número de crianças sem residência fixa nos Estados Unidos aumentou 8%, alcançando um recorde histórico, segundo dados da American Institutes for Research . O fenômeno é particularmente grave na Califórnia, com quase 527 mil crianças sem-teto, mas este número pode chegar a um milhão e 300 mil nos estados de Alabama e Mississippi. Em Minnesota, Nebraska e Massachusetts menos menores moram nas ruas. Dentre as causas principais do agravamento da situação estão os altos índices de pobreza, a falta de moradias com preços acessíveis, as disparidades raciais, os problemas das mães solteiras, a violência doméstica e outras experiências traumáticas, além dos efeitos persistentes da recessão. O relatório do NCFH indica uma série de possíveis soluções para deter o problema, como moradias seguras e a preços acessíveis, instrução e oportunidade de trabalho para os pais, avaliação integral das necessidades de cada membro das famílias. Além disso, propõe a identificação, a prevenção e o tratamento da depressão em mães, o sustento para o crescimento dos menores e a busca para identificar os programas e serviços baseados na experiência adquirida. Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/COLÔMBIA - “Em breve será libertado o general sequestrado”, diz o Arcebispo Monsalve Mejiahttp://fides.org/pt/news/38786-AMERICA_COLOMBIA_Em_breve_sera_libertado_o_general_sequestrado_diz_o_Arcebispo_Monsalve_Mejiahttp://fides.org/pt/news/38786-AMERICA_COLOMBIA_Em_breve_sera_libertado_o_general_sequestrado_diz_o_Arcebispo_Monsalve_MejiaCali – “O General Rubén Darío Alzate pode ser libertado nas próximas 48 horas”, foi o que declarou o Arcebispo de Cali, Dom Dario de Jesús Monsalve Mejia, em entrevista à emissora colombiana “BluRadio”, e recebida pela Agência Fides. O arcebispo afirma ter recebido novas informações sobre o oficial do exército prisioneiro das FARC desde domingo passado . “Será em breve conosco. A coisa mais importante é estabelecer uma comunicação segura, transparente e reservada entre as partes envolvidas”, disse. Dom Dario de Jesus Monsalve Mejia participou como representante da Conferência Episcopal Colombiana de vários diálogos para a libertação de reféns do grupo guerrilheiro “Exército de Libertação Nacional” , e sempre se expressou positivamente sobre as negociações de paz em andamento com os grupos guerrilheiros. Nos meses passados, apreciou “a disponibilidade de ambas as partes” e “o compromisso com o diálogo expresso pelo presidente Santos”. Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/BRASIL – Apoio da Igreja à formação da consciência política por uma reforma democráticahttp://fides.org/pt/news/38785-AMERICA_BRASIL_Apoio_da_Igreja_a_formacao_da_consciencia_politica_por_uma_reforma_democraticahttp://fides.org/pt/news/38785-AMERICA_BRASIL_Apoio_da_Igreja_a_formacao_da_consciencia_politica_por_uma_reforma_democraticaBrasília – O Conselho Episcopal Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, discutiu no dia 18 de novembro a questão da reforma política no Brasil. O Bispo auxiliar de Belo Horizonte, Presidente da Comissão Episcopal da Pastoral para a cultura e a instrução, Dom Joaquim Giovanni Mol Guimarães, segundo a nota enviada à Fides, falou aos Bispos sobre a Projeto de Lei de Iniciativa Popular proposto pela Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas.