ÁFRICA/RD CONGO - Assassinada Irmã Clara, que dedicou a vida para melhorar as condições das jovens

Sexta, 2 Dezembro 2016 missionários assassinados  

Irmã Clara

Kinshasa (Agência Fides) – Foi assassinada a religiosa congolesa da Congregação das Irmãs Franciscanas Escolásticas de Cristo Rei, Irmã Clara Agano Kahambu. O fato ocorreu na tarde de 29 de novembro, na paróquia capital de Kivu do Sul, no leste da República Democrática do Congo.
Segundo informam à Agência Fides fontes da Arquidiocese local, irmã Clara se encontrava em seu escritório com uma aluna quando um homem se apresentou ao guardião da estrutura pedindo para matricular a filha na escola. Uma vez dentro, o homem atacou a religiosa e a esfaqueou no pescoço. O homem foi capturado mas a religiosa, rapidamente socorrida, não resistiu às feridas e morreu ao chegar ao hospital.
“Aos 40 anos, esta verdadeira defensora dos direitos femininos nos deixou... e se soma à lista dos defensores de direitos humanos trucidados em nossa província”, afirma um comunicado enviado à Agência Fides pela Comissão diocesana “Justiça e Paz”.
O comunicado denuncia o degrado da segurança de Bukavu, às vésperas das eleições regionais; o aumento da violência e dos ataques contra a população em uma cidade repleta de militares e policiais; a circulação na impunidade de indivíduos claramente perigosos e armados, alguns doentes mentais, que atacam as pessoas diante “dos olhos sorridentes das forças da ordem”. “Justiça e Paz” recorda que “até o Arcebispo foi atacado em sua casa, enquanto dormia”.
Irmã Clara Agano nasceu em 3 de julho de 1976 na paróquia de Luofu, Diocese de Butembo-Beni, filha de Jean-Pierre e de Anastasia Kahindo, quinta de dez irmãos.
Em 16 de novembro de 2000, em Bukavu, foi admitida na Congregação das Irmãs Franciscanas Escolásticas de Cristo Rei, com sede em Split; postulante desde 5 de agosto de 2001, iniciou o noviciado em 25 de agosto de 2002 e emitiu os votos perpétuos em 2 de agosto de 2010.
Ensinou psicologia, pedagogia e catequese. Era Reitor da escola "Marie Madeleine" em Bukavu e do centro pastoral "Mater Dei", onde ensinava a ler e escrever às jovens pobres. (L.M.) (Agência Fides 2/12/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network