ÁFRICA/NIGÉRIA - Mais de 800 mortos e 16 igrejas destruídas pelo grupo terrorista dos pastores Fulani

Quarta, 11 Janeiro 2017 perseguições  

Roma (Agência Fides) - "Nos últimos três meses, em mais da metade do território da região meridional do estado de Kaduna houve uma intensificação dos ataques dos Fulani Herdsmen Terrorist (FHT), um grupo terrorista de pastores nômades da etnia Fulani” denuncia Dom Joseph Danlami Bagobiri, Bispo de Kafanchan, no estado de Kaduna, durante uma visita à sede italiana da Associação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).
“No Ocidente este grupo é quase desconhecido” sublinha Dom Bagobiri, mas desde setembro, já incendiou 53 aldeias, matou 808 pessoas, feriu outras 57. É também responsável pela destruição de 1.422 casas e 16 igrejas.
O Bispo recorda que de 2006 a 2014, mais de 12 mil cristãos foram mortos e 2 mil igrejas foram destruídas pelo terrorismo na Nigéria. O maior responsável por estes crimes é o grupo fundamentalista islâmico Boko Haram. Dom Bagobiri ressalta que Boko Haram não é o único grupo que difunde terror no país africano, relevando o papel dos pastores Fulani nos últimos anos.
Os Fulani são um grupo étnico nômade protagonista há tempos de conflitos contínuos com os agricultores da região. Todavia, nos últimos tempos, os ataques têm sido completamente diferentes dos atritos entre camponeses e pastores, porque estes últimos têm usado armas sofisticadas, que antes não existiam, como AK-47, cuja origem é desconhecida” sublinha Dom Bagobiri. (L.M.) (Agência Fides 11/1/2017)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network