<br />Passadas as eleições, precisamos de duas importantes ações: quanto mais pessoas se interessarem em discutir a reforma política, melhor será, porque quando mais se discutir o tema, mais será criada uma consciência política. A segunda ação é trabalhar pela coleta de assinaturas; porque o processo não é tão simples, visto que para assinar, é preciso ter um número de registro como eleitor ou o nome completo da mãe”, explicou Dom Joaquim Mol. O Bispo ressaltou que o projeto de lei não está a serviço de nenhum partido, “ao contrário, provém de organizações e movimentos sociais”. O projeto de lei propõe: colocar fim na influência do poder econômico nas eleições e no “comércio de votos” durante as campanhas eleitorais; o voto transparente através do sistema eleitoral proporcional e do voto em dois turnos, para reforçar os partidos políticos, deter os partidos sem identidade programática, reduzir o número de candidatos e garantir uma eficaz supervisão do processo eleitoral; a igualdade de gênero na lista dos candidatos; o reforço dos mecanismos de democracia direta: plebiscito, referendo e projetos de iniciativa popular. No dia 13 de novembro, foi publicada a proposta do "Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela Reforma Política Democrática" pela coalizão popular pela reforma política e as eleições limpas. A Igreja já apoiou, no passado, iniciativas para a formação de uma consciência cívica da população e por uma democracia sem corrupção . Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/IRAQUE - Nova ameaça jihadista para os cristãos de Mossul: se não pagarem, suas casas vão explodirhttp://fides.org/pt/news/38784-ASIA_IRAQUE_Nova_ameaca_jihadista_para_os_cristaos_de_Mossul_se_nao_pagarem_suas_casas_vao_explodirhttp://fides.org/pt/news/38784-ASIA_IRAQUE_Nova_ameaca_jihadista_para_os_cristaos_de_Mossul_se_nao_pagarem_suas_casas_vao_explodirMossul – Diversos refugiados cristãos originários da cidade de Mossul revelam ter recebido telefonemas de presumíveis militantes do Estado Islâmico que ameaçam fazer explodir suas casas, de onde foram obrigados a fugir, se não pagarem rapidamente uma determinada cifra. O prosseguimento deste tipo de ameaças por telefone, denunciado pelas vítimas no site arabo.www.ankawa.com, é a última das violências sofridas pelas pessoas que fugiram de Mossul depois que a segunda cidade do Iraque caiu sob o controle dos milicianos jihadistas do Estado Islâmico, no último dia 9 de junho. Outros refugiados cristãos declaram ter sofrido um tipo de ameaça mais sofisticado: em alguns casos, foram chamados por telefone por ex-vizinhos de casa que declaram ter-se apropriado de suas fotografias pessoais deixadas em casa e ameaçam publicá-las nas redes sociais depois de retocá-las transformando-as em imagens embaraçosas. .Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/IRAQUE - Patriarca caldeu aos muçulmanos: A barbárie feita em nome do Islã lembra o nazismo. E suas reações são tímidashttp://fides.org/pt/news/38783-ASIA_IRAQUE_Patriarca_caldeu_aos_muculmanos_A_barbarie_feita_em_nome_do_Isla_lembra_o_nazismo_E_suas_reacoes_sao_timidashttp://fides.org/pt/news/38783-ASIA_IRAQUE_Patriarca_caldeu_aos_muculmanos_A_barbarie_feita_em_nome_do_Isla_lembra_o_nazismo_E_suas_reacoes_sao_timidasViena – Diferentemente "dos nazistas e outras ideologias mortais do século XX", os jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante perpetram seus crimes bárbaros "em nome do Islã". Por isso "é muito chocante a inação da comunidade islâmica que denunciou estes atos só com declarações tímidas e fracas", mostrando uma falta de liderança capaz de "aumentar a consciência das pessoas sobre o perigo iminente trazido pelo Estado islâmico que age em nome da religião". Com estas palavras diretas e determinadas, o Patriarca de Babilônia dos Caldeus Louis Raphael I exorta os líderes da comunidade islâmica a assumir suas responsabilidades e combater o extremismo obscurantista de rótulo islâmica, que representa certamente um perigo mortal para os cristãos do Oriente Médio, mas que o Patriarca caldeu julga “não pouco perigoso” também para os islâmicos. O premente apelo de Sua Beatitude Louis Raphael I está contido na Carta aberta “aos irmãos e irmãs muçulmanos de todo o mundo”, que o Patriarca divulgou por ocasião de sua participação na última conferência