Fides News Portuguêshttp://fides.org/As notícias da Agência Fidesen-usAMÉRICA/BOLÍVIA - Votar pensando apenas no bem comumhttp://fides.org/pt/news/39460-AMERICA_BOLIVIA_Votar_pensando_apenas_no_bem_comumhttp://fides.org/pt/news/39460-AMERICA_BOLIVIA_Votar_pensando_apenas_no_bem_comumCochabamba – Poucos dias atrás, o Presidente boliviano Morales disse, em discurso na cidade de El Alto, que não trabalhará com as autoridades locais da oposição, e convidou os bolivianos a refletir sobre o voto: "Se quiserem ainda obras, reflitam; tudo depende de vocês" foram as suas palavras, que provocaram reações diferentes no país. <br />Em mensagem pública, Dom Roberto Flock, Bispo auxiliar de Cochabamba, pediu ao povo que vote pensando no bem comum. “Para iluminar as declarações do Presidente, de fazer ou não obras em que vença a oposição, ouçamos as palavras do Evangelho”, escreveu o Bispo, que citou ainda o trecho em que Jesus recorda aos Doze que “aquele que quiser ser o maior de vocês, se fará seu servo, e aquele que quiser ser o primeiro, se fara seu escravo” . Em seguida, comentou: “Jesus descreve perfeitamente o comportamento autoritário dos atuais líderes desta nação, em contraste com o Reino de Deus e em contraste com o bem comum. Pedimos-lhes conversão; sugerimos as eleitores que assumam, com seu voto, a atitude de Jesus, que veio para servir”. <br />A Bolívia se prepara para as eleições regionais, marcadas para 29 de março. A cena política é incerta, mesmo porque as forças da oposição não se reuniram numa única frente e isto poderia produzir resultados eleitorais caracterizados por um empate substancial entre os vários candidatos. Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/BRASIL - “As Religiões pelos direitos das mulheres”: em Brasília, marcha para o Dia da Mulherhttp://fides.org/pt/news/39459-AMERICA_BRASIL_As_Religioes_pelos_direitos_das_mulheres_em_Brasilia_marcha_para_o_Dia_da_Mulherhttp://fides.org/pt/news/39459-AMERICA_BRASIL_As_Religioes_pelos_direitos_das_mulheres_em_Brasilia_marcha_para_o_Dia_da_MulherBrasília – “As Religiões pelos direitos das mulheres”: é o tema do evento que quer reunir mulheres de todas as religiões em Brasília hoje, 5 de março, por ocasião do Dia Internacional da Mulher a ser celebrado domingo, 8 de março. A iniciativa, que é organizada pelo Conselho Nacional das Igrejas Cristãs e por outras realidades como a FéBahai, a conferência dos Religiosos do Brasil , Abriwica, a Federação Ubanda e Candomblé, prevê momentos de reflexão e uma marcha celebrativa.<br />“Queremos reafirmar nosso compromisso com o diálogo, a promoção de uma cultura de paz e, principalmente, queremos atrair a atenção para os altos índices de violência contra as mulheres que se verificam em nosso país”, explica, na nota enviada à Fides, a Secretaria Geral do CONIC.<br />“A cada ano, muitas mulheres são mortas em nosso país. Muitas morrem por causa de seu engajamento social, citamos o exemplo de Irmã Dorothy e de outras mulheres ligadas a movimentos sociais, outras são mortas por causa da intolerância religiosa”, reiterou a Secretaria geral. <br />“Devemos nos unir pelos direitos das mulheres para conquistar sempre nossos lugares na sociedade”, salienta a Presidente da Conferência dos Religiosos do Brasil , Irmã Mariaines Vieira Ribeiro. Segundo a religiosa, as mulheres devem ainda enfrentar o problema da discriminação. “Estamos ainda distantes de um caminho de igualdade e respeito pelas mulheres”. As consagradas, explica a Presidente da CRB, participam desta iniciativa por serem vistas como protagonistas de uma nova história, porque desempenham trabalhos difíceis sem medo de ir às periferias da existência humana. “São protagonistas desta ação de defesa das mulheres em situação de exploração, como fica evidente no tráfico de seres humanos, no trabalho dos escravos, na prostituição infantil e feminina... .. Independentemente do apoio ou do reconhecimento, as mulheres consagradas tentam ocupar seu espaço na Igreja e na sociedade. Assim, devemos apoiar um evento como este”, concluiu Irmã Mariaines Vieira Ribeiro. Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/PAQUISTÃO – Ameaças e represálias contra os agentes de saúde empenhados na vacinação contra a póliohttp://fides.org/pt/news/39458-ASIA_PAQUISTAO_Ameacas_e_represalias_contra_os_agentes_de_saude_empenhados_na_vacinacao_contra_a_poliohttp://fides.org/pt/news/39458-ASIA_PAQUISTAO_Ameacas_e_represalias_contra_os_agentes_de_saude_empenhados_na_vacinacao_contra_a_polioPeshawar – Os agentes de saúde engajados em todo o Paquistão na vacinação contra a pólio continuam a encontrar resistências e a sofrer ameaças dos pais que se recusam em deixar vacinar seus filhos. Somente nesta última semana, no âmbito de uma campanha dirigida a 27 milhões e 700 mil crianças paquistanesas, as autoridades prenderam 470 pais na região de Peshawar. O número de casos confirmados aumentou de 58 em 2012 para 306 em 2014, em concomitância com os ataques aos agentes de saúde.