EUROPA/SUIÇA - Scalabrini-Fest 2017: formação e encontro por uma mudança de abordagem sobre as migrações

Quinta, 4 Maio 2017

MSS

Solothurn (Agência Fides) – Em muitas áreas do mundo constroem-se muros contra migrantes e refugiados e muitos perdem a vida em fronteiras de países que poderiam acolhê-los. Isso ocorre embora a comunidade internacional reconheça sempre mais a contribuição oferecida pelos migrantes às comunidades de partida e às de chegada. Neste contexto, foi celebrada de 28 a 30 de abril, no Centro internacional de Formação “G.B. Scalabrini”, sede central das Missionárias seculares scalabrinianas em Solothurn, a Scalabrini-Fest da Primavera. Desta edição, intitulada “Gente que vai… abre caminhos. Rumo ao um desenvolvimento sustentável e integral para todos”, participaram cerca de 340 pessoas provenientes de 39 países.
Como informa à Agência Fides Luisa Deponti, o Fórum, durante a Scalabrini-Fest, deu espaço a vozes e perspectivas diferentes. Johan Ketelers, de 2004 a 2016 Secretário Geral da International Catholic Migration Commission (ICMC) com sede em Genebra, considerou o horizonte global com suas luzes e sombras, evidenciando que “O desenvolvimento é um processo em ato que envolve toda a humanidade. É necessário elaborar políticas migratórias eficazes. A imigração deve se tornar uma escolha e não uma obrigação: um processo de vida, dignidade humana e crescimento que contribui ao desenvolvimento. Trata-se de uma responsabilidade comum que inclui todas as nações, populações locais e os próprios migrantes. Não podemos considerar as migrações apenas como sintomas de uma crise, mas como uma oportunidade”.
Karin, austríaca, e Serge Agbodjan-Prince, togolês, casados e pais de três filhos, apresentaram sua experiência de vida: o aspecto do crescimento da pessoa e suas relações no âmbito da família e nos diversos ambientes culturais em que viveram, na Europa e na África. O encontro com a diversidade è para eles uma grande possibilidade de crescimento pessoal que no entanto, não se confinou nas paredes de casa. A terceira palestra do Fórum foi a da missionária secular scalabriniana Agnese Varsalona, teóloga, que destacou: “Precisamente os migrantes e os refugiados, que deixaram tudo para trás, chamam a atenção para o que é mais importante na vida de cada pessoa: as relações com os outros, a verdadeira pátria, na qual podemos sempre nos encontrar”. O autêntico desenvolvimento é, portanto, um processo de humanização que encontra seu caminho e meta em Jesus Cristo, aquele que viveu plenamente a humanidade, segundo o projeto do Pai.
O tema foi ainda mais analisado nos grupos e workshop, através da celebração da Eucaristia, com um concerto de jovens artistas de vários países e na peregrinação ao santuário Einsiedeln. (LD/SL) (Agência Fides 4/5/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network