internacional organizada pelo Centro saudita Rei Abdulá bin Abdulaziz para o diálogo inter-religioso e intercultural . A cúpula, realizada em Viena em 18 e 19 de novembro de 2014, teve a participação de 200 personalidades muçulmanas e cristãs, chamadas a refletir e a confrontar-se sobre o tema da batalha comum contra a violência em nome da religião. Na carta, recebida pela Agência Fides, o Primaz da Igreja caldeia se diz “chocado” porque há quem “subestime o grave risco representado pelo Estado Islâmico” e convoca todos os irmãos e irmãs muçulmanos a “uma nítida mudança”, pois é sua a responsabilidade de encontrar uma resposta: “deve vir de vocês e não de uma força externa”. Dentre os crimes cometidos pelos jihadistas em ação no Iraque e na Síria, o Patriarca recorda também “a violação da santidade de igrejas e mosteiros” ou a sua conversão em mesquitas, além do sequestro de mulheres vendidas no mercado como escravas. Sua Beatitude reitera que no Oriente Médio os cristãos representam uma presença autóctone, e convida os estudiosos de questões religiosas a “rebater os argumentos utilizados pelo EI”, recorrendo também à jurisprudência para denunciar suas práticas atrozes e marcar o seu pensamento como um “flagelo da humanidade”. .Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/TERRA SANTA - Milhares de crianças de Gaza com deficiência por causa de conflitos armadoshttp://fides.org/pt/news/38782-ASIA_TERRA_SANTA_Milhares_de_criancas_de_Gaza_com_deficiencia_por_causa_de_conflitos_armadoshttp://fides.org/pt/news/38782-ASIA_TERRA_SANTA_Milhares_de_criancas_de_Gaza_com_deficiencia_por_causa_de_conflitos_armadosGaza - O conflito bélico na Faixa de Gaza teve um grave impacto sobre a vida das crianças palestinas e suas famílias. São cerca de mill as crianças que ficaram deficientes por causa dos bombardeios de Israel contra os civis em território palestino. É o que refere o Observatório Euro-Mediterrâneo, grupo que lida com a proteção dos direitos humanos, que tem sede no país. Num comunicado à imprensa, o grupo reclamou que o Exército israelense usa tipos de projéteis ilegais que contêm milhares de pregos de ferro que penetram na carne e nos ossos dos seres humanos, causando feridas, cortes e sérios danos ao corpo. Em Gaza, existem várias organizações caritativas que cuidam de crianças com deficiência, especialmente aquelas que foram feridas durante os 50 dias de conflito durante os quais um tanque israelense atacou uma escola, gerida pela Agência das Nações Unidas para Refugiados Palestinos no Oriente Médio, no campo de refugiados de Jabalia, no norte da Faixa de Gaza. O centro atende 250 crianças com deficiência em toda a Faixa de Gaza que ficaram feridas durante a última ofensiva. A estas se acrescentam os 550 casos que foram tratados antes da última guerra contra Gaza, e todos eles precisam de membros artificiais. Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/PAQUISTÃO - Violência contra as minorias: o governador do Punjab encontra os líderes religiososhttp://fides.org/pt/news/38781-ASIA_PAQUISTAO_Violencia_contra_as_minorias_o_governador_do_Punjab_encontra_os_lideres_religiososhttp://fides.org/pt/news/38781-ASIA_PAQUISTAO_Violencia_contra_as_minorias_o_governador_do_Punjab_encontra_os_lideres_religiososLahore – Depois da tragédia de Kasur – onde dois cônjuges cristãos foram queimados vivos por suposta blasfêmia –, o governador do Punjab, Muhammad Sarwar, encontrou uma ampla delegação de líderes religiosos cristãos e muçulmanos. Como apurado por Fides, entre os presentes estavam o Bispo anglicano Samuel Robert Azriah, o bispo Romal Shaw, pe. James Channan OP, responsável do “Peace Center” em Lahore, Hafiz Tahir Mehmood Ashrafi, Presidente do “Conselho dos ulemás do Paquistão”, e outros respeitados líderes muçulmanos. No encontro, realizado em 18 de novembro, os