<br />Desde 2012, foram mortos 79 agentes ou funcionários da segurança. Todas as áreas do país foram isoladas pelo pessoal médico por grupos militantes que os ameaçavam. Dentre estas, o território tribal de Waziristan, que se encontra ao longo do confim entre Paquistão e Afeganistão. Nestes dois anos, uma operação militar contra os rebeldes talibãs isolou estas áreas tribais nas quais os militantes impuseram proibições. Durante este período, foi negado o acesso às vacinas e a alguns dos que as pediam. <br />Os ataques continuam, não obstante as campanhas administradas pelo governo para convencer as pessoas de que a vacinação contra a pólio é essencial para manter seus filhos em segurança. Segundo dados oficiais, desde o início de 2015 foram mortas já seis pessoas em 4 ataques. O compromisso do governo para expandir a cobertura da pólio foi reforçado, neste meio tempo. Em reunião realizada em fevereiro, especialistas evidenciaram a necessidade de intensificar a cobertura durante a ‘baixa estação’ do inverno, quando há uma queda do risco de transmissão do vírus. Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/SÍRIA - O Parlamento sírio comemora o Genocídio armêniohttp://fides.org/pt/news/39457-ASIA_SIRIA_O_Parlamento_sirio_comemora_o_Genocidio_armeniohttp://fides.org/pt/news/39457-ASIA_SIRIA_O_Parlamento_sirio_comemora_o_Genocidio_armenioDamasco – A Assembleia do povo sírio, no dia 4 de março, dedicou uma sessão comemorativa ao centésimo aniversário do Genocídio armênio. A iniciativa, promovida de modo especial pela parlamentar síria cristã Maria Saadeh, teve o envolvimento dos membros dos Comitês parlamentares para relações exteriores. Antes da sessão parlamentar, o Presidente do Parlamento, Mohammad Jihad al-Laham, recebeu o Embaixador da República da Armênia na Síria, Arshak Poladyan, junto com o Bispo armênio apostólico Armash Nalbandian, membros da comunidade armênio-católica e representantes encarregados de coordenar os eventos que na Síria serão dedicados ao centenário dos massacres dos armênios realizados na península há 100 anos. O encontro – referem as fontes oficiais armênias e sírias – forneceu a ocasião para programar iniciativas de cooperação interparlamentar entre a Armênia e a República árabe da Síria. Em seu pronunciamento durante a sessão comemorativa – apura a Agência Fides – o embaixador Poladyan recordou que cem anos atrás, os armênios que fugiam dos massacres planificados pelo governo dos Jovens Turcos encontraram abrigo justamente na Síria. .Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/LÍBANO - Encontro entre representantes do Hezbollah e da Igreja maronita sobre a eleição do Presidentehttp://fides.org/pt/news/39456-ASIA_LIBANO_Encontro_entre_representantes_do_Hezbollah_e_da_Igreja_maronita_sobre_a_eleicao_do_Presidentehttp://fides.org/pt/news/39456-ASIA_LIBANO_Encontro_entre_representantes_do_Hezbollah_e_da_Igreja_maronita_sobre_a_eleicao_do_PresidenteBeirute - Um encontro de diálogo para enfrentar a questão da falta de eleição do Presidente da República libanesa reuniu na terça-feira, 3 de março, representantes do Patriarcado maronita e do Partido xiita do Hezbollah. O encontro se realizou na periferia ao sul de Beirute, e envolveu o Bispo Samir Mazloum e o ex-líder da Liga Maronita, Hareth Shehab, representando a parte cristã maronita, enquanto o Hezbollah foi representado por Mahmoud al-Qmati e Mustafa al-Hajj Ali.<br />Durante os colóquios – referem as fontes libanesas –, foram analisados os efeitos negativos que a falta da eleição do Presidente está tendo sobre toda a atividade institucional do país. O Líbano está formalmente sem Presidente desde 25 de maio de 2014. No delicado sistema institucional libanês, o cargo de Chefe de Estado cabe a um cristão maronita, mas os líderes políticos maronitas presentes nos dois blocos políticos que dominam a vida política do país – a começar por Michel Aoun e Samir Geagea – não encontram um acordo sobre o nome para o qual fazer confluir os votos dos parlamentares. A próxima sessão parlamentar, para verificar se a situação se desbloqueia, está marcada para dia 11 de março, mas todos os observadores já dão por certo que aquela sessão também não produzirá efeito devido à falta de quórum. Fontes próximas ao Patriarcado maronita, contatadas pela Agência Fides, confiam na possibilidade que também a questão da eleição presidencial libanesa possa chegar a soluções com “efeitos colaterais” com o acordo sobre a energia nuclear que o Irã está para assinar com o grupo dos “5+1” . .Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/INDONÉSIA - O ministro católico Jonan: na política com fé, honestidade e coragemhttp://fides.org/pt/news/39455-ASIA_INDONESIA_O_ministro_catolico_Jonan_na_politica_com_fe_honestidade_e_coragemhttp://fides.org/pt/news/39455-ASIA_INDONESIA_O_ministro_catolico_Jonan_na_politica_com_fe_honestidade_e_coragemJacarta – “Um político católico é aquele dá, antes de tudo, o bom exemplo com a vida”: é o que diz à Agência Fides Ignasius Jonan, ministro dos Transportes indonésio, único católico no governo do novo presidente Joko Widodo que, depois do juramento de 27 de outubro de 2014, acaba de superar o marco dos primeiros cem dias no cargo. Neste breve espaço de tempo, o ministro tentou levar à política os valores éticos da transparência, da honestidade, da lealdade e da colaboração, atuando pelo bem comum do país.<br />No seu cargo precedente, Jonan, 51 anos, guiou uma empresa ferroviária estatal e no seu agir político sempre tentou melhorar os serviços para todos os clientes, com uma atenção especial aos cidadãos mais pobres. Hoje, tem que lidar com a reforma do setor e do sistema de aviação. Nos primeiros meses de governo, teve que enfrentar o caso crítico do desaparecimento da aeronave da companhia low cost indonésia AirAsia, que caiu no mar entre Surabaya e Cingapura, em 28 de dezembro. O ministro não desanimou e introduziu controles mais rigorosos. “O trabalho no governo procede bem, graças à fé, à honestidade e à coragem”, afirma Jonan a Fides. Membro de um governo que é expressão do pluralismo e da variedade cultural e religiosa da Indonésia, Jonan expressa assim a sua visão: “Construir uma nação pacífica e harmoniosa, parte de um mundo pacífico para todo ser humano”. Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/PAQUISTÃO – O Arcebispo Joseph Coutts: “Deus está perto de nós, não obstante o mal”http://fides.org/pt/news/39454-ASIA_PAQUISTAO_O_Arcebispo_Joseph_Coutts_Deus_esta_perto_de_nos_nao_obstante_o_malhttp://fides.org/pt/news/39454-ASIA_PAQUISTAO_O_Arcebispo_Joseph_Coutts_Deus_esta_perto_de_nos_nao_obstante_o_malKarachi - “Jesus Cristo morreu para que nós possamos viver. O mal foi derrotado e o amor de Deus triunfa também hoje aqui no Paquistão”: foi o que disse Dom Joseph Coutts, Arcebispo de Karachi, num encontro sobre a Quaresma realizado recentemente no Centro Catequético de Karachi, na Catedral de São Patrício. Como apurado por Fides, o seminário organizado pelo Centro catequético se tornou um evento fixo no calendário pastoral e teve uma grande participação de fiéis.<br />O Arcebispo Coutts reiterou que “a Quaresma é um tempo favorável para examinar a nossa relação com Deus, enquanto nos preparamos para a Páscoa”, recordando que “também na cultura e na sociedade contemporânea o amor de Deus existe e está presente, não obstante o mal”.<br />Também o Arcebispo emérito, Evarist Pinto, presente no seminário, recordou que a “finalidade da Quaresma é renovar as promessas batismais. Todas as nossas atividades quaresmais deveriam nos impulsionar rumo a este objetivo: preparar-se a refutar Satanás, todas as suas obras, e todas as suas promessas vazias; fazer um profundo ato de fé no Pai, no Filho e no Espírito Santo”.<br />“Através deste encontro, somos convidados a reconhecer muito mais intensamente a grande misericórdia de Deus e o grande amor de Deus”, concluiu Pe. Arthur Charles, Diretor do Centro catequético. Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/QUÊNIA - A Igreja oferece as terras não cultivadas para a produção de alimentoshttp://fides.org/pt/news/39453-AFRICA_QUENIA_A_Igreja_oferece_as_terras_nao_cultivadas_para_a_producao_de_alimentoshttp://fides.org/pt/news/39453-AFRICA_QUENIA_A_Igreja_oferece_as_terras_nao_cultivadas_para_a_producao_de_alimentosNairóbi - As terras não cultivadas de dioceses, congregações religiosas e seminários no Quênia serão usadas para produzir alimentos. Foi o que disse Pe. Celestino Bundi, Diretor das Pontifícias Obras Missionárias do Quênia, durante o encontro dos Diretores africanos das POM, realizado no final de fevereiro no Centro Pastoral Vicente Pallotti em Kigali, Ruanda.