líderes religiosos perguntaram quais estratégias e quais caminhos o Governo paquistanês pretende adotar diante do crime de Kasur, para garantir justiça e prevenir outros episódios de violência contra as minorias. Sarwar ficou profundamente chocado e disse que pensou em pedir demissão “porque não conseguiu proteger os cristãos”. "Se um governo não consegue proteger seus cidadãos, não tem direito e não merece governar. A sensação de insegurança no país é muito dolorosa", disse Sarwar. O Governo de Punjab prometeu todos os esforços para levar os criminosos à justiça e acabar com a impunidade. "A impunidade para ataques contra cristãos ocorridos em Shanti Nagar, Gojra e Joseph Colony de Lahore é uma questão de grave preocupação para mim", disse o governador. Comentando sobre o mau uso da lei da blasfêmia, Sarwar ressaltou: "Se uma pessoa acusa falsamente o outro de blasfêmia, deve ser punida". Ele então confirmou sua apreciação "pelo papel dos cristãos, que sempre trabalharam pela paz e a harmonia no país". Até mesmo Hafiz Tahir Mehmood Ashrafi, presidente do "Conselho de Ulemás do Paquistão", disse que ficou amargurado e observou: "Se os culpados de ataques anteriores tivessem sido punidos, talvez o assassinato de Kasur não teria acontecido". "Os cristãos são nossos concidadãos - acrescentou - e choramos com eles", recordando que mais de cem ulemás visitaram o local do crime, no distrito de Kasur, levando condolências e solidariedade. "Estamos com vocês e levantaremos com vocês a voz pela justiça", disse ele, voltando-se para os líderes cristãos presentes. O Bispo Azariah e outros cristãos presentes agradeceram aos ulemás e todos os muçulmanos que "estão ao lado dos cristãos neste momento difícil". Ontem, 19 de novembro, uma reunião pública de líderes religiosos cristãos e muçulmanos, de representantes da sociedade civil e ativistas foi realizada na cidade de Kot Radha Krishan, no distrito de Kasur, na área em que Shahzad e Shama Masih foram linchados. Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA - “Escrever a história da África com olhos africanos”: o empenho dos jesuítashttp://fides.org/pt/news/38780-AFRICA_Escrever_a_historia_da_Africa_com_olhos_africanos_o_empenho_dos_jesuitashttp://fides.org/pt/news/38780-AFRICA_Escrever_a_historia_da_Africa_com_olhos_africanos_o_empenho_dos_jesuitasRoma – Os jesuítas apostam sempre mais na África, encorajando as relações entre as realidades africanas e europeias de sua Companhia.<br />Segundo um comunicado enviado à Agência Fides, no recente encontro dos Provinciais da Europa em Lviv, na Ucrânia, estava presente também Pe. Mike Lewis, presidente da JESAM, a Conferência dos Jesuítas da África e de Madagascar. Nesta ocasião, os provinciais europeus aprovaram um financiamento para os próximos cinco anos para o Jesuit Historical Institute, com sede em Nairóbi. "O Padre Geral, disse Padre Lewis, quis que uma parte do Instituto Histórico de Roma se transferisse na África para que a história do continente seja lida e escrita com olhos africanos. Com o passar dos anos, isso se tornará um importante centro de pesquisa para a Companhia de Jesus na África e no mundo inteiro. Apreciamos muito o apoio da Europa para este novo passo avante em estudar a nossa história e dar vida a este Instituto". O Pe. John Dardis, presidente da Conferência dos jesuítas europeus, acrescentou: "A história da Europa e da África estão interligadas e é justo, portanto, apoiar financeiramente este projeto pelo menos nos seus primeiros passos". A "Comissão Mista " das duas Conferências se encontrou em 16 de outubro, antes do encontro de Lviv, para examinar o projeto comum em Malta para a assistência pastoral aos refugiados e aos solicitantes de asilo. Um jesuíta europeu, Pe. Vyacheslav Okun , começou o seu serviço em Malta com Dieudonné Mampasi, da África Central. A JESAM convidou os provinciais europeus a visitarem a África em 2015 para entender melhor o desenvolvimento deste continente. Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁFRICA/REP. CENTRO AFRICANA - Premiados os líderes da “plataforma dos religiosos pela paz”, entre os quais o Arcebispo de Banguihttp://fides.org/pt/news/38779-AFRICA_REP_CENTRO_AFRICANA_Premiados_os_lideres_da_plataforma_dos_religiosos_pela_paz_entre_os_quais_o_Arcebispo_de_Banguihttp://fides.org/pt/news/38779-AFRICA_REP_CENTRO_AFRICANA_Premiados_os_lideres_da_plataforma_dos_religiosos_pela_paz_entre_os_quais_o_Arcebispo_de_BanguiBangui - “É um prêmio dado a pessoas que, em meio à violência, conseguiram oferecer outras mensagens, a do amor, da tolerância, da coesão social e do viver juntos”, disse de volta à República Centro-Africana Dom Dieudonné Nzapalainga, Arcebispo de Bangui, comentando o prêmio pela paz conferido pela ONG estadunidense Search For Common Ground aos líderes da “plataforma dos religiosos pela paz”: Dom Dieudonné Nzapalainga, Oumar Kobine Layama, respectivamente Arcebispo e Imã de Bangui, e o Pastor Nicolas Grékoyamé-Gbangou, Presidente das Igrejas Evangélicas.<br />Os três líderes religiosos, que retiraram o prêmio em 13 de novembro passado, faziam parte de cinco grupos selecionados pela ONG estadunidense por seu empenho na promoção da pacífica coexistência entre cristãos e muçulmanos. Os três líderes religiosos trabalharam incessantemente para impedir que a guerra civil centro-africana entre grupos identificados, às vezes arbitrariamente como “muçulmano e “cristãos , criasse uma divisão profunda na sociedade local, com base em sentimentos religiosos.<br />Segundo Dom Nzapalainga, quem concedeu o prêmio quis indicar uma estrada também a outras pessoas que atuam em contextos de lutas e divisões religiosas e de outra natureza: “Várias pessoas observam o trabalho que fazemos. Veem que está além da paixão e dos sentimentos. Pensaram que fazemos uma trabalho racional que pode ser reproduzido em qualquer lugar por aqueles que são animados pelo desejo de construir a coesão social e ao qual podem se inspirar”. Thu, 20 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/COLÔMBIA – A cada hora, duas crianças sofrem abusos sexuaishttp://fides.org/pt/news/38778-AMERICA_COLOMBIA_A_cada_hora_duas_criancas_sofrem_abusos_sexuaishttp://fides.org/pt/news/38778-AMERICA_COLOMBIA_A_cada_hora_duas_criancas_sofrem_abusos_sexuaisBogotá – Segundo um recente relatório publicado em Bogotá por ocasião do Dia mundial de prevenção de abusos contra menores, a cada hora, duas crianças sofrem agressão sexual. O estudo, que coleta dados do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, revela que aproximadamente a cada dia, no país, 39 meninas e meninos são vítimas de abusos sexuais, 40% dos quais ocorridos no âmbito de suas próprias famílias. O documento indica que a desagregação familiar, a falta de comunicação com as crianças ou o fato que são seguidos por outras pessoas quando seus pais trabalham são alguns dos fatores de risco que incidem neste fenômeno. <br />Segundo estimativas do Instituto de Medicina Legal, 25% dos casos totais de abusos são perpetrados na casa do agressor. As principais vítimas desta chaga são meninas de 10 a 13 anos, com 83% do total dos casos. O presumível agressor é um familiar , ou uma pessoa conhecida . Na Colômbia, onde há mais de 50 anos está em curso um conflito armado, a violência sexual contra crianças e adolescentes tem índices semelhantes à pobreza, a exploração do trabalho e os deslocamentos forçados. Wed, 19 Nov 2014 00:00:00 +0100AMÉRICA/CHILE – Os Bispos defendem “uma reforma educativa pelo bem da nação”http://fides.org/pt/news/38777-AMERICA_CHILE_Os_Bispos_defendem_uma_reforma_educativa_pelo_bem_da_nacaohttp://fides.org/pt/news/38777-AMERICA_CHILE_Os_Bispos_defendem_uma_reforma_educativa_pelo_bem_da_nacaoSantiago – “Uma reforma educativa pelo bem do Chile” é o título do documento da Conferência Episcopal do Chile apresentado ontem, 18 de novembro, recebido pela Agência Fides, que expõe a contribuição da Igreja neste projeto de reforma, em debate no Senado chileno.<br />Os Bispos afirmam que é indispensável a construção de um sistema mais justo para favorecer níveis mais altos de integração e inclusão. “Apesar de não concordarmos som vários aspectos da reforma educativa – escrevem – vista a ausência premissas sobre a natureza, os objetivos e os princípios de uma educação, queremos contribuir com as propostas de modo responsável. Assim sendo, nos unimos à reflexão e à contribuição de todos os outros setores que fizeram da educação um serviço reconhecido e significativo para a nação”.<br />O amplo documento, redigido em 16 pontos, reúne a preocupação das comunidades católicas do país, oferece uma reflexão sobre a situação que a nação está vivendo no campo educativo e propõe tarefas e desafios a serem enfrentados com toda a comunidade civil. Dentre os temas cruciais abordados no documento está também a liberdade de ensinamento e de iniciativa. A este respeito, diz: “É fundamental incrementar a diversidade de projetos educativos na educação chilena, tão necessária para a democracia. A nossa educação deveria expressar claramente os princípios associados à liberdade de ensinamento: liberdade de desenvolver projetos educativos com a necessária autonomia na gestão...”.<br />Os Bispos também denunciam a necessidade de “reconhecer a concepção laica da educação nas escolas não-confessionais, ou seja, não laicista, respeitosa de todas as expressões religiosas, assim como aceitar a concepção cristã ou de outras expressões religiosas das escolas confessionais e facilitar a liberdade de escolha dos pais”. <br/><strong>Link correlati</strong> :<a href="http://www.fides.org/spa/attachments/view/file/chile_cech_educacion2014.pdf">Documento dos Bispos:</a>Wed, 19 Nov 2014 00:00:00 +0100ÁSIA/IRAQUE – As casas dos cristãos saqueadas também pelas milícias curdas dos Peshmergashttp://fides.org/pt/news/38776-ASIA_IRAQUE_As_casas_dos_cristaos_saqueadas_tambem_pelas_milicias_curdas_dos_Peshmergashttp://fides.org/pt/news/38776-ASIA_IRAQUE_As_casas_dos_cristaos_saqueadas_tambem_pelas_milicias_curdas_dos_PeshmergasTel Isqof – Os cristãos de Tel Isqof, aldeia da Planície de Nínive a 15 km de Tilkaif, denunciam saques em suas casas realizados pelas milícias curdas Peshmerga, que desde 17 de agosto controlam a área. As notícias de saques perpetrados pelas milícias engajadas na luta aos jihadistas do Estado Islâmico estão publicadas no site árabe www.ankawa.com. <br />A cidadezinha de Tel Isqof foi ocupada em 7 de agosto pelas milícias jihadistas que já haviam conquistado Mossul em junho. Diante da avançada dos jihadistas, a população civil, em maioria cristã, fugiu para a Região autônoma do Curdistão iraquiano, deixando a cidade deserta. Dez dias depois, os Peshmerga curdos, com um ataque, retomaram o controle da cidade. Desde então, os residentes, ao retornar à cidade para verificar o estado de suas casas, constataram que um grande número de casas e lojas tiveram suas portas forçadas e foram saqueadas: dinheiro e joias, equipamentos técnicos e instrumentos eletrônicos foram levados. O acesso à cidade é controlado por esquadras da ‘intelligence’ ligadas ao governo autônomo do Curdistão iraquiano e os moradores devem mostrar suas carteiras de identidade para acessar suas casas e retirar seus bens. <br />Domingo, 9 de novembro, como publicado pela Fides , a Igreja caldeia de Tel Isqof dedicada a São Jorge foi reaberta para a celebração de uma liturgia eucarística, três meses depois da fuga de massa que deixou o vilarejo deserto. .Wed, 19 Nov 2014 00:00:00 +0100