<br />Segundo a agência CISA de Nairóbi, Pe. Bundi ressaltou que desta forma a Igreja no Quênia pretende responder ao apelo lançado pelo Papa Francisco em seu discurso aos participantes da 38ª sessão da FAO para encontrar novas maneiras de ajudar os pobres e famintos.<br />“É bem conhecido – disse o Papa Francisco - que a atual produção de alimentos é suficiente, mesmo assim existem milhões de pessoas que sofrem e morrem de fome: isto, queridos amigos, é um verdadeiro escândalo. É necessário encontrar maneiras para que todos possam se beneficiar dos frutos da terra, não somente para evitar que se aumente a distância entre os que têm mais e os que têm de se contentar com as migalhas, mas também e sobretudo pela exigência de justiça, equidade e respeito por cada ser humano”.<br />A Igreja no Quênia, disse o Diretor das POM locais, pretende tornar-se autossuficiente, reduzir a desnutrição e criar um intercâmbio recíproco entre “quem tem” e “quem nada tem” . Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/LÍBIA - O Estado Islâmico está se infiltrando no vazio de poder, a população é refém dos violentoshttp://fides.org/pt/news/39452-AFRICA_LIBIA_O_Estado_Islamico_esta_se_infiltrando_no_vazio_de_poder_a_populacao_e_refem_dos_violentoshttp://fides.org/pt/news/39452-AFRICA_LIBIA_O_Estado_Islamico_esta_se_infiltrando_no_vazio_de_poder_a_populacao_e_refem_dos_violentosTrípoli - “O Estado Islâmico na Líbia está mostrando uma grande capacidade de se infiltrar onde existem vazios de poder e conquistar territórios”, dizem à Agência Fides fontes locais da Líbia, onde os homens do Estado Islâmico tomaram posse de alguns campos de petróleo perto de al-Mabrouk. “O Estado Islâmico na Líbia é formado tanto por algumas milícias locais que se juntam a ele quanto por elementos que vêm de fora”, dizem as fontes de Fides. “No momento conseguiram conquistar Sirte, Derna e algumas áreas perto de Benghazi. Em Trípoli, provavelmente, possuem infiltrados”, continuam as fontes.<br />“A população é refém da violência. O povo líbio é pacífico e sofre talvez muito passivamente esta situação. Além disso, a estrutura tribal da sociedade líbia não facilita o surgimento de fortes movimentos de cidadãos que possam tomar conta da situação”.<br />Hoje, 5 de março, em Marrocos, se encontrarão os representantes dos dois governos que disputam o controle do poder legítimo no país: o de expressão do Congresso Nacional e o expresso pela Câmara dos Representantes .<br />A instabilidade da Líbia é enfim alimentada por armas que continuam chegando ao país que se juntam com aquelas do antigo regime de Kadafi.<br />Um relatório da ONU publicado recentemente afirma que apesar do embargo internacional houve novos fornecimentos bélicos para as várias partes envolvidas no conflito. Dentre as empresas notificadas como envolvidas neste tráfico estão companhias da Bielorrússia, Bulgária, Egito, Hungria, Ucrânia, Grécia, Jordânia, Sudão, África do Sul, Emirados Árabes Unidos, Paquistão, Catar e Turquia. Thu, 05 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/ÍNDIA – Nomeado o Reitor do Seminário “S. Pedro apóstolo” em Bangalorehttp://fides.org/pt/news/39451-ASIA_INDIA_Nomeado_o_Reitor_do_Seminario_S_Pedro_apostolo_em_Bangalorehttp://fides.org/pt/news/39451-ASIA_INDIA_Nomeado_o_Reitor_do_Seminario_S_Pedro_apostolo_em_BangaloreCidade do Vaticano – O Card. Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, nomeou no dia 3 de outubro de 2014 como reitor do Seminário Pontifício “São Pedro apóstolo” em Bangalore , o rev. Pe. Joseph Benedict Mathias, jesuíta .<br />O novo Reitor nasceu em 16 de abril de 1947 e foi ordenado sacerdote em 11 de maio de 1974. Estudou filosofia e teologia no seu país; em seguida estudou Direito Canônico e Psicologia na Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma. Foi professor em diversas universidades, reitor, superior de comunidades, fundador e diretor do Instituto para formadores de Bangalore. Desde 2004 era Diretor do National Vocation Service Centre de Pune e Secretário do escritório para o clero e os religiosos da Conferência Episcopal. Desempenhou intensa atividade de escritor e participou de numerosos congressos, seminários e cursos, seja na Índia como no exterior. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/CUBA – Quase meio milhão de crianças serão vacinadas contra a póliohttp://fides.org/pt/news/39450-AMERICA_CUBA_Quase_meio_milhao_de_criancas_serao_vacinadas_contra_a_poliohttp://fides.org/pt/news/39450-AMERICA_CUBA_Quase_meio_milhao_de_criancas_serao_vacinadas_contra_a_polioHavana - De 1962, ano em que a poliomielite foi eliminada em Cuba, até 2014, foram administradas no país cerca de 83 milhões de doses de vacinas, tutelando a saúde da população cubana até 68 anos. Agora, neste período do ano, será iniciada a primeira das duas fases da Campanha Nacional de Vacinação Anti-pólio dirigida a quase meio milhão de crianças de faixa etária de 30 meses a um ano. A segunda etapa, prevista de 29 de abril a 3 de maio, será dirigida a crianças até 9 anos. De acordo com o médico fundador do programa do Ministério da Saúde, a vacina não pode ser administrada a menores com febre alta, vômito ou diarreia, e devem ser usadas precauções específicas. Da campanha anti-pólio 2015, como tradicionalmente, participarão todos os médicos e enfermeiros do país. Em Cuba, a febre amarela foi erradicada em 1908 e a varíola em 1923. Segundo especialistas, graças às vacinas, estão sendo mantidas sob controle também outras patologias previsíveis, se reduziram os casos de mortalidade e o contágio de febre de tifo e hepatite B. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/COLÔMBIA - Ter como pároco um Bispo eméritohttp://fides.org/pt/news/39449-AMERICA_COLOMBIA_Ter_como_paroco_um_Bispo_emeritohttp://fides.org/pt/news/39449-AMERICA_COLOMBIA_Ter_como_paroco_um_Bispo_emeritoBogotá – De 23 a 27 de março, na sede da Conferência Episcopal da Colômbia, em Bogotá, haverá o primeiro Encontro dos Bispos Eméritos da América Latina e Caribe, organizado pelo Departamento de Comunhão Eclesial e Diálogo do Conselho Episcopal Latino-americano . “A Igreja quer oferecer atenção especial aos Bispos da América Latina e Caribe que depois de anos de trabalho pastoral e governo de dioceses, se retiraram”, explica a nota enviada pelo Celam à Fides.<br />O objetivo da reunião é promover um encontro e um diálogo fraterno para aprofundar os temas do Episcopado e da formação e compartilhar a experiência da realidade pastoral na qual foram e ainda estão engajados há longos anos. Um grupo de Bispos eméritos da América Latina, de fato, continua a ser ativo nas comunidades cristãs, desempenhando o papel de pároco, vice-pároco ou até mesmo missionário nos lugares mais distantes da cidade. Segundo o Anuário Estatístico da Igreja 2012, os Bispos da Igreja Católica são 5.133; os Bispos eméritos são 1.547. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/PARAGUAI - "Não queremos ser explorados”: o apelo de 450 mil menores trabalhadoreshttp://fides.org/pt/news/39448-AMERICA_PARAGUAI_Nao_queremos_ser_explorados_o_apelo_de_450_mil_menores_trabalhadoreshttp://fides.org/pt/news/39448-AMERICA_PARAGUAI_Nao_queremos_ser_explorados_o_apelo_de_450_mil_menores_trabalhadoresMontevidéu – A condição da exploração de menores; a defesa do trabalho como fator educativo e digno para o ser humano; e o problema das condições de trabalho de meninos, meninas e adolescentes, foram alguns temas abordados durante os dois dias do Fórum Internacional sobre a Infância e o Trabalho, recém-concluído em Montevidéu. Inserido no âmbito do nono Encontro regional do Movimento Latino-americano e do Caribe de Meninos, Meninas e Adolescentes Trabalhadores , o evento reuniu, entre outros, menores venezuelanos, bolivianos e paraguaios de faixa etária de 10 a 12 anos, com técnicos e especialistas. No Paraguai, há ainda 450 mil menores trabalhadores que pedem para ser respeitados e não explorados, sexual e psicologicamente. Os menores, relatando suas experiências, se dizem trabalhadores que precisam trabalhar em condições adequadas e com segurança para poder contribuir no sustento de suas famílias. O objetivo principal do fórum é transmitir o conceito justo de trabalho infantil do ponto de vista cultural, social e econômico. A Organização Internacional do Trabalho está realizando uma campanha de erradicação do trabalho infantil que, segundo os jovens delegados de alguns países, não é adequada para todas as culturas e necessidades. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100AMÉRICA/ARGENTINA - “Deus não criou as fronteiras”: há 65 anos uma Missa pela fraternidade entre Chile e Argentinahttp://fides.org/pt/news/39447-AMERICA_ARGENTINA_Deus_nao_criou_as_fronteiras_ha_65_anos_uma_Missa_pela_fraternidade_entre_Chile_e_Argentinahttp://fides.org/pt/news/39447-AMERICA_ARGENTINA_Deus_nao_criou_as_fronteiras_ha_65_anos_uma_Missa_pela_fraternidade_entre_Chile_e_ArgentinaNeuquén – Mais de dois mil argentinos e chilenos se encontraram novamente aos pés do "Cristo del Tromén", na província de Neuquén , para participar da Missa que une, há 65 anos, as duas nações vizinhas. A Missa foi celebrada domingo, 1º de março, na divisa Mamuil Malal de Curarrehue, foi presidida pelo Bispo da diocese de Villarrica , Dom Francisco Javier Stegmeier Schmidlin, e concelebrada pelo Bispo de Neuquén , Dom Virginio Bressanelli, S.C.I.<br />A Missa e o encontro na linha de fronteira se realizaram graças à iniciativa do capuchinho Frei Francisco Subercaseaux, que foi pároco de Pucón e missionário na região chilena de Araucanía, onde lhe havia sido confiada uma paróquia, segundo dados da Agência Aica. O “Cristo del Tromen” foi abençoado em 26 de fevereiro de 1950.<br />Na celebração, Dom Stegmeier comunicou que a partir do próximo ano, esta celebração será feita no primeiro domingo de março. Em sua homilia, Dom Bressanelli salientou: “É bom saber que em diversas partes desta Cordilheira dos Andes continua-se a celebrar a nossa fraternidade. Isto significa que Deus não criou as fronteiras, mas foram os homens. Somos uma família, a família de Deus. Devemos celebrar sempre como irmãos, para que não haja mais outras cordilheiras que nos dividam”. Em 65 anos, somente uma vez esta celebração anual não se realizou, por causa do terremoto no Chile. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/CHINA – As comunidades católicas rezam pelos cristãos perseguidos no Oriente Médio e em todo o mundohttp://fides.org/pt/news/39446-ASIA_CHINA_As_comunidades_catolicas_rezam_pelos_cristaos_perseguidos_no_Oriente_Medio_e_em_todo_o_mundohttp://fides.org/pt/news/39446-ASIA_CHINA_As_comunidades_catolicas_rezam_pelos_cristaos_perseguidos_no_Oriente_Medio_e_em_todo_o_mundoShi Jia Zhuang – Uma vigília de oração com a adoração eucarística para os cristãos perseguidos no mundo, de modo especial pelos cristãos da Síria e do Iraque, se realizou em diversas comunidades católicas chinesas no segundo domingo de Quaresma, em 1º de março. Segundo informações coletadas pela Agência Fides, o pároco da paróquia de Nan Tang, da diocese de Xi An, na província de Shaan Xi, ilustrou os motivos da vigília e a situação dos cristãos no Oriente Médio, além da solidariedade da Igreja universal, solicitada pelo Papa. Assim teve início a adoração eucarística durante a qual foram proclamados alguns trechos bíblicos. Durante a homilia, o pároco convidou os presentes a rezar pelos cristãos perseguidos, além de amar os inimigos que nos machucam, porque eles também são filhos de Deus, e a rezar pelos terroristas, para que seu coração se converta e abandonem a violência e a perseguição contra os cristãos.<br />Outras comunidades católicas também celebraram a vigília pelos cristãos perseguidos, pela paz no mundo e pelo fim das perseguições, como a paróquia de Wu Jia Tang de Tang Shan, na província de He Bei. A iniciativa de oração por esta intenção foi também apresentada em diferentes sites na Internet e nas redes sociais. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/JORDÂNIA – O Rei Abdallah II fala à nação: muçulmanos e cristãos “juntos” contra as barbaridades dos jihadistashttp://fides.org/pt/news/39445-ASIA_JORDANIA_O_Rei_Abdallah_II_fala_a_nacao_muculmanos_e_cristaos_juntos_contra_as_barbaridades_dos_jihadistashttp://fides.org/pt/news/39445-ASIA_JORDANIA_O_Rei_Abdallah_II_fala_a_nacao_muculmanos_e_cristaos_juntos_contra_as_barbaridades_dos_jihadistasAmã – O Reino Hachemita da Jordânia permanece firme e unido “numa região abalada por conflitos étnicos e sectários e sobretudo pelo terrorismo”, porque “vivendo unido, em fraternidade e solidariedade como uma só família, muçulmanos e cristãos, cidadãos de origens diferentes, todos estamos prontos para cumprir o nosso dever”. Assim o Rei Abdallah II da Jordânia, num discurso à nação transmitido pelas redes televisivas do país na terça-feira, 3 de março, reiterou como dado indiscutível a sua consideração em relação aos cristãos como componente constitutiva da fisionomia nacional, comprometida a partilhar com os muçulmanos a resposta comum diante da patologia jihadista. O Islã – disse entre outras coisas o Rei Abdallah – não é uma fé de facções e partidos, nem deve ser reduzido a uma simples dicotomia de extremismo contra a moderação. O Islã é uma fé de unidade, justiça e paz, e aqueles que desviam, matam, torturam e violam tudo o que é sagrado são inimigos do Islã”. Com seu discurso à Nação, o monarca jordaniano quis tranquilizar seus compatriotas sobre o fato que a Jordânia goza de segurança e estabilidade. “Sempre – disse o rei Abdallah – a Jordânia demonstrou que é mais forte e maior do que os espíritos sem fé que nutrem maus propósitos para o país e aguardam o momento oportuno para atacá-lo e enfraquecê-lo de toda forma, mas cada vez que fomos colocados à prova, saímos mais fortes”. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/MIANMAR - Cardeal Bo: “As sete espadas que transpassaram o coração de Maria em Mianmar”http://fides.org/pt/news/39444-ASIA_MIANMAR_Cardeal_Bo_As_sete_espadas_que_transpassaram_o_coracao_de_Maria_em_Mianmarhttp://fides.org/pt/news/39444-ASIA_MIANMAR_Cardeal_Bo_As_sete_espadas_que_transpassaram_o_coracao_de_Maria_em_MianmarYangun – Existem “sete espadas que transpassaram o coração de Maria em Mianmar”, disse o Cardeal Charles Maung Bo presidindo a celebração eucarística no Santuário Nacional Mariano de Nyaung Lay Bin, dedicado a Nossa Senhora de Lourdes.<br />Conforme o que foi referido à Fides, falando a uma multidão de cerca de 100 mil peregrinos, o Cardeal Bo disse: “As sete espadas de Nossa Senhora das Dores em Mianmar são: o capitalismo, no qual poucas famílias possuem tudo; a não resolução de conflitos através do diálogo eficaz, mas com o uso da violência; as leis injustas que continuam privando os pobres de suas terras; a economia criminosa da droga e o tráfico de seres humanos; a discriminação das minorias étnicas; a destruição e saque dos recursos naturais; e a falta de oportunidade de educação e trabalho para os pobres. Diante a tais dificuldades, prossegue o texto enviado à Fides, “o povo pede a ajuda materna e misericordiosa de nossa querida Mãe de todo o Mianmar. Nós, como seres humanos, vivemos com limitações e incapacidades. Maria é aquela que podemos confiar porque ela é a nossa mãe amável”, que olha os seus filhos com compaixão, aquela compaixão que “o Santo Padre Francisco em sua mensagem para a Quaresma nos convida a praticar, substituindo a indiferença”.<br />O cardeal recordou que “não pode existir cristianismo egoísta”, citando “milhões de nossos jovens que vivem como refugiados nos países vizinhos; os agricultores que estão perdendo suas terras e as milhares de pessoas que vivem nas comunidades de deslocados”. “Neste tempo quaresmal somos chamados a cuidar uns dos outros, como nossa Mãe Maria cuida da humanidade”. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/LAOS – A oração para os doentes é crimehttp://fides.org/pt/news/39443-ASIA_LAOS_A_oracao_para_os_doentes_e_crimehttp://fides.org/pt/news/39443-ASIA_LAOS_A_oracao_para_os_doentes_e_crimeSavannakhet – As autoridades da Província de Savannakhet estabeleceram que “o rito religioso de rezar pela cura dos doentes, segundo o próprio culto religioso, é uma violação do artigo 41 e 42 da lei da saúde”, então seria um crime, pois constitui “um abuso da profissão médica”. É o que afirma um relatório do Departamento de Saúde da Província de Savannakhet. O relatório foi publicado depois do caso de cinco cristãos que foram presos e condenados por terem rezado por uma mulher doente .<br />A notícia causou descontentamento na comunidade cristã. Segundo a ONG “Human Rights Watch for Lao Religious Freedom” , essa medida é “uma violação da Constituição e das leis do Laos”. De fato, a Constituição afirma no artigo 9: “O Estado respeita e protege todas as atividades lícitas de budistas e outras confissões religiosas”. Já o artigo 30 da Constituição afirma: “Os cidadãos de Laos têm o direito e a liberdade de crer ou não crer nas religiões”. O relatório das autoridades da Província de Savannakhet estabelece, essencialmente, que “a oração para os doentes é uma atividade ilegal”. Dessa maneira “tira-se o direito e a liberdade de credo garantidos pela Constituição”, observa HRWLRF.<br />Além disso, a decisão é contrária à Convenção internacional dos direitos civis e politicos, ratificada pelo Governo do Laos. Os cristãos fazem um apelo ao Governo do Laos para que não permita que em nível local e provincial se adotem medidas que violam as leis gerais do Estado e para que seja revogada a medida de Savannakhet. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁSIA/SÍRIA - Os “rebeldes” dizem não à trégua de Aleppo. O Bispo Abou Khazen: as potências estrangeiras planificam o nosso suplíciohttp://fides.org/pt/news/39442-ASIA_SIRIA_Os_rebeldes_dizem_nao_a_tregua_de_Aleppo_O_Bispo_Abou_Khazen_as_potencias_estrangeiras_planificam_o_nosso_supliciohttp://fides.org/pt/news/39442-ASIA_SIRIA_Os_rebeldes_dizem_nao_a_tregua_de_Aleppo_O_Bispo_Abou_Khazen_as_potencias_estrangeiras_planificam_o_nosso_suplicioAleppo – A rejeição apresentada pelas forças anti-Assad à trégua humanitária em Aleppo proposta pelo enviado da Onu, Staffan de Mistura, representa “um fato grave” e demonstra pela enésima vez que o conflito sírio “não terá fim enquanto não o quiserem todas as forças que o alimentam de fora”. Assim, o Bispo Georges Abou Khazen OFM, Vigário apostólico de Aleppo para os católicos de rito latino, considera a rejeição com que os grupos – inclusive aqueles apoiados pelo Ocidente – recusaram a hipótese de um cessar-fogo que permitisse levar ajudas à população da metrópole martirizada por anos de conflito.<br />O próprio enviado da Onu De Mistura referiu que o governo de Damasco declarou-se disponível a uma trégua de seis semanas. Do outro lado, a galáxia das oposições militares – que compreende indivíduos jihadistas como al-Nusra e minoritários e inexpressivos grupos de “rebeldes” reconhecidos e apoiados por países ocidentais – respondeu que não está disposta a levar em consideração o plano se este não comportar também a saída definitiva do cena de Assad e dos homens do seu aparato, que devem ser submetidos a um processo por crimes de guerra. <br />Os Grupos de oposição ligados à Comissão revolucionária de Aleppo até agora rejeitaram encontrar De Mistura, afirmando que uma trégua prolongada teria somente o efeito de reforçar as posições do exército governamental. “A rejeição categórica – destaca dialogando com Fides o Bispo Abou Khazen – confirma, por sua vez, o dado que todos nós temos bem claro: a guerra continuará até que as potências estrangeiras quiserem alimentá-la. Estadunidenses e turcos acabam de declarar que têm um plano de apoio e adestramento dos grupos rebeldes para os próximos três anos. Portanto, já colocaram em conta que a guerra durará mais três anos, e as pessoas continuarão a sofrer e a morrer por mais três anos… Antes das revoltas, os 900 km com a fronteira turca eram controlados, e se por acaso um pastor atravessasse o confim para recuperar a ovelha fugida, atiravam e o matavam. Agora, milhares de milicianos de lá entram na Síria com armas pesadas, enquanto não permitem a entrada dos refugiados que da Síria tentam ir a outro lugar para fugir das violências dos jihadistas”. <br />Diante deste trágico cenário – explica o Bispo franciscano –, permanece somente a esperança que nasce da fé: “Como São Paulo, esperamos contra toda esperança. Porque sabemos por experiência que o nosso Senhor é grande e bom. O nosso destino está em suas mãos, e não nas manobras interesseiras de uma ou outra potência do mundo, por maior que seja”. .Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100ÁFRICA/NIGÉRIA - Os Bispos da Nigéria e Camarões unidos na assistência aos refugiados em fuga de Boko Haramhttp://fides.org/pt/news/39441-AFRICA_NIGERIA_Os_Bispos_da_Nigeria_e_Camaroes_unidos_na_assistencia_aos_refugiados_em_fuga_de_Boko_Haramhttp://fides.org/pt/news/39441-AFRICA_NIGERIA_Os_Bispos_da_Nigeria_e_Camaroes_unidos_na_assistencia_aos_refugiados_em_fuga_de_Boko_HaramAbuja – As Conferências Episcopais de Nigéria e Camarões colaboram para oferecer assistência aos milhares de nigerianos que se refugiaram em Camarões em fuga das violências de Boko Haram. Foi o que revelou Dom Ignatius Ayau Kaigama, Arcebispo de Jos e Presidente da Conferência Episcopal da Nigéria, na coletiva de imprensa ao final da Assembleia Plenária dos Bispos nigerianos, cuja notícia foi enviada à Agência Fides.<br />Dom Kaigama acrescentou que o governo federal da Nigéria se uniu aos esforços da Igreja Católica na assistência aos refugiados nigerianos em Camarões. Em especial, as autoridades de Abuja doaram 50 milhões de Naira à Conferência Episcopal nigeriana, que serão usados com a outra Conferência de bispos para assistir os nigerianos acolhidos em alguns campos para refugiados espalhados pelo país. Por sua vez, o organismo dos Bispos nigerianos arrecadou 10 milhões de Naira, elevando a 60 milhões o total de ajudas destinadas aos refugiados.<br />Dom Kaigama acrescentou em que 3 de maio uma delegação de prelados nigerianos visitará Camarões para averiguar as necessidades dos refugiados. Integram a delegação, entre outros, o Bispo de Maiduguri , Dom Oliver Dashe Doeme, e o Presidente da Cáritas nigeriana, Dom Lucius Ugorji, Bispo de Umuahia. Dom Kaigama expressou a esperança de que se unam à delegação representantes governamentais e, por fim, convidou os fiéis a não se esquecerem dos sofrimentos dos deslocados e dos refugiados em fuga das violências da seita islamista. Wed, 04 Mar 2015 00:00:00 +0100